Como descobrir se meu filho é alérgico ?

Hoje, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia , cerca de 30% dos brasileiros têm algum tipo de alergia, sendo a maior parte dos diagnósticos de alergia do tipo respiratória ou alimentar.

Descobrir a causa nem sempre é uma tarefa fácil . Não existe um único exame capaz de detectar e diagnosticar o alergeno ( substância que provoca a alergia ) , por isso uma boa observação dos pais é fundamental . As respostas imunológicas, entretanto, nem sempre são óbvias. Quando uma pessoa alérgica a cosméticos usa esmalte, por exemplo, a reação não vai aparecer na unha, mas no pescoço e nas pálpebras , por exemplo .

Em geral, as reações podem ser bem diversas: tosse , nariz entupido , manchas, inflamações, coceira, inchaços, bolhas, descamação da pele e urticária em qualquer parte do corpo — em casos mais graves, é possível que ocorra um choque anafilático, o que pode até levar à morte.

Descobrindo a causa

Os sintomas das reações alérgicas variam de organismo para organismo, ou seja, enquanto alguém pode reagir à ingestão de camarão com inchaços e coceira, outra pessoa pode apresentar falta de ar. O tempo de reação também varia. Os sintomas podem ocorrer em segundos, minutos, horas ou até mais tempo, por isso é preciso ficar atento.

Grande parte das alergias se dá por conta de dois agentes principais: proteínas específicas ( leite de vaca e ovo ) nos casos alimentares; e ácaros, nos respiratórios. Vale lembrar que o causador da reação alérgica não é o microrganismo em si, mas os anticorpos que o nosso próprio corpo cria para se defender.

Alergias respiratórias

Ao surgimento dos sintomas , faça um recordatório dos últimos dias . Procure lembrar atividades diferentes , que saíram da rotina : foi na casa da avó que tem cachorro ? Mudou de casa ? Trocou o cobertor ? Isso ajuda muito na pesquisa das alergias respiratórias. Quadros de tosse ou nariz congestionado , sem sintomas gripais , podem começar de uma hora para outra e persistirem apesar das medicações utilizadas .

Principais alergenos :

• ácaros : troque travesseiros , use edredom. Não tenha bichos de pelúcia , carpetes, tapetes e cortinas em casa . Use produtos para eliminar ácaros;

• produtos de limpeza e maquiagem ;

• pó e poeira : evite usar ventilador e limpeza da casa com vassouras . Utilize aspirador de pó com pano úmido e limpe as pás dos ventiladores com frequência .

Alergias alimentares

O leite de vaca, soja, amendoim, ovo, castanhas, trigo, peixes e frutos do mar são responsáveis por 90% das alergias. Mas atenção ! Alguns produtos podem não ser associados com a urticária , mas após uma boa análise , é comum os pais identificarem estes alimentos no recordatório. Por exemplo : barra de cereais ( contém uma grande variedade de grãos , como as castanhas ) , bolos ( nozes , amêndoas, leite e ovos ) , nutella ( castanhas , cacau e leite ) .

Seu filho apresentou uma reação alérgica ? Lembre-se das últimas refeições e se você identificar algum alimento , ofereça novamente e observe possíveis reações .

Nas reações mais graves , procure um alergologista para uma investigação mais ampla e não faça testes caseiros .

Alimentos naturais como kiwi e tomate podem provocar alergia , mas os produtos industrializados estão mais associados com urticárias , devido a presença de corantes e estabilizantes . Após uma crise alérgica , retire tudo que seja artificial , mesmo que a criança já tenha comido anteriormente.

Não seria melhor fazer exames de alergia ?

Segundo os especialistas , exames de pele e sangue podem e devem ser usados para:

• Confirmar uma suspeita de alergia após observadas reações clínicas sugestivas. Por exemplo, crianças com asma moderada a grave devem ser testadas para pólen, mofo, pelos de animais, baratas, ratos e ácaros

• Monitorar a evolução de alergias alimentares estabelecidas por testes periódicos. Medir os níveis de anticorpos pode determinar se alguém ainda é alérgico ou não

• Confirmar alergia a veneno de insetos após uma picada que cause choque anafilático – reação alérgica com risco de vida, em que há dificuldade para respirar, tontura e urticária

• Determinar alergias a vacinas (apenas por testes cutâneos)

Por outro lado, testes de pele e sangue NÃO deve ser indicados:

• Para procurar alergias em crianças e adultos sem sintomas

• Em crianças com histórico de reações alérgicas a alimentos específicos. Nesse caso, o teste não acrescenta valor diagnóstico

• Para testar alergia a medicamentos. Geralmente, os exames de sangue e pele não detectam anticorpos aos remédios.

