Lisador é contraindicado no pós parto

Durante a gravidez, tomamos todo o cuidado para não prejudicar o bebê e consultamos o obstetra sobre qual remédio tomar cada vez que nos sentimos mal. Não se esqueça de que , após o nascimento, a recomendação é a mesma. Você continua passando para a criança, por meio da amamentação, algumas substâncias que ingere.

O perigo do lisador na amamentação

Um dos analgésicos mais vendidos no Brasil contém dipirona, prometazina e adifenina. Prescrito com frequências para o pós- parto no controle da dor , este tipo de medicação pode reduzir a produção de leite e propiciar sérios efeitos colaterais ao recém nascido .

Prometazina

Excretado pelo leite materno , pode causar sonolência na mãe e principalmente no recém-nascido, o que pode impactar no desenvolvimento da criança. A prometazina é um anti-histamínico ( antialérgico ) com efeito sedativo – o bebê sonolento mama menos e pode evoluir com problemas de ganho de peso .

Além disso , a prometazina tem efeito anticolinérgico que inibe a secreção do leite.

Dipirona

Recentemente saiu uma nova classificação sobre a dipirona e o seu uso durante a lactação, no site e-lactancia.org, reconhecido pela Academia Americana de Amamentação .O risco passou de provável baixo risco, para ALTO RISCO na amamentação.

Por quê?

Estudos verificaram aumento do risco de leucemia linfocítica aguda em crianças cujas mães tomaram dipirona durante a gravidez e amamentação.

Por isso , até que existam mais dados recomenda-se um uso pontual e limitado, sendo preferíveis alternativas mais seguras (como o paracetamol ou ibuprofeno ) , especialmente durante o período neonatal e em caso de prematuridade.

A Organização Mundial da Saúde considera este medicamento compatível com a amamentação se dado em doses únicas, alertando para evitar as prescrições de horário, além de monitoramento do bebê quanto à ocorrência de sonolência excessiva e outros efeitos adversos.

Quais remédios são seguros ?

O mais importante para tomar a decisão de tomar um medicamento enquanto você estiver amamentando, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, é ter bom senso e o aval do médico.

Antibióticos podem ser usados , como a cefalexina , mas somente após prescrição médica. Analgésicos , xaropes para tosse , anti-inflamatório, tudo deve ser analisado antes , inclusive os fitoterápicos. Nem todos os compostos chamados de “naturais” são seguros para os bebês, por isso, antes de aceitar a dica daquela vizinha ou o conselho de uma tia que tomou um remédio à base de ervas incrível, consulte um médico .

A Sociedade Brasileira de Pediatria elaborou um manual sobre o assunto , que contém todas as medicações e substâncias que podem ou não ser utilizadas na amamentação , que você pode ler no link : http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/amamentacao_uso_medicamentos_2ed.pdf

No manual a dipirona ainda consta como compatível com o aleitamento , pois o estudo descrito no começo deste post foi publicado neste mês , em abril de 2019 e com certeza terá uma nova recomendação .

Leite materno protege bebês contra Covid

O leite materno pode transmitir o coronavírus, assim como ocorre com outras infecções? Essa foi uma das principais questões entre os pediatras para recomendar ou não , a amamentação em tempos de coronavírus.

Pesquisadores da Faculdade de Medicina do ABC estudaram cerca de 200 mães e comprovaram que o aleitamento é seguro e protege o bebê contra o novo coronavírus. Viu que notícia boa ?

O estudo foi publicado recentemente em uma das mais importantes revistas internacionais do mundo que tratam sobre amamentação, a Journal of Human Lactation.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde do Brasil e Sociedade Brasileira de Pediatria é manter o aleitamento materno desde a sala de parto, no alojamento conjunto, Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN), enfim, em todos os setores da maternidade.

PEGUEI COVID , DEVO AMAMENTAR ?

