Meu filho parou de comer. E agora?

Aquele bebezão que comia de tudo agora com 2 aninhos não quer mais saber de comer direito ? Rejeita tudo e você já apelou para a vitamina e até o Biotônico mas nada parece dar certo?

Fique tranquila. É só mais uma fase!

Entre 1 e 5 anos de idade muitas crianças apresentam um ganho de peso de somente 2 a 3 quilos por ano mesmo tendo ganho cerca de 7 a 8 quilos no primeiro ano de vida. E por isso parece que seu filho nunca sai dos “13kg” .

Isso ocorrer porque, uma vez que elas não crescem tão rápido nesta fase , a necessidade de calorias é menor e por isso aparentam ter uma diminuição do apetite. Sim, aparentam, porque na verdade , elas estão comendo o suficiente.

E não adianta apelar para o remédio de apetite ou vitamina : a quantidade que uma criança decide comer é determinada pelo centro de apetite no cérebro portanto, comem a quantidade necessária para o crescimento e gastos.

Confie no centro do apetite de seu filho. A razão mais comum para algumas crianças aparentarem não sentir fome é que a oferta de snacks , mamadeira e guloseimas é tanta que nunca sentem realmente fome. Por isso é tão importante mater as refeições em horários definidos, a cada 3 hs .

Ofereça a seu filho duas guloseimas nutritivas por dia, no máximo, e somente se ele pedir. Se seu filho sente sede no intervalo das refeições dê água para aliviar a sede e não suco ou mamadeira . Limite a ingestão de sucos para no máximo 200 ml por dia e deixe seu filho uma ou duas refeições sem comer, caso deseje, então observe o retorno do apetite. Perder uma refeição nãoéo fim do mundo.

VAMOS PARA MAIS DICAS ( E QUE FUNCIONAM MUITO MAIS DO QUE QUALQUER REMÉDIO)

• Não brigue ou ameace . O tempo das refeições deve ser agradável e não uma guerra.

• Deixe comer com a mão e fazer sujeira a vontade: comece a oferecer alimentos na mão de seu filho aos 6 ou 8 meses de idade, tais como frutas, biscoitos, legumes que permitem que se alimente, mesmo antes de ser capaz de usar uma colher. O erro mais comum é pegar a colher ou garfo da criança e tentar colocar comida na boca dela e as vezes sob ameaça.

Limite a ingestão de leite a cerca de 500 ml por dia : leite é tão calórico quanto a maioria dos alimentos sólidos. Beber leite demais pode suprimir o apetite, principalmente se oferecido próximo ao horário do almoço e jantar

Sirva pequenas porções , bem menores do que aquelas que o seu filho irá comer : o apetite de seu filho é suprimido se for servido mais do que ele é capaz de comer ( estranho não é mesmo ?). Se servir a seu filho uma pequena quantidade de alimento em um prato grande é mais provável que ele termine de comer e tenha um sentimento de cumprimento do dever. Se quiser mais comida, espere que peça.

Torne o horário das refeições agradável : atraia seu filho para conversas durante a refeição. Evite a transformação da hora das refeições em momentos de discussão ou em uma sessão de tablets e celulares.

Não prolongue o horário da refeição : bastam 40 minutos de espera. Não force a se sentar à mesa após toda a família já ter se alimentado.

Por que NÃO devemos dar Miojo Lamen as crianças ?

O sal na dieta aliado a baixa prática de atividade física , virou uma verdadeira “bomba-relógio” para a saúde das crianças .Na prática do consultório eu tenho presenciado um número cada vez maior de crianças e adolescentes com pressão alta . E isso realmente é preocupante !De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia , cerca de 10% das crianças e adolescentes têm pressão alta.

Você sabia que até o sorvete de chocolate tem sal? Sim! Não é preciso ter um gosto salgado para ser composto com esse ingrediente, introduzido na culinária pelo seu potencial de conservação . Esse é o chamado sódio oculto.

Meu filho adora Miojo, faz mal para saúde doutora?

Em muitos lares , o macarrão instantâneo ( Miojo Lamen) faz parte das refeições das crianças . Mas o que muito pais não sabem , é que ele pode sim, fazer muito mal à saúde .

Exames feitos com 10 marcas de “miojos” brasileiras mostrou que a maioria delas possuía mais sódio nos pacotinhos de tempero do que o necessário para um adulto no dia inteiro.