Bebê cheiroso e sem alergia !

Seu bebê tomou o primeiro banho e você já está passando um perfuminho? Saiba que os pediatras não recomendam o uso de cosméticos em bebês, já que eles ainda não possuem o sistema imunológico desenvolvido e podem ter alergias a produtos muito comuns, como sabonetes e hidratantes .

A pele do bebê é muito sensível, inclusive ao perfume da mãe . Por isso evite o uso de qualquer cosmético. Uma boa dica é usar o mesmo produto do seu bebê.


A alergia pode causar bastante incômodo para o bebê, por isso é importante consultar um pediatra assim que forem observadas as primeiras alterações na pele para que seja possível identificar a causa da alergia e se possa iniciar o tratamento.

As principais causas de alergia no bebê são:

  1. Calor: O calor excessivo, causado tanto pelo o uso de muitas roupas quando pela exposição excessiva ao sol, pode levar à irritação da pele manifestada na forma de brotoeja. São pequenas bolinhas vermelhas que podem surgir no pescoço, debaixo dos braços ou na região da fralda, podendo resultar em coceira.
  2. Tecidos: Pelo fato da pele do bebê ser bastante sensível, alguns tecidos podem causar reações alérgicas no bebê, como por exemplo lã, sintético, náilon ou flanela, pois impedem que a pele respire adequadamente. Assim, é mais indicado o uso de roupinhas de algodão;
  3. Agentes químicos: Alguns tipos de talco, shampoo ou cremes hidratantes podem causar irritação na pele do bebê. Por isso é importante prestar atenção a qualquer alteração na pele do bebê após a utilização de qualquer um desses produtos.

DEU ALERGIA , E AGORA ?

Lave com água em abundância e use sabonete neutro e glicerinado. Evite usar pomadas ou loções por conta própria para evitar que piore a lesão.

Cuidado com as “pomadinhas” de alergia a base de corticoide ! O uso deve ser por um período curto.

O local da lesão auxilia na elucidação do diagnóstico. Uma lesão que acomete somente braços e pernas , sem afetar áreas cobertas como troncos e perineo , indica alergia a um produto aplicado diretamente na pele , como.protwroe solar ou perfumes .

Já lesões em áreas de pescoço, axila e costas é muito provável ser decorrente do calor . Converse sempre com o seu pediatra e evite medicar por conta própria.

DICAS

• Caso a mãe queira deixar um cheiro agradável na pele do bebê, ela poderá fazer um chá natural com camomila e colocar na água do banho. Isso o deixará com um cheirinho gostoso e a pele bem fresquinha .

• Os óleos aromáticos ou os cremes hidratantes formulados especificamente para crianças e bebês são uma boa alternativa , sem agredir o ph natural da sua pele.

• Não use formulações com álcool. É uma substância agressiva para a pele das crianças, especialmente para os bebês porque resseca e irrita, e em contato com os olhos causa coceira e vermelhidão.

• A pele da criança é mais sensível e  absorve as substâncias mais rapidamente. Então, produtos como filtro solar, xampu e loção hidratante devem sempre ser adequados para idade e dê preferência aos produtos hipoalergênicos. • Use perfumes nas crianças maiores   acima de 1 ano.

Alergia ao ovo e seus mitos

Está pensando em adicionar o ovo no cardápio do seu filho? Vá em frente! A partir dos 6 meses de idade , o ovo deve ser inserido na dieta da criança.

Até um tempo atrás acreditava-se que primeiro deveria ser introduzida somente a gema e depois a clara. Essa não é mais a recomendação geral : estudos recentes e o próprio manual da Sociedade Brasileira de Pediatria recomendam a introdução de GEMA E CLARA já na primeiras papinhas.

O ovo é um alimento riquíssimo para oferecer ao bebê e à criança. Fonte de proteínas e vitamina B12, B2, B5, A , ferro e selênio.

O jeito CORRETO de oferecer o ovo ao bebê é com clara e gema bem cozidas, para evitar a contaminação por bactérias. Comece oferecendo 1/4 do ovo para perceber a aceitação e reação do bebê e vá aumentando a quantidade aos poucos. 

