Síndrome da morte súbita : a morte do berço

A síndrome da morte súbita infantil, ou síndrome da morte súbita do lactente (também conhecida como “morte do berço”, não é uma doença específica.

Trata-se de um diagnóstico que os especialistas dão quando um bebê aparentemente saudável morre sem explicação. Quando nem os médicos nem a autópsia conseguem explicar a causa da morte, ela é classificada como morte súbita. A grande maioria dos casos atinge bebês com menos de 6 meses de idade.

É uma das principais causas de óbito de bebês com menos de 1 ano de vida, e geralmente ocorre durante o sono noturno . Trata-se de uma condição que assusta muitos pais e cujos mecanismos ainda são desconhecidos.

Como e por quê?

Há uma série de teorias para explicar a origem do problema, mas, até o momento, nenhuma encontrou comprovação científica.

Os especialistas acreditam que seja uma combinação entre uma predisposição do bebê (como anormalidades ou imaturidade nos sistemas cardíaco, respiratório ou da regulação do despertar) e a exposição a um ambiente desfavorável (como dormir de bruços ou ser agasalhado demais), num período específico do desenvolvimento.

O que posso fazer para evitar?

O importante é que os pais saibam que há formas de se prevenir da síndrome:

A posição ideal

Dormir em decúbito dorsal – com a barriga voltada para cima – é a posição mais indicada para os bebês de até um ano, recomendada pela Academia Americana de Pediatria (AAP) e pelo Ministério da Saúde brasileiro . Além de permitir que o bebê respire melhor, a posição diminui o risco de engasgo, já que permite girar a cabeça para o lado em caso de vômito.

Não coloque o bebê de lado, porque eles facilmente acabam de barriga para baixo.

O berço

Novas recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria foram lançadas no final do ano passado e incluem :

• O filho deve dormir até pelo menos o sexto mês de vida no quarto dos pais, mas em camas separadas. A cama compartilhada é contraindicada pelo risco de acidentes durante o sono.

O hábito aumenta os riscos de sufocamento, porque os pais se mexem e o bebê fica indefeso.

• Segura-bebês e outros dispositivos que seguram o corpo em determinada posição devem ser evitados. Produtos do tipo foram banidos das lojas dos Estados Unidos em 2017.

• A superfície onde o bebê dorme deve ser firme, coberta com um lençol de elástico e sem objetos soltos : sem pelúcias ,cobertores ou protetor de berço.

Protetores de berço não são aconselhados pelos especialistas. Acredita-se que eles não sirvam para prevenir acidentes. Eles podem, por outro lado, acabar causando sufocamento ou estrangulamento se a cabecinha do bebê ficar presa entre o protetor e o colchão, além de não deixar o ar circular livremente dentro do berço.

A temperatura

Estudos ligaram o excesso de agasalhos e o superaquecimento do bebê à morte súbita. Coloque a mão na barriga do bebê ou no pescoço dele para ver se ele está quentinho o suficiente.

• Não deixe o aquecedor ligado à noite inteira

• Usar roupas quentinhas no lugar de cobertas e lençóis, mas sem tocas ou outros acessórios que cubram a cabeça.

Bebês excessivamente agasalhados, que dormem em quartos muito aquecidos, correm perigo maior quando colocados com a face para baixo, porque a face é uma fonte importante de eliminação do calor nas crianças. Nesses casos, supõe-se que o estresse causado pelo aumento de temperatura leva à diminuição da frequência cardíaca e à inibição letal do centro respiratório.

Não use nenhum tipo de colar ou corrente no bebê

Qualquer corrente ou colar (como o colar de âmbar) no pescoço do bebê traz risco de sufocação durante o sono. O mesmo vale para cordões de chupetas, almofadas ou brinquedos ( pelúcias ) que possam estar próximos ao bebê.

Fica a dica .

Nunca use cotonete!

Como limpar o ouvido do seu filho? As pessoas têm uma inclinação para limparem os seus ouvidos porque acreditam que a cera seja uma indicação de sujeira. Mas na verdade, não é necessário limpar e não devemos nunca , utilizar o cotonete .

Esse hábito pode levar a otites de repetição e até surdez definitiva .

A cera protege o ouvido : qualquer partícula que entre no canal auditivo fica preso nela.Com o crescimento da pele do canal , a mastigação e os movimentos de quando falamos essa cera é mobilizada de dentro para fora , levando as partículas para fora do ouvido.