A amamentação deve ser mantida. A mãe suspeita ou com diagnóstico de COVID- 19 pode amamentar se estiver em bom estado geral, se quiser amamentar, tomando alguns cuidados higiênicos e seguindo algumas recomendações, como a seguir:

• Usar máscara facial (cobrindo completamente nariz e boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;

É possível afirmar que a Covid-19 não é transmitida por meio da amamentação  nem durante a gestação

• A máscara deve ser imediatamente trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada;

• Lavar com frequência as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, antes de tocar o bebê ou antes de retirar o leite materno (extração manual ou na bomba extratora). Se não for possível, higienize as mãos com álcool em gel 70%; 

ESTOU TOMANDO MEDICAÇÃO, POSSO AMAMENTAR ?

Não há protocolo definido pelo Ministério da Saúde quanto ao tratamento para pacientes com Covid . então , selecionei algumas das medicações mais usadas ( mas não são necessariamente as mais indicadas ):

• cloroquina ou hidroxicloroquina: possuiem baixa passagem no leite e estudos não demonstraram efeitos adversos nos lactentes.

• azitromicina : pode levar a alguns efeitos gastrointestinais como diarreia e candidíase, mas é considerada segura durante amamentação.

• ivermectina não possui muitos estudos sobre seu uso durante amamentação, mas também é pouco excretada no leite sendo considerada provavelmente segura .

• favipiravir : medicação antiviral ,não tem informação suficiente para avaliar sua segurança, mas sabe-se que pode levar a aumento de enzimas hepáticas e de ácido úrico, então quando utilizado devemos dosar esses exames nos lactentes.

• oseltamivir, utilizado para tratamento de Influenza A e B, é considerado seguro e seu uso é aprovado .

• lopinavir não apresentou nos estudos efeitos adversos nas crianças após uso materno, assim como o remdesevir, mas para esta última os estudos são escassos.

• ribavirina, que é utilizada por lactentes infectados por vírus sincicial respiratório possui seu uso compatível com a amamentação desde que utilizada por curto período.

• dexametasona na amamentação, sabe-se que pode levar a redução da prolactina e consequentemente diminuição da produção de leite, mas seu uso por curto período não demonstra nos bebês efeitos adversos. E a metilprednisolona, já bem estudada, possui baixa concentração no leite materno e sem evidência de riscos às crianças.

• tocolizumabe (anticorpo monoclonal) e os interferon-alfa e beta (citocinas antivirais e com ação imunomoduladora) são considerados seguros.

Será que meu leite está sustentando ?

Será que o meu bebê está engordando e crescendo como deveria? Essa é uma das principais dúvidas dos pais ,especialmente nos primeiros meses de vida do bebê .

Acho que meu leite é fraco …

Não existe leite fraco. O leite materno é o melhor alimento para os bebês devido tanto às suas propriedades nutricionais em quantidade e qualidade ideais, como também a suas propriedades imunológicas, protegendo contra infecções respiratórias, diarreias, promovendo saúde e permitindo um crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Mas meu bebê chora o tempo todo …

Além disso, vale destacar que nem todo choro do bebê é fome. Ele pode chorar por diversos outros motivos: frio ou calor, fralda suja, necessidade de carinho e atenção, dentre outros motivos.

Mas ele não sai do peito …

Recomenda-se mamadas frequentes, sem horário e duração pré-determinados (livre demanda), ou seja, o bebê deve mamar sempre que demonstrar sinais de fome. É importante estar atento para a troca de fralda frequente do bebê, pois este é um bom sinal de que ele está mamando bem .

A digestão do leite materno é mais rápida que a do leite de vaca – aqueles, de fórmula infantil. Por isso a alta frequência de mamadas.

Ganho de peso no primeiro ano de vida

A estimativa do peso serve para qualquer tipo de alimentação , seja aleitamento materno ou fórmulas lácteas . O peso se refere ao mínimo adequado mês a mês até 1 ano de idade .

É importante frisar que no início da vida o bebê vai emagrecer. Isso ocorre por causa da perda de líquidos nos primeiros 10 dias de vida . Normalmente, a criança reduz em torno de 10% do peso corporal, depois esse número volta a subir.