Mas e a tal alergia do ovo ?

A alergia ao ovo geralmente se inicia nos primeiros anos de vida . É considerada a segunda alergia alimentar mais comum, competindo com o leite de vaca.

Geralmente as alergias alimentares se manifestam em crianças predispostas geneticamente. As manifestações alérgicas se iniciam poucos minutos após a ingestão do ovo, podendo a criança apresentar sintomas na pele: urticária e angioedema, dermatite atópica, sintomas respiratórios (asma e rinoconjuntivite), sintomas gastrointestinais (vômitos, diarreia e dor abdominal) até a anafilaxia (quadro mais grave).

Como saber se meu filho tem alergia ?

A suspeita diagnóstica inicial é feita através da observação dos pais ao oferecer o alimento . Em caso de surgirem manifestações alérgicas , como vermelhidão e edema de lábios , os testes alérgicos são recomendados.

O tratamento baseia-se na exclusão do ovo da dieta durante 1 a 2 anos. Os pais deverão receber orientação verbal e por escrito quanto a fontes prováveis do ovo na alimentação habitual, sobre termos e sinônimos de ovo.

Se a criança estiver em aleitamento materno, a mãe deverá ser orientada a excluir ovo de sua dieta.

E as vacinas que levam ovo?

• A vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) já não contém mais a proteína do ovo e pode ser aplicada tranquilamente sem nenhum problema.

• A vacina da gripe pode ser administrada com segurança a pacientes com alergia ao ovo.Nos últimos anos, tivemos avanços que permitiram reduzir substancialmente a quantidade de ovo utilizada na produção das doses.Com essa evolução, a probabilidade de um evento adverso alérgico ficou muito pequeno, quase nulo.

A vacina da febre amarela é a única que ainda possui restrições para alérgicos ao ovo . Não está contraindicada , mas deve ser analisado pelo pediatra quando e como tomar .

Atenção !

O consumo de ovo é indicado devido ao grande valor nutricional , a partir do sexto mês de vida . Recomenda- se a observação de sinais de alergia ( urticária , vermelhidão , edema ) e em caso de dúvida , relatar ao seu médico.

A ingestão do ovo não serve para “acostumar o corpo ” e poder tomar a vacina da febre amarela , mas para diagnosticar possíveis alérgicos antes da aplicação .

Fica a dica .

Quais as principais causas de alergias em crianças ?

A alergia é definida como uma reação exagerada a substâncias estranhas ao organismo. Embora os especialistas conheçam os mecanismos imunológicos envolvidos nos processos alérgicos, não se sabe porque algumas pessoas têm alergia, outras não. Uma simples picada de marimbondo pode levar uma criança a sofrer risco de morte, enquanto não tem nenhum efeito nos seus irmãos.São mais comuns em crianças , principalmente aos 3-4 anos de idade , devido a imaturidade do sistema imunológico .

Alergias respiratórias

São as alergias mais frequentes , principalmente na infância . Asma e rinite provocam tosse e congestão nasal , respectivamente, e podem ser desencadeadas pelo uso de alguns produtos :

produtos de limpeza : álcool , querosene , desinfetante ;

reformas da casa : massa corrida , tintas e solventes . Se for reformar ou pintar a casa , a criança deve ser retirada até o término da obra ;

perfumes e desodorantes : nunca utilize ! O cheiro fica próximo as vias aéreas e permanecerá na criança ao longo do dia .

ácaros : vilões que ficam escondidos em pelúcias e cobertores , são facilmente removidos com produtos específicos e com uso de capas protetoras .

E os pelos de animais ?Crianças que crescem com gatos e cães têm menos chances de desenvolver alergias, de acordo com um estudo publicado no Jornal da Associação Médica Americana.

Alergias alimentares

Segundo uma revisão de estudos publicada no periódico Current Opinion in Pediatrics, leite de vaca, soja, amendoim, ovo, castanhas, trigo, peixes e frutos do mar são os alimentos responsáveis por 90% das alergias. Mas , nem por isso devem ser excluídos da dieta para prevenção !

Não é possível classificar o tipo de alimento e sintoma alérgico causado, pois variam muito para cada paciente.

As alergias alimentares da infância tendem a desaparecer conforme a criança cresce. Já aquelas que aparecem na fase adulta tendem a ser mais graves e irreversíveis.

