O Gatorade NÃO É indicado nos casos de diarréia

A grande vilã na diarréia é a desidratação. A perda de líquido faz com que não haja água o suficiente no organismo para que ele desempenhe suas funções de forma adequada, o que debilita a saúde da criança. O quadro afeta os principais órgãos do corpo : os rins sãos os primeiros a sofrerem se não houver a reposição de líquido na hora certa, o que também comprometerá o fígado, coração, cérebro e pulmões.

Na desidratação grave, a criança pode ficar tão fraca que chega a desmaiar e, em casos mais graves, há risco dela entrar em coma.

Crianças geralmente entram em quadro de desidratação mais rápido pela facilidade de perder líquido, seja ela por vômito, diarréia , febre ou até mesmo pelo suor excessivo.A desidratação ocorre quando o bebê/criança não consegue repor o líquido perdido. Em outras palavras, há um déficit de líquidos e eletrólitos.

Na reposição, o ideal é que a criança beba o máximo possível de bebidas naturais , como água, sucos naturais e água de coco.É também imprescindível a reposição de água e sais minerais por meio de soro, que pode ser comprado em farmácia ou retirado no hospital. Mas o sabor nem sempre é agradável é fácil de administrar às crianças .

Por isso muitos pais recorrem aos isotônicos . Com o paladar mais agradável , a grande maioria das mães acredita que irá repor os eletrólitos perdidos com a diarréia .Mas não funciona bem assim…

As chamadas bebidas esportivas não são bem-vindas para crianças, como reforçou uma revisão de estudos publicada no periódico americano Pediatrics. Destinados a repor os nutrientes eliminados pela transpiração nos atletas, os isotônicos são ricos em açúcar e sais minerais, como o sódio .

Muitos pais ( e até alguns pediatras ) não sabem que esse é o tipo de bebida , além de não ser adequada para crianças, deve ser consumida apenas após a prática intensiva de exercícios físicos, pois apresenta grande oferta calórica , levando a um aumento de peso e à obesidade.

Para reduzir o uso do público infantil , a ANVISA mudou a denominação de repositor hidroeletrolítico para praticantes de atividade física, para repositor hidroeletrolítico PARA ATLETAS .

E o sódio?

Ao contrário do que é dito na maioria dos sites que li , o teor de sódio não é o problema dos isotônicos .Os soros de rehidratação oral chegam a ter níveis mais altos de sódio em relação a este tipo de bebida. O problema está relacionado ao açúcar e ao consumo excessivo de uma bebida sem um valor nutritivo para a faixa etária .

Não serve como tratamento para diarréia e não pode ser oferecido como um ” suquinho”.

Fica a dica.

Por que observar o cocô das crianças é tão importante ?

Toda mãe já limpou uma bundinha de criança já notou que as fezes mudam quando eles ficam doentes , com a alimentação e muitas outras causas. E essa observação pode ser mais importante do que você pensa.

A cor, formato e a consistência das fezes podem nos ajudar a entender o processo digestivo como um todo e a detectar doenças digestivas ou até mesmo tumores.

O QUE DEVEMOS OBSERVAR?

Formato
Você sabia que tanto as fezes muito líquidas como endurecidas podem estar associados a doenças infecciosas, parasitárias, inflamatórias ou mesmo tumores ? Por isso, se uma alteração no hábito intestinal perdurar, é preciso procurar o seu pediatra.

O formato do cocô reflete a consistência das fezes e eventuais problemas como constipação crônica. Normalmente, aquelas fezes que lembram as de cabrito, em bolinhas, podem sugerir um intestino “preso”, que geralmente está associado a uma lentidão na contração do intestino.

Sim, observar o cocô do seu filho pode diagnosticar precocemente doenças

Já as fezes muito finas —que temos grande dificuldade de evacuar—, quando associadas a sangue, podem sugerir uma obstrução no caminho. O que, por sua vez, pode estar associada a um problema inflamatório ou a um tumor .

