É verdade que o Transpulmin puxa todo o catarro para o cocô ?

Transpulmin xarope é um expectorante destinado ao tratamento da tosse em gripes e resfriados. A base de guaifenesina , ele fluidifica o catarro, tornando-o menos viscoso e mais “solto”. Dessa forma, o catarro é expelido de maneira mais fácil. O início da ação é rápido e em 1 hora .

Ele pode encontrado na forma de xarope , bálsamo ou supositório . Na forma de supositório , muito pais relatam que a medicação “puxa” todo o catarro da criança , que é eliminado pelas fezes , limpando todo o organismo .

Será verdade ?

Como funciona o transpulmin supositório

Antes de se utilizar o supositório, deve-se colocar a cartela na geladeira, por cerca de 5 minutos. De seguida, deve-se introduzir o supositório via retal. A dose recomendada é de 1 a 2 supositórios por dia. A dose máxima é de 2 supositórios por dia e não deve ser excedida.

A administração da medicação por via retal tem uma rápida absorção pela mucosa do intestino , com tempo de ação de 1 hora . O efeito é o mesmo por via oral .

Então por que o catarro sai nas fezes ?

Pela sua ação mucolítica , a secreção torna-se menos espessa , sendo eliminada pela tosse ou nariz . Mas , nas crianças menores , há a deglutição do catarro , que não é digerido pelo organismo , sendo eliminado nas fezes .

Ou seja , o transpulmin não “puxa o catarro” , apenas torna-o menos espesso e ao ser deglutido , passa a ser eliminado no cocô.

Esta medicação não pode ser usada em menores de 2 anos , em crianças com diarreia ou outras doenças gastrointestinais inflamatórias .

Fica a dica .

Quem amamenta pode pintar o cabelo?

Antigamente , os médicos eram categóricos : não pode ! Mas com as novas formulações , temos uma vasta gama de opções e a mãe que está amamentando pode sim , pintar o seu cabelo. Dar um tapa no visual ajuda , e muito , na autoestima da mulher .

Foi feito um trabalho elaborado Sociedade Brasileira de Pediatria que desmistifica a ideia de que as mulheres devem parar de tingir o cabelo durante a amamentação.  Se o produto não tiver chumbo em sua composição, a pintura do cabelo é segura.

Para evitar intoxicações por chumbo , dê preferência pelos tonalizantes . Apesar de terem menor duração no cabelo, são mais seguros para o bebê.Outra alternativa seria a Henna que, por ser um produto natural, também não faz mal. Mas precisa ser uma Henna de boa qualidade e que não seja misturada com outras substâncias.

A informação de que tinturas contendo amônia devem ser evitadas durante a lactação, não encontra respaldo científico.

A tinta de longa permanência contém acetato de chumbo que será passado para o seu bebê através do leite e pode causar intoxicação com aumento do risco de câncer e doenças neurológicas .

E as mechas ?

Sim! Podem ser feitas , já que o produto não entra em contato com a raiz . Mas atenção na hora da matização : use tonalizantes .

E a progressiva ?

As escovas progressivas também podem ser realizadas desde que não tenham formol.

Fique calma, há jeito para tudo. Você pode escovar seus cabelos, usar prancha, fazer touca na hora de dormir ou assunir seus lindos cachos.

O que fazer para não cair o meu cabelo ?

Depois do nascimento do bebê, os cabelos caem por causa do declínio hormônios. É importante que mãe consulte o médico para ver se não está faltando nenhuma vitamina no organismo, como o ferro. Se estiver tudo normal, o controle é feito com shampoos específicos, suplementos prescritos pelo especialista e alimentação saudável.

3 erros comums ao lavar a mamadeira e a chupeta

É muito comum na prática da Pediatria observar erros comuns na limpeza das mamadeiras e chupetas . A limpeza correta é fundamental para a prevenção de infecções bacterianas , virais ou fúngicas na boca do bebê .

Acredite , vale a pena rever os hábitos de higiene . Às vezes ficamos no modo automático ou aprendemos com nossas mães da forma errada e isso pode dar um trabalhão depois.

Tomou , lavou

Logo após a mamada, enxágue a mamadeira . Use detergente na lavagem , com uma escova própria para o uso e enxágue bem para não deixar resíduos , principalmente nos bicos e chupetas.