Tabela de ganho de peso no primeiro ano de vida

Mês de vida Ganho de peso

0-3 meses 700 g / mês

3-6 meses 600 g/mês

6-9 meses 500g /mês

9-12 meses 400g/ mês

Numa regra prática , o peso do seu filho dobra até o quinto mês de vida e triplica até o primeiro ano de vida .

Cada criança tem uma curva individual, que avalia mês a mês o que ela engordou em relação aos dados da população brasileira. E existe, sim, uma variação e há desvios esperados – tanto para cima quanto para baixo. Não basta pesar, tem que medir e interpretar.

Existe diferença entre os sexos ?

Sim! O número da balança está relacionado com o sexo do bebê . Os especialistas dizem que, mesmo sutil, percebem uma diferença: os garotos tendem a nascer pesando mais do que as garotas. No acompanhamento ao longo do primeiro ano de vida existem gráficos e curvas para cada sexo , devido às diferenças de peso e estatura .

Quando a perda de peso deve se tornar uma preocupação?

Nos primeiros dois meses, o bebê ganha mais peso do que nunca. Conforme vai crescendo, o ritmo diminui.É nessa hora que muitas mães ficam preocupadas. Algumas, de forma equivocada, param de amamentar o filho com leite materno, pois acreditam que não está sendo suficiente.

Ganhar pouco peso em um mês não significa nada isoladamente .É essencial manter a calma e ter um diálogo aberto com o pediatra, que avaliará todos os sinais clínicos e também fará uma análise dentro da curva de crescimento.

Fica a dica .

Nem todo choro é de fome ou de peito !

Ter um bebê dentro de casa não é uma tarefa fácil , pois os bebês costumam choram muito e os pais nunca sabem ao certo qual é o motivo do choro. É sempre um pânico geral : chacoalha, troca de colo , dá peito , mamadeira , chupeta , liga pra vovó e pediatra . Alguém chame os bombeiros , por favor !

São muitas causas para tudo isso acontecer e pasme , geralmente bem simples e sem necessidade de usar qualquer medicação .

Fome

A fome é o motivo mais comum para o choro dos bebês. Os bebês têm estômago muito pequeno, logo, não suportam uma quantidade grande de leite, por isso eles estão constantemente com fome.

Os pais têm muita dificuldade em avaliar dor e fome nos primeiros meses de vida e acabam utilizando medicações desnecessariamente .

Felizmente, existem algumas formas de identificar o que está acontecendo. É um choro mais calmo e ele dá sinais de que está procurando o peito. Você vai vê-lo com a boquinha aberta, ou procurando o peito. Se colocar o seu dedo na boquinha dele, você vai ver que ele começa a sugar. Isso pode acontecer mesmo após a mamada .

Não se desespere caso o bebê não pare de chorar mesmo após começar a mamar. Algumas crianças só se acalmam depois de sentir o estômago cheio, então dê um tempinho para o seu filho.

Sono

Os bebês precisam de muitas horas de sono, mas, ao contrário dos adultos, eles não conseguem simplesmente fechar os olhos e decidir que vão dormir e a maioria precisa da ajuda dos pais para pegar no sono.

Os bebês ficam cansados facilmente. Eles ficaram exaustos quando recebem muitas visitas, passam de um colo para o outro ou quando saem de casa . Não se engane, o bebê não dorme melhor quando está cansado. Quanto mais cansado o seu filho estiver, mais irritado ele ficará e, portanto, não conseguirá dormir com facilidade, tampouco terá um sono tranquilo.

Quando o seu filho estiver inquieto, com os olhos inchados ou pequenos, bocejando e esfregando o rostinho, tenha certeza que ele quer dormir. Embrulhe o bebê em um cobertor bem quentinho para que ele se sinta seguro e confortável, comece a balançá-lo sem muita força e use sua voz para acalmá-lo, essa é a receita mágica para fazer um bebê dormir.

