Como tirar a mamadeira e a chupeta em apenas alguns passos

Essas pequenas transições soam doloridas aos pais , pois trazem uma sensação de perda : o bebê cresceu e agora está em uma nova fase . Aceitar o crescimento da criança é a primeira batalha dos pais a se vencer.

Tirar esse hábito não deve ser encarado como perda, mas um avanço no desenvolvimento da criança. Assim como trocamos a fralda pela cueca , trocar a mamadeira pelo copinho também é sinal de maturidade.

Quando tirar?

Não há um consenso entre os pediatras sobre a idade de retirada da mamadeira. Em geral, a recomendações é que a transição para o copo aconteça entre o primeiro e o terceiro ano de vida.

Como tirar?

No caso da chupeta, o ideal é que, de início, seu uso se limite aos horários de dormir (inclusive as sonecas, sempre tentando retirar da boca da criança assim que o sono estiver mais pesado) ou quando a criança estiver diante de um grande estresse. Ou seja, sem essa de chupeta pendurada na roupa, na hora de brincar ou na cadeirinha do carro. Depois, é limitar para o sono da noite, até que venha o combinado de jogá-la fora.

Vale contar uma boa história e convencê-lo a “doar” a chupeta para outros bebês que precisam. Dar o objeto ao Papai Noel, ao coelho da Páscoa ou é uma saída muito utilizada pelas mães e com bons resultados.

Com a mamadeira, a primeira atitude é acabar com a mamada da tarde. Explique ao seu filho que ele está crescendo e que, por isso, precisa começar a usar copo ou caneca, como os adultos e as crianças maiores fazem. Isso costuma dar certo.

A ideia é introduzir o copo de transição para água e suco. Depois, usá-lo para dar o leite do lanche da tarde, se ele existir. A mamadeira da tarde sai primeiro e depois a da manhã , introduzindo a criança ao hábito completo do café da manhã (se for com os pais, melhor ainda!). Por último, a da noite.

Para incentivá-lo a largar a mamadeira , deixe a criança escolher um copo bem bonito, do personagem preferido. Os que têm aquela tampa com bico duro e furinhos facilitam o processo para crianças mais novas. As asas laterais no copo também ajudam na coordenação.

E se a criança usa os dois ?

Retire primeiro a mamadeira e depois a chupeta , seguindo os mesmos passos discutidos anteriormente .

Quanto tempo vai demorar até seu filho esquecer os bicos?

Difícil prever, mas não passar de um mês seria um ótimo limite.

É importante não “sequestrá-los”, tirá-los quando a criança não estiver olhando, pois ela deve participar do processo.

Os pais têm de dizer que estão indo guardar a chupeta ou deixar a criança guardá-la , em um local que ela tenha acesso. Para dar certo , a mudança deve ter uma meta na reta final, algo que motive seu filho a se esforçar. Pode até ser um combinado relacionado a alguma data importante ou acontecimento, como adiantar um presente que a criança esteja esperando.

Seu filho pode realmente aceitar o fim da era das chupetas e mamadeiras com extrema boa vontade, demonstrar que compreendeu a passagem e parecer feliz. Mas, na hora do aperto , ele pode regredir e pedir. E aí que os pais têm que se manter firme. Não ceda!

Meu bebê não arrota e agora … pode dormir ?

O arroto do bebê é uma dúvida muito comum, principalmente para as mamães de primeira viagem. Mas, será que a criança precisa arrotar após todas as mamadas?

Arrotar é uma forma do bebê liberar o ar que engoliu junto com o leite durante a mamada. Isso pode acontecer, por exemplo, por uma pega não eficaz. Quando há uma boa oclusão entre a boquinha do bebê e o seio materno, a criança não engole ar e por isso, não terá ar para arrotar.

Bebês que fazem uso de mamadeira engolem mais ar durante a mamada , o que pode evitado com o uso de mamadeira anticólica.

Isso acontece por que o bebê não consegue regular o fluxo de leite da mamadeira. Quando a mamadeira está na boquinha do bebê, o leite continua descendo, mesmo sem ele estar sugando. Na pressa de engolir o leite, ele acaba engolindo ar. Já quando se alimenta ao seio, o fluxo de leite consegue ser regulado, pois o leite só desce quando o bebê suga.