Esterilização em várias formas

Panela

Encha uma panela com água e ferva por aproximadamente 5 minutos.Em seguida, mergulhe os utensílios na água fervente e deixe aquecendo por mais 10 a 15 minutos.

Microondas

Foi, de longe, o que mais usei com os meus filhos e AMEI!! Achei superprático e simples de usar : coloque água até a marca indicada, deixe os objetos já limpos e desmontados e colocar por 6 minutos no microondas.

Esterilizador a vapor de tomada:

Coloque os objetos no esterilizador que ele faz tudo sozinho . É um trambolho , mas tem a vantagem de não precisar manipular nada antes , durante ou depois a esterilização . É o método mais caro.

Esterilizador portátil de saquinho:

Gente, esses “mini esterilizadores” são o máximo : são saquinhos no qual você coloca os objetos dentro e leva ao microondas . Incríveis para viagens, para não precisar levar aquele trambolho enorme na mala .No pack vem vários saquinhos e cada um pode ser reutilizado até 20 vezes.Vale a pena ter em casa e na bolsa de passeio do bebê.

Pacifier wipes:

Outra coisa que usei bastante foram esses lencinhos umedecidos para chupeta. Sempre levava comigo e quando a chupeta caía no chão, passava uma água e o Pacifier Wipes .Superprático .

Não coloque na geladeira !

Depois da esterilização , deixe secar no suporte de mamadeiras ou no próprio esterilizador . Não deixe na geladeira , pois os bicos e mamadeiras ficarão úmidos, favorecendo a proliferação de fungos causadores de ” sapinho”.

Guarde em recipientes plásticos , bem secos . Não use pano de prato ou toalha para secar , pois assim a sua esterilização foi em vão .

A esterilização pode ser feita até os 9 meses de idade . Após este período o bebê poderá entrar em contato com bactérias que irão ajudar a construir a flora intestinal saudável . Estas bactérias auxiliam na proteção e na nossa imunidade.

Como tirar o cheiro ?

Existem soluções próprias para isso , mas um método caseiro é com uso de bicarbonato : 1 colher de chá com água quente na mamadeira e deixar até o dia seguinte . Enxágue e está pronto para o uso.

Fica a dica .

Aptamil , Enfamil ou Nan : Qual a melhor fórmula para bebês ?

Com tanta variedade , fica muito difícil escolher entre as marcas e às vezes optamos pelo menor valor , mas nem sempre isso é o ideal . Como saber qual a melhor fórmula láctea para o nosso bebê ?

Primeiro vamos saber um pouco mais sobre a composição : a maioria das fórmulas infantis é à base de leite de vaca modificado, para que se pareçam o mais possível com o leite materno. Os fabricantes modificam o leite de vaca para o consumo de bebês. Ajustam os níveis de carboidratos, proteínas e gordura, e acrescentam vitaminas e minerais.

A proteína do leite é bastante alterada nas fórmulas para tornar sua digestão mais fácil. Os bebês só estarão aptos a digerir leite de vaca normal (integral) depois do primeiro ano de vida.

O principal carboidrato presente no leite materno é a lactose. Em algumas fórmulas infantis há presença de maltodextrina (fragmento de amido), que confere sabor artificialmente adocicado e aumenta a viscosidade do leite, conferindo saciedade.

O que não pode faltar em uma boa fórmula ?

O ideal é usar fórmulas que contenham prebióticos e ácidos graxos conhecidos como LC-PUFAS.

• Prebióticos aparecem na fórmula com os nomes GOS e FOS. São, na sua maior parte, carboidratos que servem de alimento às bactérias benéficas que vivem no intestino, favorecendo o crescimento desses microorganismos e melhorando assim a saúde da criança.

•LC-PUFAS aparecem na fórmula como DHA e ARA e são gorduras do bem, essenciais para o desenvolvimento neurológico da criança., auxiliando no desenvolvimento cognitivo e do sistema nervoso central.

E aí qual a diferença entre as marcas ?

As diferenças entre as fórmulas se baseia basicamente na quantidade de prebioticos e na quantidade de gorduras benéficas . Algumas fórmulas contém ingredientes “especiais” , como magnésio na composição para facilitar o funcionamento do intestino ( Novamil AO) ou espessantes ( amido ou alfarroba) , como no caso das fórmulas antirefluxo.