Segundo a Organização Mundial da Saúde a ingestão máxima de sal por dia deve ser de apenas 4 gramas por dia, o que equivale a uma colher rasa de café e cada embalagem de macarrão instantâneo traz pelo menos o dobro deste valor.

Ah , doutora ! Mas eu não uso o tempero , só o macarrão …

Embora a maior parte do sódio esteja no tempero pronto o próprio macarrão não é uma opção saudável e por isso a refeição apesar de rápida está cheia de aditivos, corantes artificiais e toxinas, como glutamato monossódico que prejudicam a saúde, à longo prazo.

O miojo é um alimento pobre em fibras e proteínas . Contém glutamato ( para realçar o sabor ) que está associado a alguns tipos de câncer e gordura hidrogenada , que pode levar a deposição de gordura nos vasos sanguíneos , elevando a incidência de infarto e derrames .

Opções rápidas e saudáveis podem ser realizadas com o macarrão comum , a base de farinha de trigo , com legumes .

Sintomas de excesso de sódio

O sal colabora para a retenção de líquidos no corpo e promove aumento da pressão . São doenças “silenciosas” – com pouco sintoma no início – o que prejudica o diagnóstico e o tratamento.

Para identificar o que acontece se comer muito sal, basta prestar atenção aos sinais do corpo: inchaço nas pernas, mãos e tornozelos, falta de ar, dores ao caminhar, pressão alta e retenção urinária.

Seja o exemplo

O conselho é dar preferência a alimentos não industrializados, que possuem uma menor número quantidade de sódio .O ideal é que, no preparo da refeição, não se adicione pouco sal.Se a criança é acostumada a refeições salgadas, seu paladar vai se adaptar a esse padrão.

A orientação para os pais é retardar e reduzir a oferta dos industrializados à meninada, tirar o saleiro da mesa e servir de modelo. São medidas que contribuem para criar um garoto que não vai depender tanto das pitadas de sódio para sentir prazer à mesa .

Incentivar um estilo de vida saudável e funcional entre todos os membros da família faz com que a criança perceba, por meio do exemplo, a importância de se preocupar com a própria saúde. Monitorar o ganho de peso, manter-se sempre dentro do peso ideal, praticar atividades físicas, consumir alimentos sem excesso de sal e gordura são alguns hábitos que garantem uma vida mais saudável, tanto para crianças quanto para adultos.

5 super dicas

1 .Evite comer fora com frequência, porque é impossível saber a quantidade de sal contida nos alimentos preparados nos restaurantes.

2- Não libere refrigerantes e outras bebidas doces diariamente. Restrinja o consumo a ocasiões especiais.

3- Toda criança adora salgadinho. Para não privá-las deste prazer, compre um pacote de vez em quando e divida-o para a semana toda. Assim, seu filho mata a vontade sem prejudicar a saúde.

4- Use a criatividade na hora de temperar os alimentos. Em vez do sal, invista em ervas e outros condimentos naturais, como o limão, por exemplo.

5- Se for fazer um lanche rápido para as crianças, evite os embutidos, como salsicha, presunto e hambúrguer. Prefira sempre o pão integral, que contém menos sódio, e aproveite para incluir alimentos que tenham valor nutricional, como alface, tomate, ovo cozido e algum queijo magro.

Fica a dica .

12 dicas para seu filho deixar de ser magrinho

Criança magrinha dá trabalho.Qual mãe não enlouquece quando a filha não come?Como oferecer calorias sem prejudicar a saúde?

A hora da refeição é quase uma guerra entre vocês ? A família inteira comenta como ele está magrinho e, na escola, a diferença em relação aos colegas é evidente.Já usou vitaminas , suplementos e receitas (incluindo o tal do Biotonico) e não adianta: o peso ideal parece uma conquista cada vez mais distante da criança.

O problema é que essa situação pode prejudicar e muito o desenvolvimento infantil, tanto na escola quanto nas atividades do dia-a-dia.

O peso inadequado tem tudo a ver com a alimentação que, certamente, precisa de ajustes. Mas isso não significa, necessariamente, mexer na quantidade dos alimentos oferecida à criança

Como saber se o peso está adequado?

Existem uma infinidade de tabelas , então eu encontrei uma forma ( simples ) de fazer a avaliação.

O que fazer?

Dicas da pediatra

1. Refeição sem telas : não use televisão , tablets ou celulares . A distração destes eletrônicos não ajuda , só prejudica.