Por que limpamos ?

A sensação de colocar hastes flexíveis dentro do canal auditivo é gostosa. Isso acontece porque o ouvido é cheio de nervos com fibras sensitivas, que levam esse estímulo para o cérebro. É semelhante com o alívio gerado quando você está com coceira nas costas e consegue coçar.

Segunda a Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e a de Pediatria , a limpeza deve ser feita com um pano ou algodão, somente da parte externa , sem introduzir nada no buraco da orelha.

Retirando a cera , o ouvido ficará mais suscetível a infecções . Ou seja , quem limpa muito , tem mais infecções .

O que pode acontecer

As hastes flexíveis — ou qualquer objeto que alcance o interior do ouvido , como grampos de cabelo — podem machucar . Os pesquisadores explicaram que os objetos têm potencial real de causar cortes nos canais auditivos, perfurar os tímpanos ou até deslocar os ossos auditivos. Como consequência, as pessoas podem ter perda de audição, tontura ou outros sintomas graves.

Além do risco de traumatismo , quando usamos o cotonete a cera é empurrada para dentro do canal auditivo, o que pode ocasionar uma obstrução, chamada de cerume impactado.

Esta rolha diminui a passagem do ar , reduzindo a audição e favorecendo o crescimento de bactérias. Algumas crianças podem reclamar de dor quando há muita cera impactada e pode ser necessário a aplicação de remédio para “quebrar” a cera ou até uma lavagem no ouvido para limpeza adequada .

Nunca faça nenhuma tentativa de retirar a cera : vela , grampos , lavagem com água e seringa . Você poderá perfurar o tímpano da criança. Deixe somente um especialista , com material adequado , manipular o conduto auditivo.

Fica a dica .

O que NÃO fazer quando a criança vomita

Vômito é o pesadelo de toda mãe , até desta mãe-pediatra aqui . A gente dá medicação e a criança joga tudo pra fora . Bate o desespero : será que vai desidratar? Será que preciso levar ao hospital ? Que remédio dar?

Independente da causa do vômito na criança, quando ela tem um episódio de vômito repentino sem outros sintomas associados, como febre, por exemplo, geralmente não é motivo para ir correndo para o pronto-socorro, pois o vômito poderá apenas ser consequência de situações passageiras, como por consumo de alimentos estragados uma leve virose, por exemplo.

Os passos para o tratamento

1. Não ofereça líquidos ou alimentos !

A criança está vomitando ? Não ofereça nada . Faça uma pausa e deixe- a em jejum por 1 hora e observe se há melhora . Oferecer leite , seio materno , suco só irá piorar , pois facilitam novos episódios de vômito .

2. Medique

Dê o remédio ( bromoprida ou ondasetrona ) . Evite usar dimenidrato , pois a sonolência irá atrapalhar na alimentação . Espere por 1 hora .

Deu o remédio e a criança cuspiu ou vomitou? Faça uma segunda tentativa se isso aconteceu até em 30 minutos . Se não der certo , não force . Aguarde por 1 hora .

3. Inicie com água

Nada de leite ou suco ! Ofereça um pouco ( meio copo ) de água e observe . A criança certamente irá querer tomar mais de um copo , mas você deve controlar o volume .

Após meia hora , ofereça um suco ou soro de rehidratação oral em doses fracionadas e aguarde mais 1 hora .

4. Evite o leite

Está aceitando bem ? Não houve vômito ? Ótimo ! Procure hidratar ou amamente e evite dar a mamadeira com leite de vaca .

É normal a criança não aceitar alimentos nas primeiras 24 horas . Se estiver ingerido líquidos e fizer xixi , está tudo indo bem .

5. Não dê miojo lamen por favor !

Coca cola sem gás , Gatorade , Miojo Lamen , achocolatado ou leite fermentado não são boas escolhas . Não saia oferecendo qualquer alimento para a criança comer .Procure oferecer refeições leves , com pouca gordura e com tempero suave . um tempo para o organismo se recuperar.

Arroz branco , purê , frutas , bolacha água e sal ou torradas são boas opções .