São muitas marcas , então vou diferenciar somente as principais marcas do mercado , ok?

NAN : Pro é o produto mais vendido . A linha Comfor se diferencia pela presença de prebioticos e o Supreme pela presença da proteína do leite parcialmente hidrolisada , sendo ideal para crianças com história de alergia a proteína do leite de vaca na família .

O Nestogeno é a opção mais barata , mas não conta com os benefícios dos prebioticos e a composição de vitaminas é inferior .

Aptamil : Premium é a fórmula mais vendida . A linha Pró futura se diferencia pela presença de gorduras boas na composição , auxiliando no desenvolvimento neurológico .

Enfamil : possui apenas duas versões , sendo a Gentlease com a proteína do leite parcialmente hidrolisada . As duas versões possuem uma molécula especial , que atua na melhora do desenvolvimento neurológico , a MFGM.

Qual a melhor fórmula ?

De um modo geral , elas são bem parecidas . E todas “tentam” imitar a composição do leite materno , que sempre será o melhor alimento para o bebê .

Como cada bebê é único , não há como oferecer uma única resposta a esta questão . Por isso o trabalho do pediatra é fundamental , pois somente após a avaliação da criança e seguimento se consegue a melhor fórmula .

A minha dica fica com relação ao valor : vale a pena o investimento . Sei que as vezes o valor de uma determinada fórmula pesa no orçamento da família , mas como o bebê quando o bebê se alimenta exclusivamente de fórmula , devemos optar sempre pelo melhor produto .

Fica a dica .

Por que NÃO devemos dar Miojo Lamen as crianças ?

O sal na dieta aliado a baixa prática de atividade física , virou uma verdadeira “bomba-relógio” para a saúde das crianças .Na prática do consultório eu tenho presenciado um número cada vez maior de crianças e adolescentes com pressão alta . E isso realmente é preocupante !De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia , cerca de 10% das crianças e adolescentes têm pressão alta.

Você sabia que até o sorvete de chocolate tem sal? Sim! Não é preciso ter um gosto salgado para ser composto com esse ingrediente, introduzido na culinária pelo seu potencial de conservação . Esse é o chamado sódio oculto.

Meu filho adora Miojo, faz mal para saúde doutora?

Em muitos lares , o macarrão instantâneo ( Miojo Lamen) faz parte das refeições das crianças . Mas o que muito pais não sabem , é que ele pode sim, fazer muito mal à saúde .

Exames feitos com 10 marcas de “miojos” brasileiras mostrou que a maioria delas possuía mais sódio nos pacotinhos de tempero do que o necessário para um adulto no dia inteiro.

Segundo a Organização Mundial da Saúde a ingestão máxima de sal por dia deve ser de apenas 4 gramas por dia, o que equivale a uma colher rasa de café e cada embalagem de macarrão instantâneo traz pelo menos o dobro deste valor.

Ah , doutora ! Mas eu não uso o tempero , só o macarrão …

Embora a maior parte do sódio esteja no tempero pronto o próprio macarrão não é uma opção saudável e por isso a refeição apesar de rápida está cheia de aditivos, corantes artificiais e toxinas, como glutamato monossódico que prejudicam a saúde, à longo prazo.

O miojo é um alimento pobre em fibras e proteínas . Contém glutamato ( para realçar o sabor ) que está associado a alguns tipos de câncer e gordura hidrogenada , que pode levar a deposição de gordura nos vasos sanguíneos , elevando a incidência de infarto e derrames .

Opções rápidas e saudáveis podem ser realizadas com o macarrão comum , a base de farinha de trigo , com legumes .

Sintomas de excesso de sódio

O sal colabora para a retenção de líquidos no corpo e promove aumento da pressão . São doenças “silenciosas” – com pouco sintoma no início – o que prejudica o diagnóstico e o tratamento.

Para identificar o que acontece se comer muito sal, basta prestar atenção aos sinais do corpo: inchaço nas pernas, mãos e tornozelos, falta de ar, dores ao caminhar, pressão alta e retenção urinária.