De forma bem geral, podemos dizer que a consistência das fezes sugere o quanto tempo elas demoraram para serem evacuadas. Aquelas que demoram às vezes dias nesse processo acabam ressacando mais e ficando bem duras. No caso das infecções intestinais, a passagem é tão rápida que não há a correta absorção de água. E temos a diarreia.

E para avaliar o formato das fezes de uma forma bem prática , nós pediatras usamos a Escala de Bristol. Ela é uma ótima ferramenta para diagnosticar e tratar doenças.

Em crianças e adultos o ideal é que as fezes sejam do tipo 4

Cor
Um dos principais fatores que definem a cor das fezes é a bile, substância produzida no fígado e armazenada pela vesícula. A cor natural é o marrom, mas a paleta de cor vai geralmente de um amarelo claro a um verde-escuro nos bebês, em aleitamento ou não.

Qualquer modificação como ausência da cor das fezes, que na verdade seria a cor creme bem clarinha, pode significar uma alteração do fluxo da bile. Como uma obstrução da via biliar por cálculos ou tumores.

Já as fezes negras, como piche ou borra de café, mais amolecidas e mal cheirosas podem significar um sangramento digestivo. Esse quadro deve ser observado e discutido com seu médico.

Elementos estranhos no cocô? Nem sempre é verme !

Pedaços de comida podem ser encontrados nas fezes, dependendo do tempo de trânsito intestinal .Durante a introdução alimentar é muito comum os pais associarem sementinhas de banana com vermes no cocô.

Alguns alimentos possuem fibras insolúveis, que não se desintegram na passagem pelo corpo e saem inteirinhas. Fibras de mandioca , pedaços de milho podem estar presentes nas fezes e não indicam doença.

E não são apenas restos alimentares que podem surgir : vermes, dependendo do tamanho, podem aparecer nas fezes e na grande maioria dos casos , estão vivos e se mexendo ( ecaaa!! E por favor não mandem foto ou vídeo para o pediatra !)

E quando algo não cheira bem…

Se for só o cheiro, não há muito motivo de preocupação. Somente quando um cheiro muito forte está associado a fezes enegrecidas, aí sim existe a possibilidade de um sangramento digestivo.

O cheiro do seu cocô depende muito do tipo de alimento que você ingere e das bactérias que moram no seu intestino (a chamada microbiota intestinal).

Você não precisa se tornar um fiscal do próprio cocô, fazendo uma análise meticulosa a cada ida ao banheiro. Mas, se houver alguma mudança no seu padrão, fique atento —especialmente se ela envolver sangue, desconforto ou dor— e, se ela persistir, converse com o seu pediatra . Nada de dr Google hein?!

1 a cada 3 pessoas tem vermes

Verminoses são as doenças causadas por parasitas que se alojam preferencialmente no nosso intestino. Isso ocorre pela ingestão de alimentos e água contaminados , ou seja , que contenham ovos ou parasitas adultos . Comum em países em desenvolvimento , devido a condições sanitárias precárias , afeta crianças e adultos.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde , 1 a cada 3 pessoas no planeta está infectada por algum tipo de parasita . Normalmente, os vermes causam flatulência, diarréia e dor abdominal. Mas eles ainda podem causar perda de apetite e de peso, apatia e cansaço .

Crianças de até seis meses de idade são menos susceptíveis de adquirir uma parasitose, já que dificilmente vão ao chão. Mais difícil ainda de pegar algum parasita são as crianças que estão em aleitamento materno exclusivo, pois não vão ingerir alimentos que estejam contaminados por larvas e ovos de vermes.

Verdade e mito

Verme dá mancha branca no rosto?

Não . Mas pode levar a anemia , o que provoca palidez . As manchas mais associadas a verminoses na verdade são provocadas pela pitiríase alba .

São manchas brancas e ásperas com descamação fina, de causa desconhecida, que afetam pessoas alérgicas, e evoluem para manchas hipocrômicas, ou seja, com pouca ou nenhuma pigmentação, na face, braços e tronco. Em geral, estão relacionadas com o ressecamento da pele.

Verme dá vontade de comer doce?