Quando me preocupar ?

vômitos com coloração avermelhada devem ser motivo para procurar atendimento médico . Geralmente ocorrem na presença de sangramentos . Ao contrário de que muitos pais pensam , o vômito esverdeado ( “cor de bílis ” como muitos chamam ) ou amarelados , não indicam gravidade.

• febre persistente associado a vômito deve ser examinado . Primeiro para realizar o controle da temperatura , que fica difícil , pois as medicações são por via oral . Segundo porque podem ser quadros iniciais de doenças mais graves .

• medicou e não deu certo? Não espere até o dia clarear! A criança pode ficar desidratada , principalmente as menores de 2 anos .

Sinais de desidratação : diminuição do volume do xixi ou ausência por mais de 6 horas , sonolência , boca seca .

Maisena para assadura funciona ? Saiba quais receitas caseiras da vovó que realmente funcionam

De médico todo mundo tem um pouco: uma receita infalível para tosse ou dor de cabeça , para tratar piolho … mas quais destas receitinhas caseiras realmente funcionam ?

Vamos ver quais delas realmente funcionam e quando ou como usá-las :

1. Compressa de gelo para dor de cabeça

Funciona!Um estudo brasileiro realizado ano passado pela Sociedade Brasileira de Cefaleia mostrou que mais de 80% das crianças e adolescentes já tiveram, pelo menos uma vez, dor de cabeça. Ao colocar o gelo , ou uma compressa gelada na testa , os vasos sanguíneos se comprimem , causando uma sensação de bem estar e melhora da dor.

2. Vinagre para lêndeas

Funciona! A diluição de vinagre na água (uma parte do produto para a mesma quantidade de água) cria um meio ácido, dissolvendo a gordura que prende a lêndea ao cabelo. Uma dica prática é passar a solução à noite na cabeça do seu filho, colocar uma touca de plástico para que o cheiro não incomode tanto e, pela manhã, usar um pente fino para retirá-las. O ideal é aliar esse método aos tratamentos convencionais, feitos com produtos específicos contra piolhos, que o pediatra pode indicar.

3. Maisena para tratar assadura

Funciona! Um santo alívio para as famosas brotoejas do verão . Quando perceber que a pele vai começar a ficar vermelhinha (e o suor é o grande vilão), ponha um pouco de maisena no bumbum e na região do pescoço . Fique tranquila: ela não tem o mesmo prejuízo do talco porque o pó não é tão fino e não tem perfume.

4. Água com açúcar tem efeito calmante

Funciona! As pesquisas mostram que o açúcar, assim como o chocolate, libera serotonina, que dá sensação de prazer e bem-estar. Mas o açúcar, por si só, não tem propriedade calmante. Não se pode esquecer também que, quando chega a água com açúcar, a criança já está recebendo afeto e atenção, que ajuda (e muito) a deixar qualquer um mais tranquilo.

5. Mel funciona contra a tosse

Funciona! O mel melhora a tosse porque inibe a proliferação de bactérias e reduz a dor de garganta. Mas só pode ser dado para maiores de 1 ano e sabendo qual a procedência do mel. Dê duas a três colheres por dia puro, ou misturado com chá.

6. Pasta de dente na queimadura

Não funciona! Apesar do efeito “geladinho” , usar a pasta de dente na queimadura pode piorar a lesão e até facilitar o surgimento de infecções .

7. Azeite na infecção de ouvido

Não funciona! Utilizar óleo , alho ou azeite na infecção de ouvido provoca queimaduras e piora da otite . A lenda de que isso ” puxa o catarro para fora ” é mais pura mentira – na verdade a infecção se tornou pior e surge a presença de pus .

8. Borra de café para sangramento

Não funciona ! Era muito comum usar café para o umbigo , pois se dizia que isso estancava o sangramento . Não há nenhuma evidência e ainda favorece infecções da ferida.

9. Compressa de álcool para febre e tosse

Funciona! Até funciona para febre , mas não deve ser usada . Água gelada é muito mais eficaz. O álcool possui um odor muito forte e pode levar a crises respirai – tosse , espirros e até iniciar um quadro de asma .

10.Alho para picada de inseto

Não funciona! Apesar de possuir ação anti-inflamatória, aplicar o alho cru não irá diminuir a coceira.Exceelnte fonte de zinco e selênio, que dão uma ajuda para o sistema imunológico, o alho não vai curar a mordida.

Tem alguma receita infalível ? Manda pra mim é vamos ver se realmente funciona !