Seja o exemplo

O conselho é dar preferência a alimentos não industrializados, que possuem uma menor número quantidade de sódio .O ideal é que, no preparo da refeição, não se adicione pouco sal.Se a criança é acostumada a refeições salgadas, seu paladar vai se adaptar a esse padrão.

A orientação para os pais é retardar e reduzir a oferta dos industrializados à meninada, tirar o saleiro da mesa e servir de modelo. São medidas que contribuem para criar um garoto que não vai depender tanto das pitadas de sódio para sentir prazer à mesa .

Incentivar um estilo de vida saudável e funcional entre todos os membros da família faz com que a criança perceba, por meio do exemplo, a importância de se preocupar com a própria saúde. Monitorar o ganho de peso, manter-se sempre dentro do peso ideal, praticar atividades físicas, consumir alimentos sem excesso de sal e gordura são alguns hábitos que garantem uma vida mais saudável, tanto para crianças quanto para adultos.

5 super dicas

1 .Evite comer fora com frequência, porque é impossível saber a quantidade de sal contida nos alimentos preparados nos restaurantes.

2- Não libere refrigerantes e outras bebidas doces diariamente. Restrinja o consumo a ocasiões especiais.

3- Toda criança adora salgadinho. Para não privá-las deste prazer, compre um pacote de vez em quando e divida-o para a semana toda. Assim, seu filho mata a vontade sem prejudicar a saúde.

4- Use a criatividade na hora de temperar os alimentos. Em vez do sal, invista em ervas e outros condimentos naturais, como o limão, por exemplo.

5- Se for fazer um lanche rápido para as crianças, evite os embutidos, como salsicha, presunto e hambúrguer. Prefira sempre o pão integral, que contém menos sódio, e aproveite para incluir alimentos que tenham valor nutricional, como alface, tomate, ovo cozido e algum queijo magro.

Fica a dica .

Erros ao usar o ventilador

As altas temperaturas registradas nos últimos dias estão incomodando até mesmo quem gosta de calor.Tomar bastante água, usar uma roupa mais leve, curtir uma praia ou um banho de piscina ajudam a refrescar, mas para crianças os cuidados devem ser redobrados nesta época do ano.

E aí surge a dúvida , ventilador pode fazer mal a saúde? Pode sim , principalmente se usado incorretamente . Então eu listei alguns dos erros mais comuns que os pais cometem ao usar o aparelho :

1. Criança não sente mais calor

Cuidado com quem regula o ventilador. Com a pandemia as crianças ficaram em casa e não estão submetidas aquele baita calorão que está do lado de fora . Então, ao chegar em casa , não vá ligando e deixando tudo no máximo, pois o choque de temperatura faz mal a saúde de todos , até dos adultos.

Atenção aos bebezinhos! O corpo do recém-nascido resfria e esquenta muito facilmente , porque o centro de regulação de temperatura corporal ainda não está maduro. Assim eles estão mais expostos as variações de temperatura e podem evoluir com doenças respiratórias mais facilmente.

2. Limpeza das pás

O ventilador precisa ser higienizado, prestando atenção especial às hélices, onde a poeira se deposita. Afinal ninguém deseja receber um lufada de vento cheio de poeira e ácaros na cara não é mesmo ?

Atenção redobrada aos ventiladores de teto

3. Limpeza do ambiente

O ventilador é colocar o ar em movimento, criando uma corrente que refresca o ambiente. Mas imagine o que acontece quando se liga o aparelho em uma sala cheia de poeira, com mofos nas paredes e sem incidência de sol. Exato: todas as partículas alergênicas da sujeira, fungos e bactérias ficam circulando no ambiente, o que pode ser seriamente prejudicial a crianças alérgicas.

4. Nunca direto sobre a criança!

Lembre-se de nunca deixar que a corrente de ar incida diretamente na criança, o que pode aumentar o ressecamento das mucosas e levar a gripes e resfriados.

Ventiladores de teto devem sempre ser utilizados no modo exaustor, no qual o ar é direcionado para cima. Já os aparelhos de chão ficam posicionados de frente para a parede: assim, o ar bate e volta, protegendo a criança da corrente de ar .

Nunca deixe seu filho molhado em frente a corrente de ar do ventilador !