Não . Nenhum parasita é capaz de dar vontade de comer algo . O hábito ou a vontade de comer alimentos açucarados é normal nas crianças , pois afinal , as guloseimas são feitas para serem irresistíveis não é verdade?

Verme dá coceira na bunda?

Sim. A oxiuríase é uma verminose que provoca uma coceira intensa no ânus , pois o parasita se locomove à noite , próximo ao orifício anal .

Verme pode sair nas fezes ?

Sim.A lombriga mede de 15 a 30 cm e uma pessoa pode ter até 600 lombrigas dentro da sua barriga.Quando há uma infestação grande , o verme tende a sair , podendo ser eliminado pelo ânus ou até pela boca. Em alguns casos pode atingir o pulmão e provocar um quadro semelhante a pneumonia .

Meu filho vive com giárdia … é genético ?

Não .A giárdia é um verme pequeno , invisível a olho nu, mas causa uma diarréia e dor abdominal muito importante. O contágio ocorre pela ingesta de alimentos contaminados ( mal lavados, carne crua , manipulação com mãos sujas) .

Verme dá vontade de comer terra e tijolo?

Não.Verminoses maciças podem provocar anemias , por isso em alguns casos , surge a vontade de comer terra, tijolo.

Como tratar?

Tomar vermífugo uma vez ao ano é suficiente para a prevenção . Se o seu filho apresenta quadros de verminose com frequência , avalie as condições de alimentação e higiene . O verme só entra pela boca e geralmente devido a alimentos contaminados , mal lavados ou manipulados por mãos sem a higiene adequada .

Existe uma grande gama de produtos , cada um com um efeito maior para um determinado parasita . O efeito será maior e mais duradouro se todos os membros da família utilizem o vermífugo ao mesmo tempo .

A prevenção é a mesma para quase todos os tipos de vermes comuns em nosso meio. Confira algumas dicas:

– Beba somente água filtrada ou fervida. Não use água de poço ou fontes minerais irregulares.

– Lave cuidadosamente as frutas e verduras e cozinhe bem os alimentos.

– Não coma carne mal passada, principalmente, de porco.

– Evite andar de pés descalços.

– Limpe bem as mãos com água e sabão antes das refeições e depois de usar o vaso sanitário.

– Conserve as unhas, principalmente as das crianças, sempre bem cortadas e limpas.

Fica a dica.

Brinquedos transmitem doenças

Brinquedos pode ser transmissores de doenças , você sabia ? E por isso eu te pergunto : qual foi a última vez que você fez uma boa limpeza nos brinquedos do seu filho? Sim , existem técnicas de limpeza e higienização corretas para evitar que o seu filho adquira uma diarréia infecciosa por exemplo.

Para evitar que esses males ocorram, de tempos em tempos, é necessário dar uma geral em toda a brinquedoteca. Poeira, umidade, restos de massinha , tudo isso se acumula nos baús de brinquedos e como nos primeiros anos a criança leva tudo à boca , criar uma rotina para a limpeza dos brinquedos é sempre uma boa ideia.

Para os itens usados com frequência, o ideal é que a limpeza ocorra semanalmente. Já aqueles que ficam guardados por mais tempo e os muito delicados, como ursinhos de pelúcia e bonecas de pano, podem ser higienizados a cada quinze dias. O local onde as crianças brincam também merece atenção e deve ser limpo diariamente.

BRINQUEDOS DE PLÁSTICO E METAL 

Super fáceis de limpar : utilize um pano umedecido com água e sabão neutro. Torça bem antes de aplicar. Quando o brinquedo estiver seco, finalize passando um paninho com álcool 70% para garantir total higienização.

Já itens simples, como panelinhas, xícaras e peças de jogos, como Lego, podem ser lavados à mão com detergente neutro e uma esponja macia. Depois, basta escorrê-los até secar ou enxugar com um pano limpo e seco.

Álcool 70% (ou 70 volumes, como aparece em alguns rótulos) é um produto coringa, que pode ser usado como desinfetante na maior parte dos materiais.