Alguns bebês dão sinais de que precisam arrotar. Por exemplo, se o seu filho ao decorrer da mamada para de ingerir leite e começa a chorar recusando o outro seio, este pode ser um sinal de que engoliu ar e está sentindo algum desconforto e por isso precisa arrotar. Outro sinal recorrente são as caretas, geralmente elas aparecem por esse motivo, quando são deitados logo após o término da mamada.

Entretanto, não é uma regra que o seu bebê precisa arrotar depois de mamar. Este fato varia de bebê para bebê, cada um com a sua individualidade. Existem bebês que arrotam frequentemente e outros quase nunca, isso é normal.

Bebê que não arrota tem mais cólica?

Quando o bebê engole ar, ele se sente satisfeito antes mesmo de suprir a sua real necessidade nutricional, pois este ar está ocupando o espaço que deveria ser do leite. E este não é o único problema, o ar engolido pelo bebê pode gerar desconforto e cólicas .

O que fazer depois de mamar?

Após a mamada , segure o bebê por cerca de 5 a 10 minutos , na posição vertical ( de pé ) . Mesmo que ele não tenha arrotado , você pode colocá-lo no berço , mas sempre de barriga para cima .

O bebê deve ser mantido nesta posição após as mamadas somente até os 6 meses . A partir desta fase , a criança já tem maior coordenação da respiração e deglutição e a postura mais ereta e o arroto não ocorre mais .

Bebês em aleitamento não arrotam

Bebês em aleitamento não arrotam porque a anatomia entre o peito da mãe e a boca do bebê é perfeita, se encaixando de uma forma que dificulta a entrada de ar se mamãe e bebê estiverem em posição correta. Mas é muito comum regurgitarem após a mamada e isso não indica refluxo . Apenas uma imaturidade do sistema digestivo que irá melhorar com o tempo.

Muitos bebês mamam e dormem logo em seguida, de forma confortável e tranquila . Se isto acontecer, provavelmente ele não precisa arrotar porque não engoliu ar durante a mamada.

Quando devo colocar o bebê para arrotar?

Sempre que você perceber desconforto. Não precisa parar as mamadas de tempos em tempos para colocar para arrotar, apenas deixe que o bebê mame tranquilamente o quanto precisa de leite e depois observe se ele esta confortável.

Se não estiver, coloque o bebê para arrotar.

Posso continuar dando o peito depois que o bebê arrota?

Sim. O fato do bebê arrotar não significa que ele esteja satisfeito, apenas que ele liberou o ar em excesso. Portanto, se ele quiser mamar mais depois de arrotar, tudo bem.

As vezes o bebê precisa arrotar mesmo quando não se alimentou

Sim, chorar faz com que o bebê também engula ar. Se você notar que ele esta desconfortável, tente levantá-lo um pouco ou mudá-lo de posição para ver se ele não precisa arrotar.

Vamos parar de esterilizar a mamadeira para melhorar a saúde do seu filho?

Bebês não têm um sistema imunológico maduro para se defenderem das milhões de bactérias que tentam invadir o corpo humano diariamente, por isso a esterilização de objetos que vão a boca deve ser feita diariamente.

Até o sexto mês do bebê, a cada uso, é importante desmontar a mamadeira e lavá-la com água corrente e detergente, usando uma escova de cabo comprido. Também a cada uso é preciso esterilizá-la, o que pode ser feito de duas maneiras. A primeira é em fogão convencional, colocando os itens em uma panela, com água cobrindo-os, e ferver por, pelo menos, cinco minutos. A segunda é em um esterilizador para micro-ondas.

Após este período, você deve deixar um pouco de lado a limpeza rigorosa .Depois dos seis meses, lavar com água corrente e detergente neutro já é suficiente e a esterilização não precisa ser diária .

Por que? Ora , nesta fase o bebê já iniciou a alimentação e com certeza muitos objetos foram a boca sem a limpeza adequada , não é mesmo ? Isso tudo de forma natural, não planejada . E é exatamente assim que deve ser a introdução da vitamina S : naturalmente, sem grilos , devemos deixar o bebê entrar em contato com a sujeira .