Febre por vontade ou em criança “aguada” , existe ou é mais um mito ?

Tem gente que jura que isso aconteceu mas a explicação é bem simples .

Quando uma criança vai ficar doente , um pouquinho antes de surgir os primeiros sintomas , ela vai ficando amuadinha e com o apetite reduzido. E nessa hora , a mãe pergunta : o que você quer? O que você tem ?

E aí, não raro , elas iniciam listas de desejos , por brinquedos , guloseimas ou passeios .

No dia seguinte a febre vem , e aí bate o desespero e a procura por uma origem desse quadro de febre torna-se cada vez mais necessária. Afinal, só tem febre, mais nada , nenhum sintoma .

Segundo dia chegando e a criança com febre . Será que não é vontade mesmo ? Bora comprar o chocolate ou o brinquedo que ela queria .

No terceiro dia a febre passa . Viu só, era vontade !

Mas não é bem assim. Tudo isso na verdade foi um quadro de infecção viral ( virose ) .

As infecções virais tem duração média de 3 dias e geralmente causam com febre, baixa e espaçada, sem outros sintomas associados e evoluem espontaneamente ( melhoram sozinhas).

Esse tipo de infecção é bem comum em menores de 5 anos . E não tem nenhum relação com o desejo ou passar vontade ok?

E A TAL DA FEBRE PSICOGENICA?

A febre psicogênica ou hipertermia funcional é uma condição psicossomática relacionada ao estresse. Ela está relacionada ao mau funcionamento do sistema nervoso autônomo, e se manifesta pela exposição a eventos que desequilibram nosso estado emocional ou ao estresse crônico.

As queixas dos pacientes são, juntamente com os sintomas da alta temperatura, sintomas do estresse, que podem atingir também outros problemas na saúde mental dos afetados. Ou seja, a alta temperatura corporal é apenas um dos sintomas induzidos ou exacerbados pelo estresse.

Essa condição é principalmente encontrada em pessoas com histórico de transtornos mentais, ansiedade aguda e em casos de estresse agudo . Não é uma condição comum em crianças e não é uma expressão ou desejo por algo .

Meu filho anda de carro e passa mal , o que eu faço ?

Com a pandemia , uma grande parte das crianças começou a desenvolver enjoo e outros sintomas ao andar de carro . Mesmo sem nunca apresentar este tipo de sintoma antes da quarentena . O que fazer e por que isso acontece ?

Essa indisposição é uma resposta fisiológica do corpo a situações de movimento, quando o campo visual se move dando a falsa sensação de movimento. Esse problema, que não chega a ser uma doença, é conhecido como cinetose, ou enjoo de movimento.

O primeiro sinal de que algo não vai bem é a palidez, frequentemente seguida por bocejos, inquietação, suor frio acima do lábio superior ou em todo o rosto. Depois disso, pode ocorrer náusea, salivação excessiva, desconforto físico, fadiga, dor de cabeça ( queixa muito comum em crianças ) ou tontura, terminando em vômitos.

As pessoas com cinetose, além sentir enjoo ao andar de barco, avião e até em carro, geralmente passam mal também em brinquedos como roda-gigante, carrossel, montanha-russa, gira-gira, balanço e gangorra.

Essa doença afeta principalmente crianças, entre 2 e 12 anos de idade. A cinetose pode desaparecer ao longo da infância, mas em muitos casos persiste até a vida adulta , sendo as pessoas com enxaqueca as mais susceptíveis a desenvolver o problema. Tem se tornado muito comum na pandemia devido ao uso excessivo de eletrônicos e a redução da locomoção por veículos .

Algumas crianças também podem referir os mesmo sintomas ao jogar videogame , em jogos de 3 dimensões ou óculos de realidade aumentada . O mecanismo de ação é o mesmo do enjoo ao movimento .

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da cinetose é feito pelo pediatra , que avalia o histórico clínico do paciente e pode solicitar uma avaliação como o otorrinolaringologista . Alguns exames podem ser realizados, como a videonistagmografia e o videoteste de impulso cefálico, mais comuns em adultos .

O que eu faço ?

O mal-estar é tratado com medicamentos que podem ser empregados tanto na prevenção quanto na eliminação dos sintomas. O Dimenidrato ( Dramin ) é a medicação mais comum .