* * ATENÇÃO especial ao mordedores :devem ser esterilizados (com a solução composta por 1 litro de água e 1 colher de sopa de água sanitária ) toda vez que o seu filho se recuperar de alguma doença (como gripe e outras viroses em especial) e também sempre que forem usados por outras crianças ( como os irmãozinhos) . Se tiver máquina de lavar louça, lave estes itens na prateleira superior dentro de um saquinho de roupa delicada com zíper, para impedir que caiam no fundo da máquina.

Um mordedor em que a criança põe a boca, e molhado com saliva pode ficar cheio de fungos. Olha essa foto :

Horrível não é mesmo ? O problema dos fungos e do mofo podem ser consequência do sapinho na boca da criança, o que é muito comum. Para evitar, o ideal é higienizar o mordedor sempre e descartá-lo depois de um tempo de uso.

E AS PELÚCIAS?

O jeito mais prático de lavar os ursinhos é na máquina, sempre protegidos por uma fronha ou por saquinhos de lavanderia, próprios para essa função. Para isso, use sabão líquido próprio para peças delicadas. Depois da limpeza, deixe o brinquedo ao ar livre até secar por completo.

Colocá- los ao sol também é importante para reduzir a presença de mofo e ácaros.

Fica a dica !

O que NÃO fazer quando seu filho tem diarréia

Você sabia que o vômito e a diarréia estão entre os problemas mais comuns da infância, sendo responsáveis por boa parte das queixas em consultas pediátricas ? O início repentino e a forma como diminui o apetite das crianças , deixa qualquer mãe de cabelo em pé!

Tanto a diarréia quanto o vômito são maneiras que o nosso organismo usa para jogar fora o que faz mal, como alimento estragado ou água contaminada.

A diarreia é o aumento no número de vezes que a criança faz cocô, o qual fica mais líquido do que ela está acostumada a fazer e costuma ser acompanhada de vômitos. Ela pode ser causada por germes que contaminam a água, alimentos, vasilhas, as mãos das pessoas e as coisas que elas usam para preparar os alimentos. Ocorre mais facilmente em locais onde o saneamento básico é ineficiente , como nas praias .

Apesar de normalmente ser passageiro, é preciso saber diferenciar um quadro mais leve de um mais grave, que pode levar a desidratação. Se a criança apresentar: sonolência excessiva, vômitos com sangue ou conteúdo parecido com fezes, diarréia com sangue e pus, ausência ou redução de xixi, moleira baixa, boca seca, choro sem lágrima, palidez mantida, rouxidão na boca e das extremidades e respiração difícil e rápida, é preciso levá-la ao médico o quanto antes!

O cheiro do cocô não indica infecção ou maior gravidade ! Toda diarréia é malcheirosa , devido à redução da absorção dos alimentos ao passar pelo intestino .

O que fazer

• A hidratação é que deve vir em primeiro lugar. Lembre-se de que toda criança come menos quando adoece. Nesse caso, o importante é que ela tome muito líquido , o dia inteiro, e em pequenas quantidades para não induzir vômito.

Suco de limão com maisena resolve ? Não sei , mas uma boa receita caseira é a “água de arroz ” : coloque 1 litro de água com 1 punhado de arroz lavado e cozinhe por 15 minutos . Pode colocar 1 colher de chá de sal e 1 colher de sopa de açúcar e ofereça somente água para a criança . Fácil e com boa aceitação , ajuda a diminuir o tempo da diarréia.

• Utilize os recompositores de flora intestinal . Eles contêm bactérias que auxiliam nos sintomas e aceleram a recuperação do intestino . Não há contra indicação de idade e são fáceis de administrar : tem sachê , cápsula , comprimido mastigável e ampolas.

• O pediatra pode prescrever medicação para verminoses . A nitazoxanida tem indicação para gastroenterites virais ( as chamadas viroses ) e giardíase . A giardíase provoca um quadro de diarreia intermitente , ou seja , aquela que vai e volta com frequência e é bem comum na infância .

• Alimentos indicados : banana , maçã , goiaba , água de côco, bolacha salgada ( água e sal ) , batata , arroz , macarrão.