O único modo de saber se uma pessoa é alérgica a um alimento é observar os sintomas que manifestados quando a comida é ingerida. Exames sanguíneos que apontam alimentos aos quais uma pessoa pode ter sensibilidade são dispensáveis, pois não indicam que, necessariamente, o indivíduo desenvolverá uma alergia.

Alimentos mais perigosos

• leite de vaca : A alergia à caseína, proteína do leite, é mais comum em crianças e, nestes casos, tende a desaparecer com o passar dos anos. Quem tem alergia ao leite de vaca também terá reação a seus derivados, como iogurte, queijo ou a qualquer produto que leve este item em sua composição, como o chocolate.

ovo: o alérgico não pode ingerir nenhuma parte do ovo, já que no alimento há um contato direto entre a gema e clara.
Também é importante estar atento ao rótulo e à composição dos alimentos, pois a albumina é frequentemente usada isoladamente em marshmallows, comidas congeladas e outras misturas para alimentos.

frutos do mar : Estes alimentos são a principal causa de alergia alimentar em adultos. Isso acontece porque estes alimentos contêm muitas proteínas diferentes que podem desencadear as reações do organismo.

• amendoim: Um estudo divulgado neste ano no periódico New England Journal of Medicine afirma que, ao contrário do que se acredita, se você quer que seu filho não desenvolva alergia a amendoim, é preciso começar a dar o alimento a ele a partir dos onze meses de idade. Crianças que comem amendoim com frequência são as que menos desenvolvem alergia.

trigo : Ao contrário do que se acredita, a alergia ao trigo não está relacionada ao glúten. O sistema imunológico dos alérgicos ao trigo identifica a proteína gliadina como o componente que poderia prejudicá-lo e passa a enviar anticorpos para combatê-la. Por isso, é preciso estar atento ao rótulo e aos ingredientes dos alimentos, pois pães, bolos, cereais, macarrão, farinha, entre outros contêm o grão.

Por que tanta alergia à alimentos ?

De acordo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, nos últimos quatro anos houve uma mudança no perfil da prevalência das alergias alimentares no Brasil. Aumentaram os casos de pessoas alérgicas a aditivos alimentares (compostos presentes em alimentos industrializados), amendoim, milho, gergelim e frutas tropicais (banana, mamão, kiwi), que não eram muito comuns no país.

Ainda não existem motivos comprovados que expliquem essa mudanças, mas supõe-se que se deva a mudanças nos hábitos alimentares, dietas repetitivas ou muito restritivas, menor contato com a natureza e maior ingestão de alimentos industrializados.

Meu filho vai ser alérgico pelo resto da vida?

Em alguns casos, a criança se livra da alergia quando cresce. Isso é bem comum quando se trata de alergia a leite. Em outros, a alergia fica mais forte na vida adulta. E, às vezes, a criança desenvolve um novo tipo de alergia quando é mais velha.

Qual é o tratamento para alergias?

O tratamento com medicamentos é feito com anti-histamínicos e corticosteróides, sempre sob orientação médica, mas o modo mais simples de acabar com a alergia é eliminar o agente causador.

Como saber se meu filho é alérgico a picada de inseto?

Com o aumento da temperatura as crianças passam a usar roupas mais curtinhas e a presença dos insetos também aumenta . Quando o bicho pica , dói e causa muita coceira , mas como saber se meu filho é alérgico a picada de inseto ?

Temos dois tipos de inseto : os sugadores e os venenosos. Os insetos que picam, como os pernilongos e pulgas , não causam reações graves , como falta de ar. Todas as crianças terão no local da picada , vermelhidão e coceira , isso isoladamente não indica alergia .

Porém, os insetos que ferroam, como abelhas, vespas e algumas formigas, as picadas contêm agentes estranhos ao seu organismo e, podem fazer mal e causar reações alérgicas graves .

Quando os agentes entram em contato com seu corpo, o sistema imunológico — sistema de defesa do corpo — entra em ação. Ao se sentir ameaçado por um agente estranho, como no caso de uma picada de inseto, o corpo libera histamina (e outras substâncias inflamatórias) no local da picada.

Quanto mais histamina é liberada, mais importantes são as reações : coceira , vermelhidão , inchaço e até falta de ar , como nos casos de alergia grave .

E, dependendo de quão alérgica é a pessoa, a picada pode causar uma reação que ameaça a vida. A maioria das pessoas não é alérgica, mas, ao saber a diferença, você pode decidir se precisa consultar um médico, ou não.