OS BENEFÍCIOS DA VITAMINA S

A sujeira , apelidada carinhosamente de vitamina S pelos pediatras , é uma peça fundamental para um bom desenvolvimento do sistema imunológico da criança. Baseada na teoria de que foi o excesso de limpeza, a culpada pelo aumento de casos de alergia em crianças nas últimas décadas.

A hipótese é que, sem ter “grande trabalho”, o sistema imunológico das crianças passou a encarar substâncias até então inofensivas, como a poeira e o pólen, como invasores perigosos.

COMO ADMINISTRAR A VITAMINA S?

Não precisa deixar o bebê comer sujeira . São medidas simples de implementar na rotina do seu bebê:

• Quando o bebê já estiver segurando a cabeça, coloque-o em um tapetinho de EVA. Faça estímulos com sons, cores, luzes, na posição de bruços e de barriga pra cima. Converse, cante, brinque, enfim, interaja!

Contato com a natureza faz bem a saúde da criança

• Após os 6 meses, quando já estiver sentando, leve-o para conhecer as texturas da terra, da areia da praia, da grama no parque.

• Comece a levá-lo para passeios na vizinhança. Não precisa colocar ainda no chão, mas leve-o para um local onde exista natureza.

• Ao chegar em casa, lave as mãos e dê banho, mas com sabonete comum. Nada de banhar em álcool gel e usar o sabonete que elimina 99,9% das bactérias.

• Só de ter um pet em casa, já existem estimulações benéficas do sistema imune, mas não é necessário que o bebê esteja em contato direto e frequente com ele. A criança melhora sua imunidade, porque tem contato com os pelos do animal. Também desenvolve mais rapidamente a parte cognitiva, e segundo pesquisas americanas, aprende a andar mais rápido. O convívio com o cão também ajuda na parte de desenvoltura e equilíbrio, pois a criança costuma acompanhar o cão quando ele passeia pela casa.

Quando o bebê pode começar a tomar leite e derivados?


A introdução alimentar é um tema intenso e quando pensamos em introduzir os alimentos, pensamos também no risco de desenvolver algum tipo de alergia. Essa é uma dúvida do mundo todo e muitos estudos tem sido feitos no sentido de encontrar o momento oportuno para cada alimento, principalmente os 8 alimentos considerados mais alergênicos no mundo: leite de vaca , ovo, trigo, soja, castanhas, peixe, amendoim e frutos do mar.

E assim como pipocam na Internet orientações super restritivas como “não ofereça leite de vaca” , “leite fermentando tem açúcar”, “corante faz a mal a saúde” , graças a Deus vejo cada vez mais posts circularem sobre a janela imunológica e a necessidade de se oferecer alimentos alergênicos antes do primeiro ano de vida .

A Academia Americana de Pediatria e a Academia Europeia de Alergia e Imunologia orientam a introdução de alimentos altamente alergênicos não devem ser postergados para além dos 6 meses, devendo ser oferecidos oportunamente. Mas atenção: crianças com alto risco para doença alérgica devem consultar um pediatra ANTES de iniciar a introdução alimentar.

Cozido ( com a gema bem durinha ) ou na forma de omelete podem ser oferecidos a partir do sexto mês

A partir da mudança da Academia Americana, a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) também fez algumas modificações nas suas recomendações : ovos , peixes e até carne de porco podem ser introduzidos a partir do sexto mês.

E O LEITE DE VACA E SEUS DERIVADOS ?

No Brasil, o leite de vaca é a principal alternativa para as mães que não podem amamentar seus filhos. Esta é a realidade principalmente de populações com um poder econômico reduzido, devido ao menor custo desse produto em relação às fórmulas infantis.

Já há alguns anos tem sido descrito por diversos profissionais da área que o consumo de leite de vaca por crianças menores de 1 ano está associado ao aparecimento da anemia ferropriva (anemia por deficiência de ferro). Além do baixo teor, o ferro do leite de vaca não é bem absorvido pelo organismo de lactente.

Leite de vaca antes do primeiro ano de vida aumenta a incidência de alergia

O bebê possui o sistema digestivo imaturo e por isso o consumo de leite de vaca por crianças antes do primeiro ano de vida tem sido relacionado a uma predisposição ao aparecimento da alergia a proteína do leite de vaca. Além disso, a exposição precoce da criança ao leite aumenta o risco não somente de reações adversas a este leite, como também de alergias a outros alimentos.