5. Não esqueça do umidificador

Um dos efeitos facilmente percebidos ao dormir com o ventilador ligado é a sensação de boca seca e garganta arranhando. Isso ocorre porque o ventilador torna o ar muito seco e, consequentemente, resseca as vias respiratórias ( e você trocou o ar condicionado pelo ventilador por conta da umidade , não é 🤔).

Ventilador também deixa o ar mais seco

Essa sensação ruim pode não só atrapalhar o sono, como provocar irritação na garganta e tosse. Para minimizar o problema, é recomendado utilizar um umidificador de ar ou colocar uma bacia com água no quarto. Além disso, é importante deixar as portas e janelas abertas, mesmo que seja uma fresta, para circular o ar e arejar o ambiente.

Fica a dica.

Já vacinou seus filhos contra o câncer ?

Quantas pessoas não esperam ansiosamente por uma vacina contra o câncer não é mesmo ? Mas o que muitos pais não sabem é que ela já existe e está disponível , gratuitamente , pelo Sistema Único de Saúde.

A vacina contra o HPV é administrada no Brasil há 4 anos e protege meninos e meninas contra vários tipos de câncer ( útero ,pênis, ânus e boca ) . Vacina polêmica , pois muitos pais se recusam a administrá-la . Vamos saber mais antes de recusar algo tão importante ?

Os Papilomavírus Humanos (HPV) são vírus capazes de induzir lesões de pele ou mucosa, as quais geralmente regridem espontaneamente.Aproximadamente 20 milhões de pessoas no mundo são infectadas pelo HPV.

O HPV acomete homens e mulheres e os tipos oncogênicos (que causam câncer) estão presentes em cerca de 99,7% dos casos de câncer do colo do útero; 90% dos casos de câncer de ânus; 64% dos casos de câncer de boca; e 40% dos casos de câncer de pênis.

Estima-se que 80% da população sexualmente ativa terá pelo menos um episódio de infecção pelo HPV na vida.

Felizmente, a maioria das infecções é transitória e evolui para a cura, com eliminação completa do vírus. No entanto, grande parte das infecções são subclínicas, não causam qualquer sintomatologia, mas, em alguns casos, podem progredir para o câncer, se não sejam tratadas precocemente.

Como se proteger do HPV?

Vacinação – evita a infecção (pelos tipos contidos na vacina e contra os quais ela protege) e consequentemente a evolução de lesões. Importante lembrar que as vacinas protegem de parte dos tipos de HPVs.

Preservativo – diminui a possibilidade de transmissão na relação sexual, mas não evita totalmente.

Papanicolau – com o exame ginecológico periódico (Papanicolaou) rastreia-se as lesões celulares do colo do útero causadas pela infecção pelo HPV. É, portanto, uma prevenção secundária, isto é, não previne a infecção mas detecta a lesão e permite prevenir o desenvolvimento de câncer.

Por que vacinar antes do início da vida sexual?

Como acontece com outras vacinas, jovens com menos de 15 anos respondem melhor , com um efeito mais duradouro , à vacinação.

Para que a vacinação seja mais efetiva, o ideal é que ocorra bem antes de contato com o HPV, ou seja, os pré-adolescentes e adolescentes, que por esse motivo são os alvos principais das campanhas de vacinação.

A Sociedade Brasileira de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Imunizações recomendam que a vacina seja administrada o mais precocemente possível, para meninas e meninos a partir de 9 anos de idade.

Esquema vacinal

A vacina está disponível para a população do sexo feminino de nove a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias) e para a população do sexo masculino de 11 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias), com esquema vacinal de 2 (duas) doses (0 e 6 meses).

Fica a dica .

Por que meu filho vive resfriado?

O resfriado é uma infecção das vias respiratórias superiores, causada por vários tipos de vírus. O modo de contágio mais comum é através de gotículas de saliva — quando alguém espirra, libera as gotículas no ar, e elas são aspiradas por outra pessoa. O vírus também pode ser transmitido pelo contato das mãos e objetos pessoais .

Por isso é tão comum que crianças , ao entrar na creche ou na escolinha fiquem mais doentes . Há mais circulação de vírus devido à aglomeração de crianças e o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento . Imagine que para uma criança se tornar imune a uma “virose” ela deve contrair a doença ou tomar a vacina específica . Mas existem mais de 200 tipos de micro-organismos e seu filho só consegue lidar com 1 germe de cada vez .