Por essa razão, neste post, vamos explicar a você por que ocorre a reação alérgica e quais são os sintomas.

Como saber se a criança é alérgica a picada ?

Infelizmente, não dá para prever . Só sabemos se uma pessoa é alérgica ou não após a picada .

Normalmente a reação alérgica leve é tratada com medicamentos antialérgicos ou pomadas . Quando a alergia a picada de inseto ocorre no nível mais grave, somente o serviço de emergência médica poderá tratar o paciente.

Esses casos exigem medicamentos específicos, que serão orientados pelo seu médico no caso de um novo acidente . São medicações injetáveis e devem sempre estar a disposição da criança .

Lembrando que as alergias possuem grande influência genética. Portanto, se os pais ou algum parente próximo tem alergia, é sempre bom ficar atento. Em caso de rinite, asma ou dermatite, o risco de também é maior.

Mas meu filho tem muita reação a picada de pernilongo , não será mesmo alergia ?

Sim , ele pode fazer uma reação local , mas nada além disso . O maior problema é que as picadas de insetos sugadores sempre são múltiplas – eles picam vários lugares em um único momento – e isso provoca muita coceira .

O gelo alivia a coceira e, além das pomadas com antialérgico, outras mais naturais, à base de aloe vera e arnica, por exemplo, também amenizam o desconforto.Evite pomadas de corticoide e use em pouquissima quantidade , 2 vezes na semana . Após 7 dias a maioria das lesões já estarão resolvidas , mas no caso de uma nova picadura , as lesões antigas podem voltar a ficar avermelhadas . Por isso é fundamental o uso de repelentes para melhora definitiva .

E tem exame para diagnóstico?

Sim.O teste cutâneo detecta quais alérgenos sensibilizam o paciente e o resultado sai na mesma hora . Procure um alergologista e obtenha mais informações .

Corantes causam hiperatividade ?

Em nosso dia a dia as cores desenvolvem um papel especial na alimentação , pois tornam o alimento mais atrativo às crianças . Os corantes podem ser naturais ( a base de plantas e animais ) e artificiais (produtos derivados do petróleo ou do carvão mineral).

Embora seja regulamentado pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os produtos artificiais estão associados a quadros de alergia e alguns estudos sugerem a associação entre corantes e o aumento da incidência de transtornos de déficit de atenção e hiperatividade.

O corante mais perigoso

A tartrazina pertence ao grupo dos aditivos alimentares que conferem cor amarelada aos alimentos e medicamentos . Derivada do coaltar (substância com ação anti-inflamatória), contém algumas semelhantes ao ácido acetil-salicílico (AAS) e outros anti-inflamatórios não hormonais. Por isso, algumas pessoas sensíveis a esses remédios podem também ter reação alérgica ao ingerir alimentos com tartrazina.

No Brasil, a tartrazina tem o seu uso restrito e regulado pela Anvisa, devido a possíveis reações alérgicas em pessoas com asma, bronquite e urticária.

Sintomas de alergia a corantes

Os sintomas podem aparecer imediatamente ou alguns momentos após o consumo. É possível notar inchaço, principalmente em volta dos olhos e boca. Além disso, placas vermelhas podem aparecer pelo corpo, causando coceiras entre média e alta intensidade.

Os sintomas comuns são:

• Manchas/placas e vermelhidão na pele

• Coceira

• Dificuldade para engolir e respirar

• Mal-estar

• Inchaço

A alergia verdadeira a corantes é rara e restrita a poucos corantes. O que eles fazem é contribuir para a piora das doenças alérgicas.

O corante natural mais comum: suco de inseto

A pressão dos órgãos de saúde fez com que muitas indústrias alimentícias trocassem os corantes artificiais pelos naturais . Os mais utilizados são derivados da cana de açúcar , beterraba e de animais .

Animais ? Sim! Até o Petit Suisse do seu filho se tornou mais saudável : hoje em dia o corante vermelho utilizado deriva de uma substância de conchonilhas .

As conchonilhas são pragas que afetam as plantações e você encontra até no vasinho da sua casa . Quando esmagada , ela libera uma substância avermelhada , o corante carmim.

Ainda que muitos consumidores não saibam que a expressão “corante natural” se refere à tinta derivada deste inseto, o corante não é tóxico ou cancerígeno como muitos outros corantes vermelhos artificiais.

