Febre por vontade ou em criança “aguada” , existe ou é mais um mito ?

Tem gente que jura que isso aconteceu mas a explicação é bem simples .

Quando uma criança vai ficar doente , um pouquinho antes de surgir os primeiros sintomas , ela vai ficando amuadinha e com o apetite reduzido. E nessa hora , a mãe pergunta : o que você quer? O que você tem ?

E aí, não raro , elas iniciam listas de desejos , por brinquedos , guloseimas ou passeios .

No dia seguinte a febre vem , e aí bate o desespero e a procura por uma origem desse quadro de febre torna-se cada vez mais necessária. Afinal, só tem febre, mais nada , nenhum sintoma .

Segundo dia chegando e a criança com febre . Será que não é vontade mesmo ? Bora comprar o chocolate ou o brinquedo que ela queria .

No terceiro dia a febre passa . Viu só, era vontade !

Mas não é bem assim. Tudo isso na verdade foi um quadro de infecção viral ( virose ) .

As infecções virais tem duração média de 3 dias e geralmente causam com febre, baixa e espaçada, sem outros sintomas associados e evoluem espontaneamente ( melhoram sozinhas).

Esse tipo de infecção é bem comum em menores de 5 anos . E não tem nenhum relação com o desejo ou passar vontade ok?

E A TAL DA FEBRE PSICOGENICA?

A febre psicogênica ou hipertermia funcional é uma condição psicossomática relacionada ao estresse. Ela está relacionada ao mau funcionamento do sistema nervoso autônomo, e se manifesta pela exposição a eventos que desequilibram nosso estado emocional ou ao estresse crônico.

As queixas dos pacientes são, juntamente com os sintomas da alta temperatura, sintomas do estresse, que podem atingir também outros problemas na saúde mental dos afetados. Ou seja, a alta temperatura corporal é apenas um dos sintomas induzidos ou exacerbados pelo estresse.

Essa condição é principalmente encontrada em pessoas com histórico de transtornos mentais, ansiedade aguda e em casos de estresse agudo . Não é uma condição comum em crianças e não é uma expressão ou desejo por algo .

Os maiores erros dos pais no combate à febre

Muitas dúvidas pairam sobre as cabeças das mães quando o assunto é febre . Bate o desespero e acaba dando a dose ou o remédio errado e a criança passa mal. O que NÃO fazer?

Devemos ter em mente que a febre não é uma doença, e sim um sintoma de que algo está acontecendo no organismo. Trata-se de um mecanismo fisiológico que tem o objetivo de combater uma infecção . Isso porque alguns agentes infecciosos, como vírus e bactérias, não sobrevivem a partir de 37º C.

Quais são os sinais da febre?

A criança febril fica com o rosto vermelho, o coração acelerado, respira mais rápido que o normal, sente frio e fica abatida. As mãos e os pés ficam frios e algumas podem ter dores de cabeça e musculares.É comum ter vômito , principalmente após a medicação .

Febre é temperatura maior do que 37,8 graus .

Qual é o melhor termômetro ?

O termômetro com mercúrio foi retirado do mercado devido a questões ambientais .As outras opções são as versões digitais, os medidores em forma de chupeta, os de ouvido e o de testa são todos bons produtos .

O melhor modelo , na minha opinião , é o termômetro com infravermelho . Rápido , preciso , não precisa encostar na criança e ainda pode medir a temperatura do ambiente e alimentos .

Devo colocar ou tirar a roupa do bebê?

Se você deixar a criança aquecida demais, com casacos e cobertas em excesso, a temperatura corporal pode aumentar e levar a quadros de convulsão , alucinação e vômitos .

O objetivo é reduzir a temperatura. Por mais que a criança reclame do frio , retire as peças de roupa e não use cobertas.

Quando há risco de uma convulsão?

A convulsão surge quando a temperatura sobe rapidamente e acontece quando a criança tem em torno de 6 meses a 6 anos. Entre as características estão o tremor e rigidez de braços e pernas. Em geral, a crise dura de 1 a 2 minutos (uma eternidade para os pais) e normalmente não traz sequelas. Ocorre por imaturidade do sistema nervoso e tem fator genético .

À criança suscetível a convulsão febril poderá ter um episódio até com 38 graus .

