Meu filho parou de comer. E agora?

Aquele bebezão que comia de tudo agora com 2 aninhos não quer mais saber de comer direito ? Rejeita tudo e você já apelou para a vitamina e até o Biotônico mas nada parece dar certo?

Fique tranquila. É só mais uma fase!

Entre 1 e 5 anos de idade muitas crianças apresentam um ganho de peso de somente 2 a 3 quilos por ano mesmo tendo ganho cerca de 7 a 8 quilos no primeiro ano de vida. E por isso parece que seu filho nunca sai dos “13kg” .

Isso ocorrer porque, uma vez que elas não crescem tão rápido nesta fase , a necessidade de calorias é menor e por isso aparentam ter uma diminuição do apetite. Sim, aparentam, porque na verdade , elas estão comendo o suficiente.

E não adianta apelar para o remédio de apetite ou vitamina : a quantidade que uma criança decide comer é determinada pelo centro de apetite no cérebro portanto, comem a quantidade necessária para o crescimento e gastos.

Confie no centro do apetite de seu filho. A razão mais comum para algumas crianças aparentarem não sentir fome é que a oferta de snacks , mamadeira e guloseimas é tanta que nunca sentem realmente fome. Por isso é tão importante mater as refeições em horários definidos, a cada 3 hs .

Ofereça a seu filho duas guloseimas nutritivas por dia, no máximo, e somente se ele pedir. Se seu filho sente sede no intervalo das refeições dê água para aliviar a sede e não suco ou mamadeira . Limite a ingestão de sucos para no máximo 200 ml por dia e deixe seu filho uma ou duas refeições sem comer, caso deseje, então observe o retorno do apetite. Perder uma refeição nãoéo fim do mundo.

VAMOS PARA MAIS DICAS ( E QUE FUNCIONAM MUITO MAIS DO QUE QUALQUER REMÉDIO)

• Não brigue ou ameace . O tempo das refeições deve ser agradável e não uma guerra.

• Deixe comer com a mão e fazer sujeira a vontade: comece a oferecer alimentos na mão de seu filho aos 6 ou 8 meses de idade, tais como frutas, biscoitos, legumes que permitem que se alimente, mesmo antes de ser capaz de usar uma colher. O erro mais comum é pegar a colher ou garfo da criança e tentar colocar comida na boca dela e as vezes sob ameaça.

Limite a ingestão de leite a cerca de 500 ml por dia : leite é tão calórico quanto a maioria dos alimentos sólidos. Beber leite demais pode suprimir o apetite, principalmente se oferecido próximo ao horário do almoço e jantar

Sirva pequenas porções , bem menores do que aquelas que o seu filho irá comer : o apetite de seu filho é suprimido se for servido mais do que ele é capaz de comer ( estranho não é mesmo ?). Se servir a seu filho uma pequena quantidade de alimento em um prato grande é mais provável que ele termine de comer e tenha um sentimento de cumprimento do dever. Se quiser mais comida, espere que peça.

Torne o horário das refeições agradável : atraia seu filho para conversas durante a refeição. Evite a transformação da hora das refeições em momentos de discussão ou em uma sessão de tablets e celulares.

Não prolongue o horário da refeição : bastam 40 minutos de espera. Não force a se sentar à mesa após toda a família já ter se alimentado.

Devo retirar o glúten do meu filho ?

Ultimamente, dietas livres de glúten estão recebendo bastante atenção na mídia. Elas têm sido associadas a aumento de energia, melhora de concentração e cura para males digestivos. Com tantas coisas boas é difícil não se perguntar se seu filho não pode se beneficiar de uma dieta livre de glúten.

Preocupados com a saúde dos filhos, às vezes os pais colocam as crianças em uma dieta sem glúten na crença que isso alivia sintomas, pode prevenir a doença celíaca , sendo uma alternativa mais saudável. Será?

O que é o glúten?

Ele é uma proteína presente naturalmente em muitos cereais, como o trigo, o centeio e a cevada. O glúten confere elasticidade na receita de diversos alimentos e assim, o pãozinho cresce e fica macio.

Os grãos são alimentos fortificados e contém vitamina B , ferro e folato e são importantes na dieta infantil.O glúten ajuda a controlar a glicemia e os triglicérides, aumentam da absorção de vitaminas e minerais, melhoram a flora intestinal e deixam o sistema imunológico mais forte. Por isso ,não devemos retirar o glúten da alimentação infantil .

Quem precisa retirar o glúten da dieta?

Cerca de 1% da população mundial possui a doença celíaca. Nela, o glúten não é bem aceito pelo intestino.É uma doença digestiva grave, de origem genética, que dura toda a vida de pessoa. Quando a pessoa ingere glúten, o sistema imunológico ataca a si mesmo, danificando as paredes do intestino delgado.

A doença celíaca não é uma alergia alimentar e nem uma intolerância; trata-se de uma doença autoimune.

O resultado é que o corpo não consegue absorver corretamente os nutrientes dos alimentos.Não há cura e a única solução é seguir uma dieta sem glúten durante a vida inteira, inclusive se os sintomas forem mais leves.

Para quem não sofre de doença celíaca , a dieta pode predispor a doenças crônicas , como o diabetes e alterações cardiovasculares . Além disso , uma criança que não consome a proteína pode desenvolver alergia a ela.

Para a maioria das pessoas, a dieta sem glúten não traz nenhum benefício prático e uma dieta sem glúten NÃO previne a doença celíaca !

Os alimentos livres de glúten foram feitos com grãos refinados e, por isso, são menos nutritivos. Por exemplo , as farinhas de tapioca, batata ou arroz possuem mais carboidratos e menos proteína que a farinha de trigo.

O crescimento do mercado de produtos livres de glúten gerou lucros enormes, mas alguns dos produtos são criticados por conter altos níveis de gorduras e calorias.

Fica a dica .