Outro risco associado a sua ingestão é o de desenvolver uma sobrecarga renal. Apesar das funções metabólicas e excretoras do lactente normal acima de 6 meses de idade estarem mais maduras e, na maioria das vezes, suportarem bem essa sobrecarga, a margem de segurança continua sendo maior quando o alimento é o leite materno ou algum fórmula modificada.
Existe ainda o risco de deficiência de cobre, zinco, vitamina A, C, E e ácido fólico e gorduras essenciais (ômega 3 e ômega 6).

Portanto, com todas as evidências, não é recomendada a utilização do leite de vaca integral na alimentação da criança durante o primeiro na de vida.

E OS DERIVADOS COMO DANONINHO , LEITE FERMENTADO E IOGURTE?

Os produtos lácteos industrializados como petit suisse, iogurtes e bebidas lácteas possuem concentrações elevadas de açúcares, assim como corantes e aditivos químicos adicionados. O que vai contra a uma alimentação saudável na infância e principalmente na introdução dos alimentos a partir dos seis meses de idade, onde a base desta alimentação deve ser de alimentos naturais ou in natura, sendo frutas, vegetais, cereais e carnes magras, além é claro do aleitamento materno até os dois anos de vida, e orienta-se a não adição de açúcares nas preparações.

Mas , em crianças que já fazem uso de leite de vaca , os derivados podem ser uma boa opção para reduzir a quantidade de mamadeira ,por exemplo . Oferecer iogurtes e até leite fermentado não são nocivos à saúde como se divulga por aí, pelo contrário, são bons aliados da saúde .

Iogurte : uma opção saudável

Além de conter lactobacilos e outros nutrientes, podem ser misturados a frutas , sendo uma opção saborosa de lanchinho.. Assim como o leite fermentado, existem opções sem açúcar e nunca devem ser consumidos em excesso .

Fica a dica .

Antibiótico estraga os dentes ?

É verdade que tomar muito antibiótico na infância enfraquece os dentes? Apenas em alguns casos. Existe um tipo de antibiótico, a tetraciclina, que adere à dentina, a parte dura do dente, provocando manchas e enfraquecimento. Mas isso só acontece se o medicamento for tomado em grande quantidade e enquanto o dente está se constituindo.

Hoje, praticamente todos os pediatras já têm consciência do que a tetraciclina pode fazer e procuram receitar para as crianças outros tipos de antibióticos, que têm o mesmo efeito.

Mas o antibiótico não deixa o dente mais fraco ?

Esta é uma dúvida muito frequente nos consultórios e a resposta simples para essa pergunta é não. Os antibióticos não estão entre os fatores causadores de cárie.

E porque o dente do meu filho está escuro ?

A cárie de mamadeira é o nome dado a um problema que atinge bebês em fase de aleitamento. Ela acomete até mesmo os dentinhos de leite e está relacionada à ingestão de alimentos com alto teor de açúcar, especialmente durante a noite.

Sabe aquele mucilon , achocolatado ou farinha que você acrescenta para deixar o leite mais gostosinho ? Pois é, ele é o maior vilão do dentinho do bebê .

Enquanto a cárie dos adultos surge pela falta de higienização adequada da cavidade oral, a cárie infantil é causada pela ingestão de líquidos açucarados, seja de forma natural, como no caso de sucos de fruta ou do leite, ou artificialmente.

Mesmo que você escove o dentinho durante o dia , se a criança tomar bebida açucarada ( leite , chá ou sucos ) a noite , os açúcares entram em contato com os dentes e as bactérias entram em ação. Elas produzem ácidos e outras substâncias que corroem gradativamente o esmalte dos dentes, danificando sua superfície e abrindo caminho para áreas mais internas.

Durante a noite, os riscos se intensificam devido à queda na produção de saliva, que contém substâncias responsáveis pela oxigenação bucal e pela neutralização de açúcares e agentes nocivos.

Nem vale a pena tratar porque os dentes são de leite …

Acreditar que a cárie em bebês é inofensiva é um erro muito comum. Para a maioria das pessoas, os danos causados aos dentes de leite não apresentam grandes riscos, já que eles serão posteriormente trocados pela dentição fixa da criança. Na prática, no entanto, as coisas são muito diferentes.