Em média, crianças pegam entre seis e dez resfriados por ano. Isso mesmo! E, frequentando a escola ou creche, o número de resfriados pode chegar a 12 ao ano. Por isso seu filho não passa mais de duas semanas sem o nariz estar escorrendo.Já os adultos pegam entre dois e quatro resfriados ao ano.

O que fazer ?

A primeira medida seria manter a criança fora da escola até completar 2 anos de idade . A vacinação em dia e o aleitamento materno também contribuem e muito para a imunidade do bebê .

Outras dicas :

• Evite ir ao Pronto Atendimento : procure sempre seu pediatra – pois assim o uso de antibióticos e medicações desnecessárias é menor . O foco é a prevenção da doença .

• vitaminas e suplementos : existem várias opções no mercado e o que funcionou para o seu sobrinho não necessariamente irá funcionar para a sua filha . Converse com o seu pediatra.

• alimentação : frutas e verduras com boa variedade deveria ser uma regra , mas infelizmente hoje é exceção . Não adianta dar remédio se o seu filho se alimenta mal .

• ambiente : não podem ter contato com fumantes e a casa deve sempre estar limpa , com ambientes ventilados e livres de tapetes e cortinas ( acumulam poeira).

Vale a pena tomar alguma vitamina para ajudar ?

Sim! Mas esqueça a boa e velha vitamina C. Estudos mostram que não há eficácia nenhuma complementar esta vitamina para se proteger de gripes e resfriados .

vitamina D : Uma pesquisa japonesa, que contou com a participação de 340 crianças , observou que os riscos de contrair gripe diminuiu no grupo que ingeriu o suplemento de vitamina D .

zinco : O efeito da suplementação de zinco sobre o sistema imunológico apresenta bons resultados em crianças, aumentando o controle de diarréias e infecções respiratórias, bem como favorecendo uma rápida recuperação das funções do sistema imune em casos de pneumonia .

Betaglucana : Substância presente em vários alimentos , possui vários estudos que comprovam a redução de até 25% dos quadros gripais em pacientes saudáveis , além de reduzir o risco de infecções pós operatórias e encurtar o tempo de infecções.

Lactobacilos x imunidade

Certamente você já ouviu falar sobre lactobacilos vivos, porém você sabe o que eles são? Basicamente são um gênero de bactérias benignas ao nosso organismo. Além disso, eles são muito importantes para o bom funcionamento do sistema digestivo.

Esses microorganismos vivos agem na flora intestinal e ajudam na absorção dos nutrientes . Eles melhoram a integridade da parede intestinal e assimilam alguns nutrientes importantes para o organismo, como o cálcio e o ferro.

Alimentos como iogurte, queijo fresco , coalhada e kefir contêm lactobacilos vivos, os mesmos do leite fermentado, mas em quantidades diferentes .

Eles impedem a multiplicação de bactérias nocivas, inibem a produção de toxinas, melhoram a digestão e fortalecem o sistema imunológico. Além disso, eles podem combater as substâncias tóxicas e causadoras do câncer.

Principais alimentos com lactobacilos

Iogurte

Quando o assunto são probióticos, o leite fermentado por bactérias, mais conhecido como iogurte, é um dos alimentos mais lembrados. Ele possui, em geral, dois tipos de lactobacilos vivos: o Lactobacillus bulgarius e o Streptococus thermophilus.

Kefir

Parece um iogurte, mas há diferenças no sabor e na consistência. O kefir pode ser comprado ou feito em casa. Ele é obtido através da mistura dos grãos de kefir (compostos por bactérias e leveduras) com uma bebida, leite ou água .

Leite fermentado

Qual criança resiste ao sabor azedinho de um leite fermentado ? É um leite que sofre fermentação de bactérias –geralmente lactobacilos. Além de conter micro-organismos benéficos para o intestino, o alimento é fonte de proteínas e cálcio, nutrientes presentes no leite. Vale lembrar que o kefir também é um tipo de leite fermentado. 

Lactobacilos são todos iguais?