Fralda suja

Enquanto alguns bebês não se importam nem um pouco com a fralda suja, outros ficam enlouquecidos quando estão sujos de xixi ou cocô. Por isso , quando o seu bebê começar a chorar muito e nada for capaz de acalmá-lo, lembre-se de checar a fralda.

Cólica

A cólica é a vilã do sossego de muitos pais. Os bebês, principalmente os pequenos, sentem cólica, isso é supernormal. Os pequenos têm uma alimentação baseada em leite e é a digestão do leite que causa a famosa cólica. E são poucos os bebês que conseguem passar os primeiros três meses de vida sem ter cólica! Trata-se de uma imaturidade do intestino do neném, que ainda está em formação.

O choro de cólica é aquele que não para por nada: você já tentou amamentar a criança, trocar a fralda, fazê-la dormir e nada do choro parar. A criança que fica se encolhendo e torcendo o corpinho.

Veja aqui algumas opções para acalmar o bebê com cólica, sem ter que utilizar nenhum medicamento :
1- colocar um calor local (bolsa de água quente ou bolsa de semente);
2- colocar o bebê barriga com barriga (pele com pele);
3- colocar o bebê de bruços no seu braço;
4- deixar o bebê mais contido (charutinho) ou no seu colo, que isso vai acalmá-lo;
5- colocá-lo em banho quente ( para que ele possa relaxar);

Tente captar os sinais de seu filho, pois há remédio para esse tipo de desconforto. Dê o medicamento receitado pelo pediatra logo no início da cólica para evitar que a criança sinta muita dor . E não troque o leite antes de consultar o seu médico !

Quem amamenta pode pintar o cabelo?

Antigamente , os médicos eram categóricos : não pode ! Mas com as novas formulações , temos uma vasta gama de opções e a mãe que está amamentando pode sim , pintar o seu cabelo. Dar um tapa no visual ajuda , e muito , na autoestima da mulher .

Foi feito um trabalho elaborado Sociedade Brasileira de Pediatria que desmistifica a ideia de que as mulheres devem parar de tingir o cabelo durante a amamentação.  Se o produto não tiver chumbo em sua composição, a pintura do cabelo é segura.

Para evitar intoxicações por chumbo , dê preferência pelos tonalizantes . Apesar de terem menor duração no cabelo, são mais seguros para o bebê.Outra alternativa seria a Henna que, por ser um produto natural, também não faz mal. Mas precisa ser uma Henna de boa qualidade e que não seja misturada com outras substâncias.

A informação de que tinturas contendo amônia devem ser evitadas durante a lactação, não encontra respaldo científico.

A tinta de longa permanência contém acetato de chumbo que será passado para o seu bebê através do leite e pode causar intoxicação com aumento do risco de câncer e doenças neurológicas .

E as mechas ?

Sim! Podem ser feitas , já que o produto não entra em contato com a raiz . Mas atenção na hora da matização : use tonalizantes .

E a progressiva ?

As escovas progressivas também podem ser realizadas desde que não tenham formol.

Fique calma, há jeito para tudo. Você pode escovar seus cabelos, usar prancha, fazer touca na hora de dormir ou assunir seus lindos cachos.

O que fazer para não cair o meu cabelo ?

Depois do nascimento do bebê, os cabelos caem por causa do declínio hormônios. É importante que mãe consulte o médico para ver se não está faltando nenhuma vitamina no organismo, como o ferro. Se estiver tudo normal, o controle é feito com shampoos específicos, suplementos prescritos pelo especialista e alimentação saudável.

Pelo direito de NÃO amamentar

Um levantamento mundial divulgado hoje aponta que 93% das mulheres no Brasil sentiriam culpa caso não pudessem dar de mamar aos seus bebês.Que mãe se sente culpada por quase tudo, todo mundo sabe. Mas o fato da mãe não amamentar seu filho está massacrando o coração de muitas .