Seguem algumas dicas para reduzir os episódios:

• garanta que a alimentação do seu filho antes da viagem seja leve e que ele coma menos.

• posicione o seu filho sentado para a frente, de preferência no assento do meio do banco de trás, porque ver as coisas se movendo pode contribuir para o enjoo;

• evite o uso de tablets ou videogames, pelo mesmo motivo;

• tente utilizar alguns medicamentos, como o dimenidrinato, que devem ser administrados cerca de uma hora antes da viagem;

• não use máscaras dentro do carro ( se estiver somente com membros da mesma família );


• se possível, aponte o fluxo do ar-condicionado do veículo na direção da criança .

Faça algumas paradas durante o trajeto , especialmente nas viagens mais longas. Tente reduzir a velocidade nas curvas, sempre que possível. E evite ao máximo oferecer alimentos e bebidas dentro do carro, ao longo do trajeto.

Criança que range o dente está com vermes?

Seu filho range ou força os dentes quando está dormindo? Fique alerta, pois ele pode ter desenvolvido bruxismo, muito comum em crianças de até 6 anos de idade.

Um estudo brasileiro verificou a presença de bruxismos em 40% das crianças menores de 6 anos. Crianças com quadros de alergia, deficiência nutricional ( como anemias e falta de vitaminas ) , parasitoses e distúrbios endócrino e gastrointestinais apresentam mais frequentemente quadros de bruxismo.

Nem toda criança que range o dente tem verminose . As causas são múltiplas !

Por que isso acontece ?

O aparecimento do bruxismo pode estar relacionado a transtornos como ansiedade, hiperatividade, déficit de atenção e prescrição de medicamentos controlados. Por isso, é importante que o tratamento seja discutido com o seu pediatra.

Muitas vezes o ranger dos dentes é o sintoma de um problema maior.

Mas o uso de telas de forma precoce também colabora e muito com o aumento da incidência do bruxismo . Isso acontece porque elas ficam em estados de concentração muito prolongados e podem apertar e ranger mais os dentes caso passem muito tempo utilizando aparelhos eletrônicos. É muito estímulo visual e auditivo para um organismo que ainda está em desenvolvimento.

Sintomas

Geralmente, é fácil identificar se a criança desenvolveu bruxismo pela simples observação dos movimentos realizados por ela com a boca, seja acordada ou dormindo. Este distúrbio do sono pode levar a outros sintomas além dos desgaste dos dentinhos :

• Dores de cabeça: a estrutura muscular da cabeça está conectada com a da mastigação. O estímulo excessivo a deixa tensa e isso dispara as dores.

• zumbido no ouvido: a rigidez nos músculos instiga o zumbido como forma de igualar a pressão na cabeça.

• Dores musculares: por causa das contrações constantes, a musculatura fica cansada. Daí, é normal acordar com a bochecha dolorida.

• sensibilidade dos dentes : a força do apertamento compromete o esmalte dentário e pode até causar fissuras e quebras. Quando isso acontece, o dente fica mais sensível a temperaturas altas e baixas.

• Problemas na articulação: o bruxismo pode desencadear a disfunção da articulação temporomandibular, com deslocamento da mandíbula, estalos e dores na região.

É importante que os pais prestem bastante atenção nos filhos que têm entre 5 a 7 anos de idade, pois o distúrbio pode trazer consequências aos dentes, como fraturas, desgastes, sensibilidade e apesar de não apresentar risco de vida, esta condição clínica pode influenciar na qualidade de vida e do sono da criança

O que fazer ?

Como prevenção, especialistas apontam para o conceito de “higiene do sono”, utilizado para classificar os hábitos comportamentais saudáveis na hora de dormir que devem ser adotados desde cedo.

• Evitar dar o smartphone ou o tablet para a criança adormecer é um dos principais pontos.

• Praticar técnicas de relaxamento , como meditação , aulas de artes ( pintura , música ) e incentivar a prática de atividades físicas.

• Bons hábitos alimentares , evitando bebidas com cafeína como refrigerantes e alimentos açucarados ( mamadeira com achocolatado ) a noite .

• Consulta com um odontopediatra para acompanhamento dos dentinhos e um psicólogo para avaliação de quadros mais intensos .

Fica a dica .

Como tirar a fralda?