Quando levar ao médico?

Cuidado redobrado com bebês menores de 3 meses e, principalmente, os recém-nascidos. No primeiro pico de febre, eles devem ser levados imediatamente ao médico. Dê a medicação e leve-o ao Hospital.

Nas crianças maiores , NÃO adianta levar logo após o PRIMEIRO episódio de febre . Se a criança não apresentar sintomas de gravidade ( como vômitos , falta de ar, diarreia ) pode permanecer em observação em casa.

Os sinais de infecção de garganta ou ouvido demoram cerca de 48 horas para serem visíveis no exame físico , por isso os pais devem manter a calma e verificar o padrão da febre ( frequência , temperatura) e iniciar medicação com antitérmicos .

Quais são os sinais de perigo?

Se a criança com febre ficar muito prostrada, sonolenta demais, se estiver mancando, respirando rápido, gemente, com muita dor de cabeça ou dor abdominal prolongada, com irritabilidade intensa, choro incontrolável, manchas pelo corpo, ou se convulsionar, é preciso levá-la ao pronto-socorro imediatamente.

Dei o remédio e a febre não baixou

Intercale a medicação  .Muitas vezes, antes do intervalo recomendado entre uma dose e outra de remédio, a temperatura  começa a subir novamente. Nesse caso, você pode dar um outro tipo de medicamento. Se a criança tomou paracetamol, você pode dar ibuprofeno ou dipirona.

Sempre verifique a dose ( se está correta ou não ) , se a medicação está dentro do prazo de validade ( quanto tempo estavam geladeira?) ou se tem boa procedência ( laboratório confiável ? Medicação similar ?).

O que NÃO fazer:

não use compressa de álcool. Faça de água fria;

• não dê banho morno ou quente , pois a temperatura irá subir e a criança irá piorar;

• dê a medicação na dose correta : muitas mães dão um número menor de gotas na febre baixa e uma dose maior na febre alta . Nunca entendi o porquê!

• não ofereça mamadeira ou muito líquido após a medicação. Espere a febre abaixar e só depois de algo para beber . A febre dá sede , mas uma grande ingestão de líquido pode levar ao vômito e você perderá a medicação;

• sempre dê a medicação antes de sair de casa . Alguns pais saem desesperadamente e procuram o médico sem medicar . A febre irá subir e a criança passará mal.

não existe febre emocional : muitos pais associam casos de febre com ” vontade” de comer algo ou com ” saudades” de alguém.Acredite , é pura coincidência com alguma outra causa.

Febre não é doença e faz bem ao corpo

A febre é uma das queixas mais comuns nos atendimentos pediátricos: 20 a 30% das consultas nos consultórios, 65% das consultas nos serviços de emergência, chegando à 75% nos atendimentos telefônicos e WhatsApp . Mas por que temos tanto medo ?

Febre não é doença , mas sintoma

A febre não é doença , mas um sintoma de infecção ou inflamação. As causas mais comuns são infecções virais, como respiratórias, urinárias, otites, amigdalites e pneumonias. Na maioria das vezes, no entanto, trata-se de um sintoma benigno que vai embora espontaneamente. Você leu certo : tende a desaparecer sozinha, sem a necessidade de medicação ( antibiótico ).

A febre é uma reação normal do organismo para protegê-lo. Ajuda a aumentar nossa imunidade, as nossas defesas.

Acima de 37,8º podemos considerar uma criança febril, o que não quer dizer que temos que medicar. Nesse caso, tirar as roupas, dar banhos (nem frio, nem quente), hidratar oferecendo água e líquidos a vontade, medir novamente a temperatura após 30 minutos. Na maioria dos casos a febre vai desaparecer sem medicação.

Mas eu tenho medo de dar convulsão

A convulsão febril costuma acontecer entre os 6 meses e os 6 anos de idade, é benigna, não deixa sequelas e não precisa de medicamentos preventivos. Tem muito a ver com a subida, ou descida, brusca da temperatura; pode acontecer com 37,5 ou 39º, não é o número em si, mas a predisposição. É mais comum se houver familiares que já tiveram o mesmo quadro quando crianças.

Quando devo me preocupar?