De acordo com a pesquisa, 41% das brasileiras acreditam que o tempo ideal de amamentação vai de seis meses a um ano. No entanto, apenas 33% delas conseguiram de fato colocar em prática a amamentação por este período. Afinal , nossa legislação trabalhista só permite 3 meses de licença e junto com 1 mês de férias , só conseguimos 4 meses para ficar o bebê .

O mito da super mãe

Todas sabemos da importância da amamentação , mas de uma certa forma , também somos massacradas pela sociedade quando isso não dá certo. Muitas pacientes vêm aos prantos no meu consultório quando algo a impede de oferecer o leite ao seu filho .

Por que tanto sofrimento ?

Algumas mulheres simplesmente não gostam da ideia de dar o peito, e outras até tentam, mas sentem que aquilo não funciona para elas. Podem existir várias explicações para esse tipo de sensação, e é possível que você nem consiga expressar muito bem o motivo. Não se sinta pressionada.

Se você parou de amamentar porque precisa tomar remédio , ou porque seu peito rachou , por dor ou até mesmo por opção , não se culpe . O corpo é seu . Não amamentar é um direito seu .

Cada mãe tem sua história e suas dores.É preciso entender que nenhuma mãe que deixa de amamentar o faz sem dor. Todas nós temos o sonho do aleitamento perfeito, igualzinho aos das fotos no Instagram .

Não é fácil cuidar de um filho, ter parto normal, amamentar exclusivamente, trabalhar sem culpa, voltar ao corpo de antes, manter um casamento feliz . Antes de apontar o dedo, devemos nos lembrar : mães precisam muito de apoio, e não de julgamento.

Para as mães que tentaram amamentar, mas não conseguiram, vocês não fracassaram. As pessoas podem te julgar, mas eles não te conhecem. Eles não sabem pelo que você passou. Eles não sabem o quanto você chorou por isso . Eles não sabem o quanto você tentou. Eles não sabem o tanto de coisas que você fez só para tentar ter mais leite.

Você deu tudo de si. Você tentou. E você não fracassou, você venceu e se mostrou uma mãe incrível. Dê a sua mamadeira com orgulho e não deixe que os palpiteiros de plantão te afetem com suas maldades .

Você irá criar vínculos com o seu filho de forma intensa de outra forma .

Sinta-se acolhida !

7 Mitos e verdades sobre recém -nascidos

São tantas opiniões que tem muita mãe que acaba ficando perdida . É meia no pé, agasalhar muito , colocar ou não para arrotar que no final ninguém se entende , não é mesmo ?

Vamos ver os principais mitos e verdades sobre o recém-nascido :

1. Bebês sentem mais frio que adultos, por isso precisam ser superagasalhados.

MITO . Muitos pais agasalham em excesso o bebê, mas essa prática deve ser evitada. O recém-nascido sente um pouquinho mais de frio do que o adulto , mas não é uma diferença tão grande assim. Alguns sinais podem te ajudar a identificar se o bebê está com frio : as temperaturas das mãos, pés e nariz – se estiverem gelados, significa que a criança está com frio .

2. Bebê tem que ficar com meia no pé para não ficar doente .

MITO. Não sei de onde veio essa , mas não tem fundamento algum . No calor você pode sim deixá-lo mais a vontade , inclusive , sem meias .

3. O bebê precisa arrotar cada vez que mamar.

MITO. Se o bebê não arrotar depois de mamar, não se desespere. O arroto só ocorre quando a criança engole ar enquanto suga o leite materno — o que nem sempre acontece. No entanto, se o bebê toma mamadeira ou tem refluxo, é importante que ele seja segurado por alguns minutos na posição vertical (em pé), antes de ser colocado no berço. Os famosos “tapinhas nas costas” não são necessários para estimular a reação.

4. O bebê deve dormir de lado para não sufocar.

MITO. Segundo as especialistas, a posição correta para o bebê dormir é de barriga para cima e só com a cabecinha na lateral. Elas recomendam o travesseiro antirrefluxo — que tem furos. Ele evita o sufocamento caso o bebê vire o rosto durante a noite. Uma outra medida é evitar bichos de pelúcia e cobertores e protetores no berço do bebê .