Os pediatras costumam recomendar que as famílias iniciem o processo de desfralde a partir de 1 ano e meio até os 3 anos, período em que a criança já é capaz de obedecer alguns comandos. No entanto, mais do que focar na idade, vale lembrar que o momento ideal é quando o bebê se mostrar preparado – e isso pode variar muito de criança para criança.

O desfralde é algo que pode acontecer de um dia para o outro ou desafiar os pais por um bom tempo. Não há regras específicas para seguir, que funcionem com todas as crianças. Cada experiência é diferente, inclusive entre irmãos.

A experiência com meninos e meninas pode ser diferente. Muitos apontam que desfraldar as meninas é mais fácil, mas os especialistas afirmam que não há diferença na maneira de realizar o desfralde.

Tire a fralda diurna

Nas primeiras madrugadas, o ideal é levá-lo a cada duas horas ao banheiro e tente descobrir em que horário, aproximadamente, ele costuma urinar. Então, procure acordar toda noite nesse horário para colocá-lo no vaso e, mais para frente, ensiná-lo a ir sozinho quando precisar.  

A retirada da fralda do período diurno é mais fácil e costuma demorar em média 2 meses. Acidentes poderão acontecer , com perda de xixi na sua sala ou no sofá , principalmente quando as crianças estão mais distraídas . Procure agir com calma e não grite ou repreenda o seu filho , pois ele está em uma fase de aprendizado e isso só irá atrasar o desfralde.

Demonstrar com gestos e diálogo o quão feliz e orgulhoso você está com o seu filho é fundamental. Parabenize-o por todas as vezes que ele conseguir chegar a tempo no banheiro.

A retirada da fralda noturna é mais complicada e exige mais paciência, levando , na maioria dos casos, de seis meses até um ano, contando a partir do momento em que a criança começa a acordar com a fralda seca. Comece diminuindo a ingestão de líquido do seu filho durante a noite.  E antes de colocá-lo na cama, diga para fazer xixi.

Se o seu filho permanecer por um período de 3 a 5 dias com a fralda sequinha de noite, tente tirá-la. Normalmente, o organismo das crianças demora bastante para conseguir segurar o xixi durante o sono profundo, então pode ser um processo demorado.

Brigar, falar mal, reprimir ou manter uma postura negativa diante da criança não vão fazer com que ela aprenda a fazer certo da próxima vez. Pelo contrário, isso acaba desestimulando. Mantenha-se positivo e incentive a criança. Diga que da próxima vez ela vai conseguir; Fale que aquele xixi ou cocô foi compreensível porque ela estava muito ocupada brincando. Seja paciente.

Dicas

1.Penico : para mim foi a solução ! Minha dica é: deixe o penico no lugar aonde a criança passa mais tempo . Assim , quando bater a vontade , o penico estará próximo e a taxa de sucesso maior . Com o passar do tempo , vá afastando o penico em direção ao banheiro e só depois faça a transição para o vaso sanitário.

Mesmo se o seu filho for menino, é importante que ele aprenda, primeiro, a fazer as necessidades biológicas sentado, pois as chances do xixi e do cocô virem juntos no começo são grandes.

2. Não tenha pressa : é muito comum após o desfralde a criança passar a ficar com o “intestino preso”.

Ver irmãos e amigos usando o banheiro é um estímulo para a criança, que deseja copiar os maiores e entende o processo como natural.

3. Atividades no banheiro : adesivos de , livros e levar o bichinho de pelúcia favorito ao banheiro são atividades que , na minha opinião , atrapalham e distraem a criança . Evite.

4. Roupas adequadas : Nada de roupa difícil , como um macacão por favor ! Os pequenos irão sujar muito mais peças de roupas no desfralde. Portanto, prepare peças extras e fáceis de colocar e tirar (inclusive meias e sapatos, sim, eles também se sujam). É importante também que a criança consiga tirá-las e colocá-las sozinha.

5. Calcinha , cueca e protetores : Alguns produtos como calcinhas e cuecas de transição podem ser úteis tanto para gerar mais conforto ao bebê, para que não fique molhado, como para evitar que você saia limpando o chão a todo instante! Os protetores absorventes para o colchão também são um ótima dica para quem já vai iniciar o desfralde noturno.

Existem no mercado as ‘pull-ups’, como são chamadas as ‘fraldas de treinamento’, que podem ser uma mão na roda nesse processo, e se assemelham bastante com roupas de baixo e podem ser tiradas facilmente pelos pequenos.