E a associação com a hiperatividade?

Existem diversos estudos , mas nenhum que comprove a relação entre corantes e hiperatividade ou déficit de atenção . Existem análise indicando uma maior incidência , mas sem relação direta , como causa e efeito.

Vacina de rotavírus pode levar ou piorar a alergia a proteína do leite de vaca?

Recentemente recebi uma mensagem de uma mãe em dúvida sobre vacinar ou não sua filha contra o rotavírus . Estarrecida , a orientei não seguir fake news e parentes desatualizados , mas para minha surpresa a sua recomendação vinha da pediatra da criança .

Nas redes sociais, é fácil ler depoimentos de pais e mães cujos filhos ( segundo eles) sofreram reações graves à vacina ou comentários sobre ” conheço alguém ” ou “fiquei sabendo do filho de uma pessoa ” . E para esse tipo de notícia viralizar não custa muito.

Mas não são apenas crenças ou falta de vacinas que fazem com que a carteira de vacinação de algumas crianças brasileiras esteja desatualizada. Ainda que seja raro encontrar pais contrários à vacinação como um todo, existem famílias que optam por “pular” algumas delas. O medo dos efeitos adversos é o principal motivo. Entre elas, está a que combate o rotavírus.

Mas e quando o pediatra passa uma desinformação sobre vacina ?

Mitos sobre a vacina

Em nota conjunta , as Sociedades Brasileiras de Imunizaçoes (SBIm), de Alergia e Imunologia (ASBAI) e de Pediatria (SBP) – por seus Departamentos Científicos de Imunizaçoes, Alergia e Alergia alimentar , emitiram uma nota para prestar esclarecimentos sobre a vacina .

…”Nao há estudos publicados que demonstrem aumento ou desencadeamento de alergia a proteína do leite de vaca em crianças vacinadas contra o rotavírus”…

Mas e o sangue nas fezes ?

Um efeito colateral raro da vacina é a presença de sangramento nas fezes – a cada mil crianças , uma pode apresentar esse sintoma . Mas mesmo a presença do sangramento não contraindica doses futuras . Ele é autolimitando e sem intercorrências , mas infelizmente até na Unidade Básica de Saúde alguns profissionais têm orientado mães a suspenderem as demais doses .

No Simpósio Internacional Anual sobre Rotavírus realizado em 2016 em momento algum se estabelece uma relação vacina rotavírus e alergia ao leite . A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) endossa o posicionamento do Ministério da Saúde brasileiro ao esclarecer que essa vacina não contém a proteína do leite de vaca em sua composição. Tampouco há evidências científicas do desenvolvimento de alergia ao leite desse animal após a administração do produto.

Por que dar ?

Mas e se o meu filho tiver boa condição de higiene , preciso dar mesmo assim? A resposta é sim!

À medida que as doenças são erradicadas, a população acha que não precisa mais ser imunizada. Muitos pais nunca viram doenças graves, como o sarampo e a poliomielite, exatamente porque elas deixaram de existir. Assim, a população começa a achar que essas doenças não são graves ou não têm importância.

A infecção pelo rotavírus é a principal doença diarreica grave em crianças, sendo responsável por grande número de internações. Pode, ainda, levar ao óbito. Sem contar que tem alta capacidade de disseminação, causando surtos. Segundo especialistas , a vacinação já reduziu em 22% as mortes por diarreia em crianças de até 5 anos.

Fica a dica .

Xi , o remédio deu alergia

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a alergia medicamentosa é qualquer efeito não intencional, nocivo e indesejado de um remédio , que é observado nas doses habituais .

As reações alérgicas aos medicamentos não são comuns, ou seja, não se espera que elas ocorram. Os sintomas incômodos se manifestam de acordo com o organismo do paciente. Devido a isso, as reações são variáveis, podendo ir de erupções cutâneas a efeitos mais graves.

As manifestações alérgicas aos medicamentos podem ocorrer de três formas:

• Imediatas: ocorrem quase que simultaneamente a administração da droga;

• Aceleradas: acontecem após um período de 2 a 48 horas depois do uso;

• Tardias: se manifestam somente após 48 horas da utilização do remédio .

Por que isso acontece?

A reação alérgica aos medicamentos é causada devido a uma atividade exagerada do sistema imunológico contra determinado remédio, que é reconhecido como um invasor pelo organismo. Após o primeiro contato com o fármaco o organismo produzirá os anticorpos contra o agente invasor, armazenando-os em células específicas.