2. Rotina : mantenha um horário fixo para as principais refeições , almoço e jantar , mesmo aos finais de semana!

3.Atividade física : quem faz exercício tem mais apetite ! Além do fato que ao fazer uma atividade física você aumenta a massa muscular e consequente o peso e reduz a massa de gordura.

4. Suspenda as guloseimas : tiram o apetite e dão uma ” forrada” na barriga , diminuindo a quantidade de alimentos saudáveis . Mamadeira em excesso também conta como guloseima , principalmente adoçada com achocolatado , açúcar ou farinhas .

5. Dê o exemplo: se os pais se alimentam adequadamente , com almoço e jantar nos horários corretos e com uma boa variedade de frutas e verduras , a criança terá maior facilidade em adquirir hábitos saudáveis . Não faça dieta restritiva sem lactose ou sem glúten se você não tem problema de saúde .

6. Não dê vitaminas : o excesso de vitaminas tem efeito contrário , diminui o apetite. Lembre-se que a criança engorda porque come , não porque a vitamina engorda!

Dicas da nutricionista

1. Aumente a caloria dos alimentos :para aquelas crianças que comem em pouca quantidade, acrescentar 1 colher de chá de óleo vegetal ou azeite na refeição! O óleo auxilia no aumento do aporte calórico e consequentemente no ganho de peso.

2. Ofereça alimentos calóricos : o abacate 🥑 é uma fruta rica em gorduras de boa qualidade, pode ser ofertado a partir da Introdução Alimentar (depois de 6 meses) e em preparações salgadas e doces. Pasta de amendoim , geleias são ótimos acompanhamentos com pães e bolos.

Evite usar a famosa ” sopa da mamãe” : muitas mães fazem uma sopa com muitos legumes como uma forma de melhorar a dieta . Ela da saciedade e não ajuda no ganho de peso , pois a criança ingere muito líquido e pouca caloria. Procure usar purês ou no caso da sopa , acrescentar leite no lugar da água ou macarrão e pães.

3. Use grãos: castanhas, nozes, amêndoas, amendoins ,possuem boas quantidades de calorias e também proteínas; uma dica é triture as oleaginosas e acrescentem em iogurtes naturais fica delicioso 😊

4. Tempere os vegetais: com azeite ou prepare os mesmos na manteiga, lembrando que 1 colher de café do azeite está de boa quantidade para os pequenos. O sabor fica mais agradável e as crianças gostam mais de alimentos cozidos do que cru.

5. Substitua o açúcar refinado por mel: mas cuidado: o mel só deverá ser ofertado para crianças maiores de 1 ano e o açúcar após 2 anos.

6. Faça vitaminas : leite batido com banana ou abacate com mel são ótimas opções. Faça disso o seu “milk shake” especial.

Leia sempre as informações nutricionais dos produtos oferecidos para crianças.Respeite horários e a saciedade dos pequenos, alimentar-se bem é assunto sério e bons hábitos alimentares se formam na infância e através de bons exemplos😘.

Dieta não é somente para perder peso! É qualidade de vida e saúde!

Agradecimento a especial para nutricionista :Daniele Suart Hara CRN 24592;especializada em nutrição Materno Infantil e ADM de UANe Gastronomia.

Seu filho come pouco ou o suficiente ?

Uma das maiores queixas das mães está relacionada com a quantidade de comida que seus filhos comem . O medo do “não ganho de peso” ainda é bem maior do que o excesso de peso .

Normalmente, as mães se preocupam com a falta de apetite e nunca com o excesso e por isso, fica mais complicado perceber que o filho está acima do peso e que algo precisa ser feito.

Se desprenda da quantidade de comida e se preocupe mais com o que vai oferecer nas refeições de seus filhos. Neste post, vamos descobrir quanto a criança tem que comer em cada refeição.

Como saber se é suficiente?

A quantia dos alimentos, são as crianças que determinam. Seu filho está se desenvolvendo bem? É ativo, brinca, foi na consulta do pediatra e cresceu, ganhou peso? Então a quantidade que ele come está sendo o suficiente para ele !

Existem bebês e crianças “magrinhos” que são super saudáveis e estão dentro da normalidade das curvas de crescimento.

O tamanho do estômago de uma criança de 1 a 4 anos de idade, corresponde ao punho de sua mão, sendo esta a razão pela qual sua mãozinha é a nossa referência perfeita para calcular as porções adequadas de alimentos.