Há algumas situações que requerem um alerta maior, destacadas a seguir:

• Bebês abaixo de 3 meses de idade com temperaturas acima de 38º ou abaixo de 35,5º;

• Quando, após normalizar a temperatura, a criança se mantiver irritada, com choro persistente ou muito “largadinha”, mole, apática, com pouca reação, sem querer mamar;

• Quando a febre estiver acompanhada de sintomas persistentes como dor de cabeça intensa, pele com manchas avermelhadas, vômitos que não cessam, irritabilidade extrema ou sonolência, dificuldade importante para respirar.

A criança febril fica com o rosto vermelho, o coração acelerado, respira mais rápido que o normal, sente frio e fica abatida. As mãos e os pés ficam frios e algumas podem ter dores de cabeça e musculares. Por isso , reavalie o estado geral da criança quando a temperatura baixar.

Quanto tempo leva para a temperatura deve baixar após a medicação?

Normalmente, é preciso esperar de 30 a 40 minutos para a temperatura diminuir. E o principal objetivo não é fazer a temperatura voltar a 36,5 ºC (normal), e sim aliviar o mal-estar da criança.

Mas a febre não abaixa!

Em algumas situações é possível alternar antitérmicos com diferentes composições a cada três horas ( como dipirona e paracetamol , por exemplo ). As compressas e banhos morno / frio também são coadjuvantes para baixar a temperatura.

Nunca dê banho com água e álcool, nem faça compressas com álcool, pois há risco de a criança inalar essa substância ou ter uma reação alérgica. Opte também por roupas de algodão e ofereça muita água .

Verifique a validade e a dose da medicação . Estes erros são comuns e dificultam o controle da temperatura.

Febre faz bem ao organismo

Criança com febre tem um corpo saudável que reage a agressões . O preocupante é quando há uma infecção de maior gravidade – infecção de ouvido com pus , pneumonias , por exemplo – sem o aumento da temperatura . Neste caso , não houve o principal “alarme” e a infecção pode se alastrar rapidamente .

A alta temperatura pode realmente ajudar as crianças na batalha de uma doença. Especialistas afirmam que a febre força a criança desacelerar, descansar e dormir mais. Itens vitais na recuperação.

Evite levar a criança ao Pronto Atendimento logo após o início da febre . Os indícios de infecções de garganta ou de ouvido , alterações laboratoriais para diagnóstico de dengue ou infecção de urina demandam tempo . Dificilmente o médico fará o diagnóstico do motivo da febre antes de 24 horas .

E não fique desesperada quando a temperatura subir . Mantenha a calma e observe a presença de sinais e controle a frequência dos picos de febre.

Fica a dica

Pais , não mandem seus filhos doentes na escola

Quando a criança não deve ir à escola? Essa é uma pergunta que confunde muitos pais que estão lidando com filhos doentes.

Na verdade, decidir se uma criança doente deve ir à escola seria muito fácil -se ficou doente, não vai. Simples assim? Não! Se a cada coriza ou tosse, a criança for ficar em casa, com certeza ela permanecerá mais afastada do que deveria.

Manter a criança em casa implica em pais faltando ao trabalho,mobilização de pessoas para cuidar dessa criança e perda do conteúdo escolar e atividades que podem ser importantes no aprendizado. Então, em que situações seria melhor manter a criança afastada da escola,quando ela está doente?

Logicamente, se a criança está prostrada, com vômitos , fica fácil decidir. Porém, como numa boa parte das infecções por vírus, a criança não parece tão mal e fica difícil decidir .

Quando a criança deve ficar em casa ?

Para saber se a criança com mal-estar deve ou não ir à escola, é importante avaliar o quadro clínico e analisar se os sintomas realmente necessitam de repouso.

Vômitos e diarréia

Parece lógico que uma criança com vômitos ou diarreia não deva ir à escola. Mas, muitos pais mandam a criança que está nessa situação para a escola mesmo assim, principalmente se só há diarréia.

As viroses intestinais são extremamente contagiosas, principalmente nas primeiras 24 horas de doença. Portanto, nesse caso, também valeria a regra de aguardar pelo menos um dia para mandar a criança de volta para a escola.

Os vírus são espalhados pelo ar e gotículas de saliva .Imagine sua criança causando uma epidemia de diarreia dentro da escola? Tenho certeza de que você não gostaria de ser responsável por uma situação dessas.