Quando o corpo entra em contato novamente com o remédio, os anticorpos “alertam” essas células que, então, liberam certas substâncias químicas para combater o medicamento, ocasionando certos problemas.

Quais os sintomas e o que fazer em caso de reação alérgica grave?

No caso de reação leve, vermelhidão ou coceira em pequenas áreas do corpo, o primeiro passo é suspender a medicação. Procurar seu médico para avaliação.

Os sintomas da alergia na maioria das vezes desaparecem após a suspensão ou substituição do remédio. Se isso não ocorrer , o tratamento pode incluir o uso de medicamentos anti-histamínicos (antialérgico) e corticoides.

As reações alérgicas graves podem evoluir rapidamente e provocar os seguintes sintomas:

• Dificuldade para respirar;

• Inchaço nos lábios ou na garganta;

• Desmaio;

• Tontura;

• Confusão mental;

• Batimentos cardíacos acelerados;

• Urticária (lesões vermelhas na pele, parecidas com vergões, que surgem rapidamente e coçam muito);

• Cólicas;

• Náuseas e vômitos.

Tem como prevenir ?

São várias as maneiras de se prevenir alergias a medicamentos. Uma delas é evitar os remédios que, comumente, causam mais alergias, como os anti-inflamatórios e antibióticos. Fique atenta com a validade , principalmente dos produtos já abertos , pois a data não será a mesma da embalagem fechada .

Não há como prever se uma pessoa terá alergia a medicação antes de usá-la.

No caso das pomadas e medicamentos que são utilizados na área externa do organismo, eles podem ser testados aos poucos, em determinados locais do corpo, antes de serem utilizados de forma completa.

Super alimento de hoje: pasta de amendoim!

O amendoim pode ser classificado corriqueiramente como castanha devido ao seu perfil nutricional, porém, ele pertence à classe botânica das leguminosas, ou seja, é parente do feijão, lentilha, ervilha etc. Iremos explorar a seguir os benefícios do amendoim, mostrando as propriedades para saúde e boa forma.

Não deve ser dado na forma de grão, torrado e assado devido ao risco de engasgo para as crianças e alto teor de sódio .Nutricionalmente possui uma série de vantagens :rico em vitaminas e minerais, incluindo vitamina E e vitaminas do complexo B, cobre, manganês, molibdênio, fósforo, magnésio, zinco, ferro e potássio. Contém também fibras solúveis e insolúveis, gorduras boas e proteínas.

Pensando nisso que o médico Ambrose Staub em 1903 decidiu triturar os grãos do amendoim até virar uma pasta , para oferecer a pacientes idosos que não possuíam dentes , para melhorar a dieta com um alimento proteico e calórico .Assim nasceu a pasta de amendoim.

Qual a diferença entre pasta e manteiga de amendoim?

A pasta de amendoim pode ser oferecida a a criança a partir de 11 meses , com bolachas ou frutas . Nunca havia oferecido aos meus filhos ou orientado meus pacientes devido ao medo de alergia.

A alergia ao amendoim não é comum no Brasil ,mas nos Estados Unidos ela afeta cerca de 2% das crianças , sendo uma das principais causas de reação alérgica com maior gravidade e ao contrário dos demais alimentos , a alergia ao amendoim não desaparece com a idade.

Entretanto , um estudo com cerca de 600 crianças com idade entre 4 a 11 meses , todas com risco de serem alérgicas ao alimento , utilizaram o amendoim na sua dieta e o resultado foi incrível: entre as crianças que consumiram o amendoim , o risco foi 81% menor de desenvolver alergia em comparação ao grupo que não recebeu o alimento.Com isso os especialistas recomendam: para evitar a alergia ao amendoim , o alimento deve ser oferecido precocemente.

Já em relação a outros alimentos alergênicos ( camarão , por exemplo) ainda não existem estudos conclusivos ,mas com certeza a conclusão deste abrirá novas frentes de pesquisa.

Existem várias receitas de pasta de amendoim , mas basicamente você pode triturar no liquidificador até virar uma pasta e acrescentar mel ou açúcar .Mas se você nasceu nos anos 80 , com certeza a sua mãe te ofereceu isto:

Só tenha cuidado com os produtos industrializados devido à adição de óleo, açúcar e outros ingredientes que podem tornar o produto mais calórico do que a preparação caseira.

Fica a dica.