Porções recompradas por grupos de alimentos :

• pão, massas, cereais e tubérculos : 1 punho da mão do nosso filho, que corresponde a uma porção de cereais, tubérculos, quinoa, arroz, trigo ou massas.

Uma fatia de pão ou 2 biscoitos são equivalentes a uma porção. Selecione um alimento deste grupo para servir em cada uma das refeições do seu filho.

• frutas e legumes : uma ou duas porções de frutas e legumes em cada uma de suas refeições, o ideal seria uma porção de frutas e outra de vegetais.

A porção deste grupo de alimentos não deve ser maior do que as suas mãos estendidas. Você também pode levar em consideração estas referências: uma maçã ou uma pera, meia xícara de hortaliças ou uma xícara de legumes correspondem a uma porção.

• leite, queijo e iogurte : uma porção desses alimentos no máximo 3 vezes por dia. Por isso atenção : ingerir muito leite não é sinônimo de saúde .

• carne, peixe, ovos, nozes e leguminosas: devem estar presentes 2 vezes por dia. Tenha em mente que um ovo, meia xícara de legumes cozidos equivalem à uma porção.

E a quantidade de carne ? O tamanho da palma da mão da criança equivale a 1 porção .

E o que não precisa , mas ele come : doces ( incluindo achocolatados e sobremesas lácteas ) , bolos, salgadinhos e bolachas devem ser fornecidos em ocasiões especiais, em quantidades reduzidas e com muita moderação.

Mas ele come tão pouquinho…

Pra criança comer, ela precisa sentir fome. Se você dá comida, petiscos ou frutas toda hora, quando chega o horário das grandes refeições (almoço e jantar), eles vão comer pouco.

Preste atenção se não está ocorrendo troca de refeições, o leite ( mamadeira ou peito) pela comidinha / papinha salgada.

Exemplo de cardápio

Quando você coloca essa variedade toda em um prato, o prato fica cheio, bonito e nutritivo. Caso seu filho não coma o prato inteiro todos os dias, não se preocupe e respeite a saciedade dele.

Saiba que muitas crianças comem menos que isso e são saudáveis, super saudáveis. Eu particularmente prefiro me preocupar com a variedade dos alimentos e com as refeições principais (almoço e jantar).

Fica a dica .

Remédio para apetite pode ter efeitos colaterais

“Meu filho não come ” – Essa é uma queixa muito comum no meu consultório e infelizmente , não é algo rápido e fácil de se resolver .Muitos pais têm visto nos estimulantes de apetite uma forma rápida e acessível de fazer com que ganhem peso, sem precisar travar uma batalha toda vez que se sentam à mesa. Basta comprar e dar a criança , que um apetite de leão irá devorar tudo e qualquer tipo de refeição .

Veja , a diminuição no apetite das crianças é comum , principalmente aos 2 anos de idade, onde ela está mais seletiva. Durante essa fase ela negará alguns alimentos que antes aceitava tão bem , pois o seu paladar está mais aguçado. A criança sabe o que deseja comer , procurando por alimentos mais saborosos e pelas guloseimas ( quem irá comer maçã se existe o tal do chocolate , não é mesmo ?).

O outro motivo que pode ocasionar a falta de apetite em crianças é quando estão doentes ou na erupção dentária . Criança doente não tem apetite e isso não é exclusividade delas . É uma defesa do organismo e forçar a alimentação não trará nenhum resultado , com ou sem uso de polivitamínicos .

Utilizar um forma rápida para aumentar a ingestão de alimentos parece tentador , mas será segura e necessária ?

O que são os estimulantes de apetite?

São os populares remédios para engordar. Existe uma variedade deles no mercado e cada um tem sua particularidade.Sua função é a de aumentar o apetite e, dessa forma, no ganho de peso. Os fortificantes são, em sua maioria, compostos por vitaminas como as do complexo B (B1, B2, B3, B6 e B12), minerais como ferro, cálcio e fósforo e, alguns com aminoácidos (arginina, glutamina, lisina, triptofano).

Os estimulantes de apetites não são substâncias inocentes e podem, sim, provocar efeitos colaterais perigosos se ingeridos sem necessidade.

Podem ter efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns são sonolência, distúrbios do humor e a perda da capacidade de concentração que, por sua vez, podem levar ao mau desempenho escolar ou no ambiente de trabalho.

A ingestão frequente e sem cuidado pode sobrecarregar órgãos como o fígado . É por isso que não é raro crianças apresentarem intoxicação pelo consumo de estimulantes de apetite. Portanto, deve-se sempre consultar um médico antes do uso!