6. Paciência : Evite fazer esse processo em momentos muito turbulentos da vida da família, como mudança de casa, de escolinha, chegada de um irmãozinho, morte de um parente, viagens, separação dos pais etc.

Muito além do mamão : super alimentos para soltar o intestino

A constipação intestinal é a dificuldade em evacuar , coma saída de fezes endurecidas , na forma de “bolinhas ” (cíbalas) ou grandes e cilíndricas.Em enquete realizada feita por uma revista brasileira , 68% dos leitores afirmaram que os filhos sofrem sempre com o intestino preso e 27% apresentam problemas esporadicamente. Vamos resolver o seu problema hoje?

A constipação pode ser caracterizada pela evacuação inferior a 3 vezes por semana ou pela ocorrência de evacuação dolorosa , com fezes eliminadas após esforço , acompanhadas por choro.

A constipação é mais frequente nas meninas e pode provocar dor na barriga, náuseas e diminuição do apetite.

O que fazer ?

•Aumentar atividades físicas- caminhar, subir escadas, correr, pular corda, andar de bicicleta.

•Diminuir o tempo total de internet, televisão e videogame- máximo de duas horas horas por dia.

• Levar a criança ao banheiro  5 minutos após as principais refeições para aproveitar o reflexo gastro cólico que estimula a evacuação.Levar mesmo que a vontade de evacuar não apareça.

• Deixar a criança sentada no vaso, durante 10 minutos com os pés apoiados( se precisar, colocar um banquinho),  para que ela consiga fazer a pressão abdominal e ajudar na evacuação.

Os pais também devem orientar que a criança tente evacuar após as principais refeições. Mesmo que não esteja com vontade na hora, eles podem se sentar no vaso por um período de 10 a 15 minutos. Nesse momento, há um refluxo gastrocólico que favorece a eliminação das fezes.

Criança usa laxante?

Não é indicado o uso de laxantes . O laxante funciona para o organismo da seguinte forma : a substância é irritativa ao intestino , que a trata como um “inimigo” a ser combatido , provocando a sua eliminação e por consequência , a saída das fezes.Com o tempo ela perde o efeito laxante , mas pode provocar lesões no intestino e até câncer.

O supositório de glicerina não é considerado um laxante . Ele apenas estimula a região anal a eliminar as fezes na porção mais distal do intestino , chamado de reto.

Cerca de 90% das crianças que apresentam intestino preso têm o que é chamado de constipação intestinal funcional. Nesses casos, as causas costumam ser biológicas, como alimentação pobre em fibras ou alterações na velocidade do funcionamento do intestino, que pode se mover com mais lentidão.

Existem algumas opções nas farmácias de medicações a base de fibras , em pó , xarope e até gominhas que podem facilitar muito o seu dia a dia .

Alimentos “laxantes”

Mamão: possui uma substância laxante natural, tão eficiente quanto alguns remédios para soltar o intestino. É rico em fibras que colaboram para manter as fezes macias. Outras frutas: laranja , melancia , abacaxi , melão , manga , pera .

Feijão: a casquinha dessa leguminosa tem uma fibra que é bastante laxante.Uma xícara de feijão preto cozido tem50% da necessidade diária de fibras de um adulto.

Iogurte: os que são ricos em probióticaos ajudam a manter a flora intestinal saudável, porque repõem sua proteção natural. Evitam assim os dois extremos – desde prisão de ventre a diarreia.

Ameixa seca: assim como o mamão, ela é rica em uma substância laxante natural. Só não exagere na dose, porque durante a desidratação a fruta recebe grande quantidade de açúcar.Pode ser colocada nos suco ,mingau , iogurte.

Milho: uma única xícara de milho cozido já é suficiente para obter cerca de 13% das necessidades diárias de fibra, além de uma série de antioxidantes, como a vitamina A e as vitaminas do complexo B. Quando preparadas sem óleo e com pouco sal, pipocas também podem ser consideradas bons laxantes.

Outros : abóbora ,brócolis , berinjela , vagem , couve flor ,aveia ,linhaça.

 Alimentos que você deve evitar

Banana: adorada pelos pequenos, não é uma opção interessante para o trânsito intestinal congestionado.