Os dentes de leite podem até ser temporários, mas sua deterioração pode trazer prejuízos que duram a vida toda. Além de serem necessários para a criança, sendo usados em atividades como a fala e a mastigação, os dentes de leite servem como base para a dentição definitiva.

O bebê pode sofrer com dentes tortos ou danificados na fase adulta. E o problema vai muito além da estética, podendo causar dores, enxaquecas, problemas mastigatórios e afetar até mesmo a respiração.

Fica a dica .

Qual a melhor mamadeira ?

Comprar uma mamadeira não é , com certeza , uma tarefa fácil para pais de primeira viagem . São tantos modelos, formatos e tamanhos que fica difícil escolher . E o pior , nem sempre seu bebê aceita o modelo mais caro que você comprou com tanto carinho …

O aleitamento materno é recomendado para todo bebê , mas se não for possível , as mamadeiras são a única forma para administrar leite / fórmula láctea .

E o copinho ?

O uso do copinho é recomendado apenas para complementar o aleitamento materno. Quando há necessidade de volumes superiores a 60/70 ml por mamada , os pais devem utilizar a mamadeira.

Formato

padrão : comuns , tem a boca estreita.

boca larga : são mais fáceis de limpar e o bico tem o formato mais próximo do seio materno.

Material

plástico : desde 2011 são proibidas mamadeiras com BPA ou bisfenol-A, que pode causar danos à saúde dos bebês. São mais baratas , fáceis de transportar e por serem mais leves , a criança consegue segurar depois de uma certa idade. Podem acumular resíduos e cheiro .

vidro : maior durabilidade e não deixam resíduos ou cheiro . São perigosas e nunca devem ser deixadas com a criança , pelo risco de quebrar. Para evitar acidentes , pode ser colocada uma capa de silicone . Tem valor mais elevado.

• silicone : flexíveis , fáceis de limpar por não precisar de uma escova específica para limpeza . Como são rombas , tombam com facilidade , mas tem uma textura interessante para o bebê

Tamanhos

60 a 80 ml : a chamada “chuquinha”, não devem ser comprada , pois o material geralmente não é adequado ( bico de látex + plástico de baixa qualidade)

• 120 a 150 ml : mamadeira média

240 a 250 ml : mamadeira grande

330 ml : mamadeira extra grande , geralmente utilizada para crianças acima de 2 anos .

Bicos

• látex : em desuso devido a baixa durabilidade e riscos à saúde e desenvolvimento de alergias.

silicone : mais utilizados . Devem ser trocados a cada 3 meses.

Nem todos os bebês se acostumam rápido com a mamadeira, e às vezes é preciso experimentar mais de um bico, portanto não compre todas de uma vez.

Bebês menores , recém nascidos , não se adaptam muito bem as mamadeiras tipo “seio materno” porque o bico é longo e geralmente encosta na parte posterior da boca , provocando o reflexo de vômito .

Por isso os modelos se diferenciaram em bicos menores e mais laterais , melhorando a aceitação e sem náuseas :

Função

• comum : sem característica especial

anti – cólicas: também chamadas de anti – refluxo , possuem uma válvula que permite  a entrada de ar na mamadeira evitando a formação de vácuo, as bolhas de ar ficam no fundo da mamadeira e não se mistura no líquido, reduzindo sensivelmente a incidência de cólicas e gases no bebê. Possuem um sistema de fluxo contínuo e isso ajuda a diminuir o leite em excesso em excesso e o regurgitamento.

Qual a melhor mamadeira ?

Depende da idade , do bebê e do seu bolso . Nem sempre um modelo mais caro será o melhor para o seu filho .

Uma regra é unânime: NUNCA USE CHUQUINHA ! Este tipo de modelo não é adequado por usar látex . O volume máximo é de 50 ml , o que dificulta a diluição correta ( 1 medida para cada 30 ml de água ) e casos de diarreia e cólicas são comuns .

De uma forma geral , a mamadeira simples , com bico de silicone ortodôntico , número 1 já é o suficiente para um bebê recém nascido . Não há necessidade de um modelo semelhante ao peito ( boca larga e bico redondo ) para evitar o desmame.