Como estimular o apetite sem utilizar esses medicamentos?

A avaliação de um pediatra ou nutricionista será fundamental para resolver um mau hábito ou excessos , como o uso recorrente da mamadeira para substituir uma refeição . Mas eu separei algumas dicas que vão te ajudar no processo :

• Dê o exemplo. Forçar não resolve! Estabeleça horários e insista juntamente com seu próprio exemplo;

• Não faça o que a criança quer comer e sim o que ela precisa .As refeições devem incluir verduras e as crianças devem ser estimuladas diariamente a provar novos alimentos ;

• Convide-as a participar do preparo. Acompanhar todo o processo aumenta a curiosidade e interesse pelos diversos alimentos;

• Reduza o número de mamadeiras , principalmente antes das refeições ;

• Ofereça pratos visualmente atrativos: colorido, desenhos com os alimentos, tendo sempre frutas, legumes e verduras em casa, mesmo as que eles digam que não gostam;

• Atividade física é uma ótima forma de aumentar o apetite ;

• Evite comer na frente da televisão ou computador e não ofereça nem permita beliscar antes das refeições.

Alergia ao ovo e seus mitos

Está pensando em adicionar o ovo no cardápio do seu filho? Vá em frente! A partir dos 6 meses de idade , o ovo deve ser inserido na dieta da criança.

Até um tempo atrás acreditava-se que primeiro deveria ser introduzida somente a gema e depois a clara. Essa não é mais a recomendação geral : estudos recentes e o próprio manual da Sociedade Brasileira de Pediatria recomendam a introdução de GEMA E CLARA já na primeiras papinhas.

O ovo é um alimento riquíssimo para oferecer ao bebê e à criança. Fonte de proteínas e vitamina B12, B2, B5, A , ferro e selênio.

O jeito CORRETO de oferecer o ovo ao bebê é com clara e gema bem cozidas, para evitar a contaminação por bactérias. Comece oferecendo 1/4 do ovo para perceber a aceitação e reação do bebê e vá aumentando a quantidade aos poucos. 

Mas e a tal alergia do ovo ?

A alergia ao ovo geralmente se inicia nos primeiros anos de vida . É considerada a segunda alergia alimentar mais comum, competindo com o leite de vaca.

Geralmente as alergias alimentares se manifestam em crianças predispostas geneticamente. As manifestações alérgicas se iniciam poucos minutos após a ingestão do ovo, podendo a criança apresentar sintomas na pele: urticária e angioedema, dermatite atópica, sintomas respiratórios (asma e rinoconjuntivite), sintomas gastrointestinais (vômitos, diarreia e dor abdominal) até a anafilaxia (quadro mais grave).

Como saber se meu filho tem alergia ?

A suspeita diagnóstica inicial é feita através da observação dos pais ao oferecer o alimento . Em caso de surgirem manifestações alérgicas , como vermelhidão e edema de lábios , os testes alérgicos são recomendados.

O tratamento baseia-se na exclusão do ovo da dieta durante 1 a 2 anos. Os pais deverão receber orientação verbal e por escrito quanto a fontes prováveis do ovo na alimentação habitual, sobre termos e sinônimos de ovo.

Se a criança estiver em aleitamento materno, a mãe deverá ser orientada a excluir ovo de sua dieta.

E as vacinas que levam ovo?

• A vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) já não contém mais a proteína do ovo e pode ser aplicada tranquilamente sem nenhum problema.

• A vacina da gripe pode ser administrada com segurança a pacientes com alergia ao ovo.Nos últimos anos, tivemos avanços que permitiram reduzir substancialmente a quantidade de ovo utilizada na produção das doses.Com essa evolução, a probabilidade de um evento adverso alérgico ficou muito pequeno, quase nulo.

A vacina da febre amarela é a única que ainda possui restrições para alérgicos ao ovo . Não está contraindicada , mas deve ser analisado pelo pediatra quando e como tomar .

Atenção !

O consumo de ovo é indicado devido ao grande valor nutricional , a partir do sexto mês de vida . Recomenda- se a observação de sinais de alergia ( urticária , vermelhidão , edema ) e em caso de dúvida , relatar ao seu médico.

A ingestão do ovo não serve para “acostumar o corpo ” e poder tomar a vacina da febre amarela , mas para diagnosticar possíveis alérgicos antes da aplicação .

Fica a dica .