5.O seu leite é fraco e não sustenta o bebê . Por isso ele não larga o peito .

MITO. Não existe “leite fraco”. A maior parte das mulheres é capaz de produzir o leite em quantidade e qualidade suficientes. No entanto, durante a amamentação, é importante posicionar corretamente o bebê de modo que ele consiga abocanhar totalmente o bico do peito, para estimular a produção constante do alimento.

6. Precisa limpar a boquinha do bebê depois de mamar.

MITO. Usar gaze com bicarbonato ou mel rosado não são indicados para limpeza da boca . Aliás , a manipulação da boca do bebê pode levar ao sapinho decorrente do uso de objetos contaminados .

7. O bebê vai acordar durante a noite para mamar.

VERDADE. Nos três primeiros meses de vida, isso acontece frequentemente — no mínimo três vezes por noite. Isso porque o estômago da criança é proporcional ao seu tamanho, o que fará com que ela sinta fome com mais frequência. Às vezes, o bebê pode querer se alimentar até mesmo de hora em hora, ou a cada duas horas. A medida que ele for crescendo, as mamadas acontecem com intervalo de três horas. Lembre-se : a mamada é de livre demanda , ou seja , quando o bebê quiser .

Chupeta reduz o risco de morte em bebês

Quem nunca foi várias vezes à noite ao quarto do filho para ver se ele estava apenas… respirando? Isso acontece em especial pelo pânico dos pais com a síndrome da morte súbita.A morte súbita é uma fatalidade que pode ocorrer em crianças menores de 1 ano , sem aviso prévio , estudada há muitos anos , sem causa definida.Ocorre durante o sono e possui alguns fatores que aumentam o risco ,como dormir de bruços ,por exemplo.

Após revisar uma série de estudos sobre o assunto, a Academia Americana de Pediatria concluiu que oferecer chupeta para o bebê na hora de dormir reduz o risco de morte súbita de 50 a 90%. Isso ocorre devido o uso da chupeta contribuir para manter as vias aéreas abertas durante o sono.

A outra vantagem da chupeta é a calma que ela traz para a criança e, automaticamente, para os pais. Ao invés de usar a mãe, o bebê usa a chupeta para relaxar, já que muitos deles querem ficar no seio, não por fome, apenas pelo conforto que o ato de sugar traz. Assim os pais medicam menos , para cólica ou dor , pois o bebê dorme melhor e mais calmo.

Quais são os tamanhos, formatos de bico e materiais mais indicados?

Para cada faixa etária, há um tamanho de bico recomendado. Ler as especificações na embalagem antes de comprar garante que a mamãe leve o modelo adequado à idade do seu bebê.

Quanto ao formato do bico, a preferência deve ser sempre pelos ortodônticos, menos prejudiciais aos dentes. E sobre seu material, vale a pena pagar um pouco mais pela chupeta feita de silicone, já que o látex favorece um maior acúmulo de bactérias.

Importante também escolher chupetas cuja parte que fica fora da boca seja anatômica e com algumas características especiais. A parte externa da chupeta deve ser ampla, o que diminui o risco da criança colocar tudo na boca , e com furos , para prevenir uma eventual asfixia e reduzir as dermatites , causadas pela saliva retida entre a chupeta e a pele.

Chupeta prejudica a fala?

Nem toda criança que usa chupeta obrigatoriamente terá problemas para articular as palavras. Porém, nessa fase em que a criança está aumentando sua comunicação verbal, é bom deixar o caminho livre para ela se expressar : não dá para falar corretamente com um objeto na boca .

O que é melhor: chupar chupeta ou o dedo?

Sobre qual dos dois temos maior controle? A chupeta, certo? Pois não há como limitar o acesso ao dedo. Portanto, entre o acessório e o dedinho, melhor ficar com o primeiro.

A chupeta dá problema dentário ?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, os danos causados pelo item dependem de três fatores principais: intensidade, duração e frequência. Problemas de mordida cruzada , alterações dentárias ocorrem com o uso prolongado , quando a criança usa chupeta após os 3 anos de idade.