Usar a mamadeira favorece o desmame , independente do modelo , mas isso não é uma regra : muito bebês conseguem complementar o leite e manter o aleitamento sem intercorrências .

Fica a dica .

Como funciona a fórmula AR ?

O uso de fórmulas “AR” ( anti- refluxo ) é comum na prática da Pediatria e melhora muito a qualidade de vida de bebês que possuem refluxo gastroesofágico. De acordo com o Grupo de Trabalho sobre Refluxo Gastroesofágico da Sociedade Européia de Gastroenterologia e Nutrição Pediátrica (ESPGAN), o espessamento da dieta é o procedimento de maior eficácia para o alívio da regurgitação.

Mas o que diferencia uma fórmula de outra ? Se você olhar a tabela nutricional verá que a quantidade de proteínas , calorias e vitaminas é bem semelhante , mas a diferença entre elas vai muito além do preço da lata .

Principais fórmulas lácteas

A goma de alfarroba ou jataí é uma substância natural que tem a função de deixar o leite mais espesso com a vantagem de não ser digerido no trato digestório e não influencia a composição da dieta, evitando a sobrecarga de carboidratos.

A alfarroba ou goma de jataí , é extraída da semente da árvore Ceratonia siliqua e é o espessante mais utilizado em fórmulas infantis na Europa. O ingrediente tem a particularidade de se manter inalterado durante a digestão, o que confere maior viscosidade à fórmula, sem influenciar a composição da dieta.

• Fórmulas lácteas com goma de alfarroba

Aptamil AR

Possui DHA e ARA , tipos de omega 3 e 6 , que funcionam como prebióticos ( alimentos de bactérias do bem , os probióticos ) .

Novamil AR

Apresenta fórmula com a proteína do leite parcialmente hidrolisada , com menor teor de lactose , reduzindo a incidência de cólicas .

• Fórmulas com amido

Enfamil AR

Fórmula fornece uma mistura de membrana de glóbulo de gordura do leite (MFGM, da sigla em inglês) – que foi demonstrado que ajuda a diminuir a lacuna no desenvolvimento cognitivo entre bebês alimentados com leite materno e bebês alimentados com fórmula infantil , possui DHA e ARA e tem como base o espessante de amido de arroz.

Nan EspessAR

Fórmula com a proteína NAN , DHA e ARA, tem como base o amido de milho como espessante . Tem a vantagem de só se tornar mais viscoso somente ao entrar em contato com o suco gástrico .

Qual a melhor ?

Depende da experiência do pediatra com cada produto , da evolução do bebê e dos sintomas . Cada caso pode evoluir melhor com uma determinada fórmula .

Seu bebê toma a mamadeira da forma correta?

Será que seu bebê toma a mamadeira da forma correta ? Uma prática comum é deixá-las tomar o seu “tetezinho” bem deitadinha e prontinha para dormir . Mas os especialistas são unânimes : crianças que tomam mamadeira deitadas correm maior risco de ter infecção no ouvido.

Isso acontece devido à passagem do leite para o canal auditivo , levando bactérias e vírus , ocasionando infecções de ouvido.

É importante ressaltar que as otites em crianças possuem diversos fatores para sua causa e não somente o fato de tomar mamadeira deitado. Entre os outros fatores estão, por exemplo, predisposição genética e até tabagismo dos pais.

Não confunda : “dar mama deitado” (dar a mamadeira) com amamentar deitada (mamar no peito).O maior risco de infecção do ouvido acontece com as crianças que mamam MAMADEIRA deitada. Nesse caso a posição realmente não é recomendada. Ainda que você retire o leite do peito, se for dar usando a mamadeira, a criança não deve estar deitada.

Qual a posição correta?

Segure-o em um ângulo de, mais ou menos, 45 graus, e certifique-se de que a posição da mamadeira está alta o suficiente em relação ao rosto da criança, para que o bico sempre esteja cheio de líquido e sem espaço para bolhas de ar.

• Se ao mamar o bebê faz um barulhinho , significa que há uma grande passagem de ar junto conta saída de leite , o que pode ocasionar mais cólicas e dor abdominal .

• Nunca deixe o bebê sozinho com a mamadeira , principalmente apoiada em algum lugar . Se o bebê estiver sonolento ele deixa de sugar mas o leite continua caindo , gota a gota , podendo levar a engasgos .