Não .Os lactobacilos recebem este nome porque vivem no leite , mas há varias espécies de deles : no Yakult temos o L. Casei Shirota , já no Actimel o L.Casei Danone . Ambos são criados em laboratórios e modificados geneticamente para sobreviver a acidez no estômago e viver no intestino do ser humano.

Existem os lactobacilos presentes nas medicações para diarreia ou cólicas , como o Lactobacillus reuteri , Lactobacillus rhamnosus GG (LGG) e o Saccharomyces boulardii . Amplamente utilizados na Pediatria , não possuem efeitos colaterais e auxiliam sim , na imunidade .

O Lactobacillus reuteri , por exemplo , produz a reteurina , uma substância antimicrobiana que mata as bactérias invasoras .

Entretanto , a melhor forma de aumentar as nossas bactérias do “bem” não é recorrer ao uso de medicações ou fórmulas de manipulação , mas sim através dos alimentos .

Somente através de uma dieta rica em frutas e verduras é que os lactobacilos destes alimentos irão se proliferar e colaborar com a nossa saúde .

Fica a dica .

Por que a Vitamina D é mais importante do que a C?

Muitas mães iniciam a suplementação de vitamina C para prevenir gripes e resfriados nas crianças . Mas o que elas não sabem é que esse tratamento não tem comprovação científica e que existem vitaminas muito mais importantes , como é o caso da vitamina D.

Sua atuação vai além da função de promover a a absorção do cálcio e ação no metabolismo dos ossos. Um artigo da Universidade de Brasília aponta que a vitamina D participa da regulação do genoma humano, desempenhando um importante papel na atividade de sistemas como o imunológico, o cardiovascular e o metabólico.

Surgiram tantas novas atuações que há quem acredite que a vitamina D seja mais do que uma vitamina, mas um hormônio.

Ela é fornecida, em quantidades mínimas, pelos peixes, entre eles, sardinha e atum, além de leite e derivados. Mas a dieta não é capaz de suprir nem 10% das necessidades diárias infantis. Os banhos de sol deveriam assegurar a maior parte da produção, já que os raios solares incidem sobre a pele, promovendo a conversão de substâncias presentes ali na vitamina D propriamente dita. Quinze minutos de exposição, com braços e pernas descobertos, são suficientes.

Entretanto, existem dois obstáculos: o melhor horário para sintetizar a substância (entre 10 da manhã e 3 horas da tarde) período crítico para a ocorrência do câncer de pele e o uso de protetor solar , que reduz a produção da vitamina D.Além disso, quanto mais escura for a pele, menor é a produção do nutriente.

Por isso , a Sociedade Brasileira de Pediatria preconiza, além das brincadeiras ao ar livre ,a suplementação de 400 UI diárias para bebês de até 12 meses, e de 600 UI, para crianças de 12 a 24 meses. A recomendação serve para os bebês em aleitamento materno e artificial .

E as crianças maiores ?

Infelizmente, cerca de 80% das pessoas que vivem em um ambiente urbano, são carentes em vitamina D. Isto porque as crianças passam grandes períodos de tempo em locais fechados e não se expõem ao sol. Principalmente no isolamento provocado pelo coronavírus .

Por isso , pediatras têm incluído nos exames de rotina , a dosagem da vitamina D e com frequência , a sua deficiência está ligada à problemas de infecções respiratórias de repetição , como gripes e resfriados .

As necessidades diárias para cada faixa etária :

Benefícios da vitamina D

Ossos mais fortes

A vitamina D é necessária para a absorção do cálcio pelos ossos. Pessoas com deficiência de vitamina D chegam a aproveitar 30% menos de cálcio proveniente da dieta. O cálcio é responsável por fortalecer ossos e dentes. A deficiência deste nutriente pode causar o raquitismo na infância e a osteoporose na vida adulta.

Menos infecções respiratórias

Recém-nascidos com baixos níveis de vitamina D têm seis vezes mais chances de ter infecção no pulmão, porque , segundo os cientistas, a vitamina D protege o sistema respiratório dos bebês.

Uma pesquisa japonesa, que contou com a participação de 340 crianças , observou que os riscos de contrair gripe diminuiu no grupo que ingeriu o suplemento de vitamina D , demonstrando que o efeito protetivo da vitamina D em bebês , se estende também a crianças maiores .

Fica a dica