O que fazer para ajudar a criança a largar a chupeta?

A retirada deve ocorrer de uma forma gradativa : primeiramente, os pais devem procurar não deixar o acessório tão disponível quanto antes e ir avisando à criança que está chegando o dia de deixar de chupar chupeta. Deve-se usar e abusar da fantasia.

Quem sabe a fadinha da chupeta não vem buscá-la à noite? A criança pode deixar o objeto sob o travesseiro e encontrar uma moeda como pagamento pela manhã.

Outra dica é substituir a chupeta gradualmente por outra peça ou atividade que supra o conforto e a segurança que ela oferece ao seu filho. Por exemplo: em vez de dar o objeto para acalmá-lo, tente conversar, cantar uma música, contar uma história, dar colo ou oferecer um paninho. Se ele tem o hábito de dormir com ela na boca, tire assim que pegar no sono, para evitar a sucção durante a noite inteira.

E aqui no Brasil ?

De acordo com o Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP, diversas evidências científicas disponíveis não deixam dúvidas de que o uso da chupeta é um risco à manutenção da amamentação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também desencoraja o uso de chupetas em crianças amamentadas. Por outro lado, a Academia Americana de Pediatria recomenda às mulheres que desejam amamentar que a chupeta seja introduzida após o hábito do aleitamento estar estabelecida, quando a criança tiver em torno de três ou quatro semanas como forma de prevenir a Síndrome da Morte Súbita do Lactente.

O post tem como objetivo informar . Não incentivo o desmame precoce . A opção final é sempre dos pais .

Fica a dica.

7 dicas para acabar com o soluço do seu filho

O soluço é provocado por uma contração do diafragma, um músculo que fica embaixo dos pulmões e está diretamente relacionado com a respiração. Esse espasmo é acompanhado simultaneamente pelo fechamento do canal da respiração e das cordas vocais, o que prejudica a passagem de ar para os pulmões e produz o som típico e característico (“hic”).

Apesar de incômodas e desagradáveis, as crises de soluço costumam ser passageiras e autolimitadas. Elas podem ter como causa a distensão do estômago provocada por comer muito e muito rápido, pelo consumo de bebidas com gás ou pela deglutição de ar , através da ingestão de bebidas gaseificadas , por exemplo .

Bebês estão sujeitos a crises mais frequentes de soluço, uma vez que seu sistema nervoso ainda imaturo não atua adequadamente sobre o diafragma.

Como fazer isso passar ?

Não existe consenso sobre o melhor jeito de acabar com soluços. Como a maior parte dos ataques de soluço dura apenas alguns minutos, é grande o número de tratamentos caseiros e “mandingas”. É muito difícil avaliar se tudo isso realmente funciona , mas como não fazem mal , vale a pena tentá-las no início da crise:

• Prenda a respiração por alguns segundos para aumentar a quantidade de gás carbônico no sangue e, assim, estimular o diafragma a contrair;

• Respire repetidamente dentro de um saco de papel;

• Chupe gelo, uma fatia de limão, beba água gelada, faça gargarejos com água, mastigue pão ou coma uma porção de açúcar cristal para estimular o nervo vago (que vai da garganta até o trato gastrointestinal) a enviar sinais para o diafragma;

• Coce o céu da boca com um cotonete de algodão;

• Sente-se, erga os joelhos até o peito e incline-se sobre eles, fazendo pressão sobre o tórax.

• Desvie a atenção para outra coisa : podem te ajudar fazendo muitas perguntas para deixar de pensar que está com soluço, ou repetir frases como essa: ?Soluço tenho, soluço terei. Se eu passar para o meu pai e se ele não quiser, que me devolva outra vez?

• Beber água tampando os ouvidos, não deve beber depressa, mas pouco a pouco. Com isso, aumenta a pressão intratorácica. Dizem que é milagroso. 

No caso dos bebês , é oferecer uma nova mamada , que o soluço passa .