Leite: de vaca de caixinha tem quantidade de proteínas bem diferente do leite materno.A diluição do leite com farinhas ( mucilon ,neston , sustagen) pioram o quadro.

Maçã: não que a fruta seja ruim, mas é reconhecida por prender o intestino. Até porque as crianças costumam comê-la sem a casca e, aí, boa parte das fibras se perde.

Arroz branco: o polimento elimina grande quantidade das fibras presentes no cereal. Não precisa cortar o alimento do prato, mas é importante misturá-lo a boas doses de feijão.

Guloseimas : não possuem fibras e ainda diminuem o apetite : bolachas , doces , bolo , salgadinhos.

Outros :macarrão e batata. Essa é a dupla dinâmica que vive no prato das crianças que se alimentam mal e tem constipação.

Fica a dica.

Sinusite de novo ?

Sinusite é uma inflamação da pele que envolve os seios da face ( cavidades ósseas localizadas ao redor do nariz, das maçãs do rosto e dos olhos) . Pode ser frontal (na testa), maxilar (maçãs do rosto), etmoidal (entre o globo ocular e o nariz), esfenoidal (lateral ou no vértice da cabeça) ou pansinusite, que compromete todas as cavidades.

Nas crianças, a tosse é o sintoma preponderante. Em geral, ocorre com intensidade à noite e fica mais discreta ao longo do dia. Quadros de febre, dores musculares, coriza, obstrução nasal e perda de apetite também caracterizam o problema.

Já a dor de cabeça, apesar de ser um sinal marcante em adultos, é raro na infância. O principal motivo é o fato de os seios da face ainda estarem em desenvolvimento.

Causas

Uma das principais causas é a gripe comum, que baixa a guarda do organismo e abre caminho para bactérias. Já ambientes com ar-condicionado ou clima muito seco ajudam a disseminar fungos que se alojam nos seios da face.

Outro agravante são os ambientes com excesso de pó. A poeira provoca alergias, o que causa inchaços no nariz e favorece o acúmulo de secreções.

É considerado normal até 5 episódios de sinusite no ano para crianças menores de 5 anos. A baixa imunidade decorrente da imaturidade do sistema imunológico e o encurtamento das vias respiratórias aliado a entrada da criança em creches e escolas são responsáveis por este número tão alto de infecções no ano.

Entretanto , quando o quadro se torna persistente , deve-se realizar uma investigação. Algumas doenças podem estar associadas a uma maior incidência de sinusite : hipertrofia de adenoide, rinite , desvio de septo são as causas mais comuns . Alergia ao leite de vaca e refluxo gastroesofágico podem levar a sinusite , mas com menor frequência .

Tratamento

A sinusite viral é tratada como uma gripe, com analgésicos e descongestionantes que controlam os sintomas. Assim como outras infecções virais, a tendência é melhorar em até dez dias. Já as bacterianas requerem antibióticos receitados pelo pediatra. O mesmo tipo de remédio é indicado em casos crônicos, tratamento muitas vezes complementado com descongestionantes, expectorantes e corticoides tópicos.

O raio x de seios da face só tem relevância para crianças maiores de 7 anos . É a partir desta idade que todos seios , inclusive os frontais , estarão formados .

Xô sinusite !

• Evitar o ar-condicionado e utilizar o umidificador no período com baixa umidade ;

• A água tem papel decisivo quando o assunto é sinusite, pois umidifica e diliui as secreções. As lavagens nasais também são essenciais na retirada da secreção e das bactérias , além de proporcionar alívio da congestão nasal ;

Usar lavagem nasal com xilitol reduz em até 40% os novos quadros de sinusite .

• Tratamento das gripes e resfriados para reduzir e facilitar a saída de secreções – uma gripe prolongada favorece a infecção (

• Uso de lisado bacteriano e tratamento de hipertrofia de adenoide e rinite evitam os quadros de repetição ;

• A vacina da gripe pode ser uma medida eficaz para pessoas que estão no grupo de risco (como portadores de doenças crônicas e crianças pequenas;

• Livre-se dos ácaros : Mantenha os ambientes arejados e limpos e remova cortinas com muitos detalhes, tapetes e ursos de pelúcia. Use capa antialérgica no colchão, cortina fina ou blackout e edredom ao invés de cobertor;

• Faça o tratamento completo : se parar o antibiótico antes da hora , a sinusite pode voltar .