O que NÃO fazer

• Não ofereça isotônico ( Gatorade) . Sei que muitos colegas pediatras até prescrevem esse tipo de bebida , mas fique atenta : é contra indicado para crianças devido ao alto teor de sódio e outros elementos ! Utilize água num primeiro momento e depois ofereça sucos naturais e água de côco para uma boa hidratação .

• Alimentos e refeições leves são indicadas , como batata cozida e arroz . O macarrão pode ser usado e nada de Miojo Lamen ! No desespero é muito comum os pais oferecerem qualquer alimento , na esperança de que a criança coma . E nessa busca , é óbvio que o seu filho irá preferir as guloseimas , como frituras e doces . Mas esse tipo de alimento irá provocar uma piora da diarreia e consequentemente das cólicas .

• Alimentos contraindicados : carnes gordurosas ( linguiça , cupim e outros cortes de churrasco ) , frituras , bolacha recheada , doces e chocolates , Miojo Lamen e refrigerante .

E o leite ?

O leite de vaca pode ser oferecido , mas devido à presença de cólicas após a ingestão , é muito comum os pequenos rejeitarem as mamadeiras . Em casos de diarréia persistente , com tempo de duração acima de 14 dias , os pais podem trocar para a fórmula ” sem ou com baixo teor de lactose” . O sabor não tem variação , mas devido à ausência da lactose , as cólicas são menores e a aceitação aumenta.

O leite de vaca in natura é uma das principais causas de diarréia no interior do país . Considerado um alimento” livre de conservantes” e de preço baixo , as mães costumam oferecer para bebês menores de 1 ano. Com o sistema imunológico ainda pouco desenvolvido , o bebê pode evoluir com um quadro de infecção intestinal grave , com necessidade de hospitalização .

O leite de vaca in natura , mesmo fervido , pode transmitir uma série de doenças ( tuberculose , salmonelose , brucelose ) e não é adequado ao consumo .

Voltei com diarreia da praia e agora ?

Férias , praia , piscina… que delícia ! Infelizmente essa dupla também vem associada com a temida virose!

Antes de mais nada, vale dizer que “virose” se refere a toda infecção por vírus , porém, os médicos utilizam este termo para falar das gastroenterites virais. Seus principais causadores são o enterovírus, o coronavírus e o rotavírus.

Os vírus entram no organismo através de alimentos e água contaminados , provocando irritação do estômago ( vômitos ) e do intestino ( diarréia). A consequência mais grave é a desidratação, que ocorre principalmente nas crianças e idosos.

Descobrir o tipo de vírus que está atacando, o que seria possível por meio de um teste laboratorial, não vai influenciar a evolução do quadro ou o tratamento

Não estranhe se você sair do consultório com apenas recomendações básicas , como recompositor de flora intestinal e hidratação . Por ser uma infecção viral , não tem por que tomar antibióticos, uma vez que eles atuam contra bactérias e não têm poder sobre vírus.

Por que ocorre no verão e na praia?

As cidades litorâneas apresentam um sistema de esgoto deficitário. Muitas vezes a qualidade da água do mar apresenta um grande quantidade de coliformes fecais , que nada mais é do que a presença de fezes humanas.

Com o aumento da população no local , provocado pela invasão de turistas , aumenta-se a quantidade de esgoto liberada , aumentando- se a quantidade de fezes na água do mar , proliferando os casos de infecções gastrointestinais .

Como hidratar ?

Ficar de olho na hidratação é a regra número um para controlar a gastroenterite. Além da boa e velha água, aposte no soro e na água de coco, rica em sais minerais. Isotônicos, energéticos e bebidas alcoólicas são contraindicados.

Sobre a dieta, a sugestão é restringir o consumo de gordura e açúcar. Nos primeiros dias, arroz branco, batata cozida, canja e peito de frango grelhado formam um mix ideal ( a boa e velha canja de galinha).

Quando levar ao Hospital ?

Se a situação não der sinais de melhora em três ou quatro dias, é bom voltar ao centro médico para ver se não há algo mais sério. A passagem pelo pronto-socorro ainda se torna necessária diante de sintomas graves, como sangue e pus nas fezes, garganta inflamada, olhos fundos, pele seca, prostração, pressão baixa e pouca vontade de urinar.