Todavia, procure o médico se as crises durarem mais de 24 horas, principalmente se interferirem com o sono. Soluço crônico usualmente requer acompanhamento neurológico.

Nos casos de soluço persistente, a preocupação deve voltar-se para  a identificação e tratamento das causas. Para tanto, existem diversos tipos de medicamentos que ajudam a debelar as crises.

Posso amamentar crianças com idades diferentes?

Quando questionada sobre a manutenção do aleitamento simultâneo entre irmãos com idade diferentes , sempre fui categórica ao dizer não , não pode . Mas ao me aprofundar no estudo sobre a prática do tandem , vi que não é tão simples assim.

Às vezes, quando a mãe descobre uma nova gravidez estando em aleitamento materno o primeiro impulso é desmamar o filho o mais rápido possível. Amamentar mais de dois bebês ao mesmo tempo, com idades diferentes, não é uma prática comum, porém não há nada de errado nisso.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) indica amamentar crianças até os dois anos ou mais. Quando há a amamentação de mais de uma criança com idades diferentes, o importante é que não falte alimento para a criança menor. Ela deve ter a prioridade. Se o mais novo estiver com ganho de peso adequado e evoluindo bem, não há contraindicação.

Isto é diferente de amamentação gemelar! As crianças não possuem a mesma idade e as necessidade nutricionais são distintas.

Minha família diz que isso é errado…

Alguns pensam que isto é inadequado. Consideram que enquanto o feto se desenvolve no ventre da mãe, o irmão mais velho estaria se alimentando com os melhores nutrientes através do leite que seria do irmão. Inclusive, há quem pense que pode gerar risco de aborto.

Mas nada disso é verdade. E há muitos estudos feitos por especialistas que comprovam.

5 Dicas para tornar possível a amamentação em tandem:

1. A preferência é sempre do menor

O ideal é amamentar os dois ao mesmo tempo porque além de ser prático, a sucção do maior ajuda na descida do leite fazendo com que o caçula faça menos esforço, mame mais e ganhe mais peso. No entanto, se você não puder amamentar os dois ao mesmo tempo em algum momento, amamente primeiro o recém-nascido e logo em seguida o maior. Seu filho mais velho tem mais imunidade, come outras coisas e pode esperar um pouco mais para mamar.

2. Converse com seu filho mais velho

Converse sobre o novo bebê que está para chegar e as mudanças na rotina de vocês. Conte sobre ter que dar um pouco mais de colo ao outro bebê por ele ser muito pequeno, sobre ele querer mamar mais vezes e que os dois vão dividir o peito juntinhos. Assim será mais fácil para ele compartilhar o peito que até então era só dele.

3. Saiba que seu leite materno vai mudar

À medida que sua gravidez progride, seu leite materno pode mudar de sabor e quantidade. Quando seu novo filho nascer, você estará produzindo o colostro cujo sabor será alterado .

Nesta fase , pode ser que seu filho mais velho rejeite o peito. Pode ser que ele não goste do sabor do leite no período da gravidez e deixe de mamar neste período, porém, ele pode voltar a mamar normalmente assim que o irmão nasce.

4. Não se esqueça de cuidar de si mesma

e alimente de forma bem equilibrada, obtenha calorias extras e se mantenha hidratada sempre que sentir sede. Enquanto você estiver amamentando duas crianças, seu corpo vai precisar de mais energia.

5. Tente descansar e dormir

Atender as necessidades de duas crianças já é bem cansativo, atender as necessidades de duas crianças que mamam no peito mais ainda. Se sentir esgotada por interferir nos seus planos e dificultar ainda mais o processo. Durma sempre que puder, aproveite cada minuto de sono que puder (mesmo que seja de dia), descanse, evite excessos, deixe casa e roupas para depois. Sempre peça ajuda de terceiros se puder.

A amamentação em tandem é algo que você mesma deve decidir fazer ou não no momento em que descobre que está grávida. Se a criança mais velha tem entre 18 meses e dois anos, pode certamente ser uma boa opção.