Febre

Um dos sinais que merecem atenção é a febre, que funciona como um alerta de que o corpo não vai bem e necessita de atenção.

Se existe febre, existe uma infecção. E uma criança com infecção não deve ir à escola porque, mesmo sendo medicada e baixando a febre, ela está transmitindo a sua doença para as outras crianças. Além disto, durante o período em que ela estará na escola, poderá haver piora dos sintomas e será necessário observá-la por um tempo.

O correto se sua criança tem febre é só mandá-la para a escola quando ela estiver 24 horas sem febre.

A febre pode ser o primeiro sintoma de muitas doenças contagiosas , como catapora , caxumba e rubéola . Os sinais característicos destas doenças só surgem por conta do terceiro dia de febre , mas a contaminação ocorre antes . Por isso é fundamental que a criança fique em casa, principalmente quando está em investigação do foco da doença .

Olho vermelho

Ao sinal de qualquer irritação ocular , até que se prove o contrário, é uma conjuntivite infecciosa e a criança pode transmiti-la aos coleguinhas . Após o tratamento com antibiótico por 3 dias o risco de contaminação é mínimo , e se autorizado pelo pediatra , o seu filho poderá novamente frequentar as atividades em grupo.

Tosse e coriza

Ao menor sinal de gripe ou resfriado a criança deve ser mantida em casa . O risco de ser uma infecção provocada pelo coronavirus é grande e ela só deve voltar a escola quando não há risco para os colegas e professores .

Qual melhor antitérmico ?

Dar um remédio para baixar a febre em crianças ou tomar um comprimido para aliviar a dor de cabeça não é tão simples . É comum os pais ficarem em dúvida sobre qual antitérmico usar.Vamos ver as principais medicações para controle da febre :

Paracetamol

Muito utilizado , sempre está na primeira receita do bebê como orientação em caso de febre ou dor. Sabor agradável é fácil de administrar.

• usado em recém nascidos ;

• início de ação em 45 minutos e duração de 4 horas ;

• pode ser dado na forma de gotas , xarope ou comprimidos ;

• indicado para febre e dor de leve intensidade;

• sem efeito inflamatório ;

• pode levar a disfunção hepática se utilizado de forma contínua .

Evite usar para aliviar o choro do bebê , principalmente no recém nascido . Fazer uso da medicação de forma diária , pode mascarar quadros de febre e infecções mais graves.

Ibuprofeno

Sabor agradável e mais potente do que o paracetamol ( apesar de estudos provarem a mesma eficácia) , tem duas apresentações : 50 mg/ ml e 100 mg/ml. Use sempre a de maior concentração .

uso liberado a partir de 6 meses de idade;

• início de ação em 30 minutos e duração de 6 horas;

• pode ser dado na forma gotas , xarope e comprimido ;

• indicado para febre e dor leve a moderada ;

• efeito anti-inflamatório;

• problemas gástricos e renais se usado a longo prazo .

Ibuprofeno é um anti-inflamatório por isso não use com cetoprofeno , diclofenaco ou nimesulida.

Dipirona

Pouco efeito colateral, mais com maior risco de desenvolver alergia em relação aos demais , é a minha medicação de escolha para febre .

usado a partir de 3 meses de idade;

• início de ação de 30 minutos e duração de 6 horas ;

• pode ser dado na forma de gotas , xarope , comprimido ou supositório;

• indicado para febre e dor de moderada a forte intensidade;

• sem efeito anti-inflamatório;

• se usado a longo prazo pode levar a disfunção de medula óssea.

A dose é de 0,7 gota por kilo de peso . Mas usualmente utilizamos 1 gota por kilo de peso ( dose máxima ).

Lembre-se!

– AAS ou aspirina , mesmo infantil, não devem ser usada em crianças;

– Os pais devem aguardar pelo menos 1 hora o efeito da medicação antes de utilizar outro antitérmico;

– Não há necessidade de ” intercalar” a medicação ! Só use outro antitérmico se a febre não baixar e o tempo de intervalo não permitir que você reutilize o mesmo remédio .

Por exemplo : deu dipirona e a febre voltou depois de 8 hs ? Dê dipirona novamente .

– Faça o controle da febre e procure o pediatra.