Como prevenir ?

Lavar bem as mãos depois de ir ao banheiro é a principal dica .

A comida é digna de precaução em todas as idades. Fora de casa, escolha restaurantes e bares de confiança. Na sua própria cozinha, sempre higienize os vegetais e não deixe recipientes longe da geladeira por muito tempo, deixando-os no forno por exemplo . Com o calor os alimentos estragam mais facilmente.

• utilize álcool em gel para manipular bebidas e alimentos na praia ;

• não frequente praia considerada imprópria ao banho – a areia também tem contaminação de germes presentes no esgoto ;

• atenção a alimentos como mariscos , ostras e peixes – podem ser estragar mais rapidamente com o calor ;

• evite tomar banho perto de foz de rios e de saída pluviais (canos que desembocam nas praias).

Fica a dica.

Salmonella pode ser transmitida por leite não pasteurizado

Salmonella (Salmonellose) é uma bactéria que causa intoxicação alimentar e em casos raros, pode provocar infecções graves e até mesmo a morte.

Os principais sinais e sintomas da infecção por Salmonella são: diarreia, vômitos , febre e dor abdominal . Esses sintomas podem surgir entre 6 até 72 horas após o consumo do alimento contaminado e costumam permanecer por cerca de 2 a 7 dias, até a completa recuperação do paciente.

O contato com alguns animais infectados (incluindo animais de estimação) também pode transmitir a doença, se logo depois as mãos não forem lavadas. Os sintomas também variam de intensidade de acordo com a quantidade de alimento contaminado ingerido e o nível de contaminação do alimento.

Não pega somente do ovo!

A Salmonella está dispersa no meio ambiente e pode ser ingerida por meio de alimentos contaminados com fezes de animais, o que acontece, por exemplo, ao se comer carnes e ovos crus ou mal passados ou quando não se lava as mãos antes de cozinhar ou manipular alimentos. Também pode ser transmitida pelo contato com água contaminada.

A bactéria é encontrada normalmente em animais como galinhas, porcos, répteis, anfíbios, vacas e até mesmo em animais domésticos, como cachorros e gatos. Dessa forma, qualquer alimento que venha desses animais ou que tenha entrado em contato com suas fezes, mesmo que pelas partículas do ar, são consideradas vias de transmissão da Salmonella.

Leite não pasteurizado a queijo fresco transmitem a doença

Embora a bactéria esteja associada a produtos de origem animal, alimentos frescos, quando contaminados, também transmitem a doença. Alguns exemplos de alimentos que têm sido associados a surtos de salmonelose incluem carnes, aves, ovos, leite não pasteurizado e queijos caseiros , peixe cru molhos de salada preparados com ovos não pasteurizados e sobremesas que contêm ovo cru.

Recomendações

• Lave as mãos com frequência, especialmente antes das refeições e do preparo das mesmas;
Evite consumir alimentos à base de carne crua ou mal passada;
•Redobre a atenção com o preparo e cozimento da carne de frango ;

Lavar o frango antes do cozimento aumenta o risco de propagação da bactéria nas mãos, nas superfícies e utensílios de cozinha e até na roupa, pelas gotas de água que se espalham.


• Tenha cuidado com os ovos, que devem ser bem cozidos. Lembre-se de que pratos como a maionese feita em casa, por exemplo, incluem a adição de ovos crus como ingrediente e são grandes transmissores de salmonelose;

Logo depois da compra é importante guardar o ovo sem lavar. Quando você lava acaba tirando uma película protetora do ovo, na geladeira ele pode se contaminar com microorganismos.


Beba só leite pasteurizado ( não tome leite direto da fazenda ) ;
• Lave bem verduras, legumes e frutas. Deixe-os mergulhados em água com hipoclorito de sódio ou uma colher de chá de água sanitária;
• Lave bem os utensílios de cozinha, especialmente quando usados na preparação de carnes cruas;
• Mantenha ovos sob refrigeração. Nunca lave antes de colocá-los na geladeira .

Fica a dica .