Como descongestionar um nariz em 7 passos

O papel do nariz é melhorar a qualidade do ar que respiramos. No entanto, certas condições inflamatórias, infecciosas, alérgicas ou mesmo anatômicas, como o desvio do septo e a presença de pólipos, podem interferir na passagem do fluxo de ar pelas narinas e provocar congestão nasal, o popular nariz entupido.

O mecanismo é fisiológico.  Quando algum agente agressor atua como irritante, os vasos sanguíneos, que irrigam o nariz, dilatam, o volume de sangue aumenta e os cornetos incham, obstruindo a passagem do ar. O entupimento do nariz é um mecanismo de defesa do organismo para impedir a entrada e o transporte de elementos nocivos para outros órgãos das vias aéreas.

Congestão nasal não é doença. É sintoma. Identificar a causa é fundamental para orientar o tratamento, quando necessário.

Uso descongestionante ?

O fato é que a dificuldade para respirar traz bastante desconforto. Por isso, ao primeiro sinal de nariz entupido, é comum a pessoa recorrer ao uso dos descongestionantes nasais. Mas lembre-se de que este tipo de medicação é de uso proibido na Pediatria , mesmo diluído em soro fisiológico.

Embora a ação do medicamento seja rápida, a sensação de alívio é passageira.  Depois de algum tempo, o nariz volta a entupir, o que obriga a pessoa a ir diminuindo, progressivamente, a ponto de precisar ter sempre à mão um frasco do medicamento para poder respirar melhor. 

Outro problema é que a ação dos descongestionantes nasais não se restringe ao alívio do nariz entupido. O uso inadequado pode levar a aumento da pressão arterial, trombose, tonturas , dor de cabeça e arritmias . Nas crianças pode provocar depressão do sistema cardiorrespiratório e levar à morte. E não há exagero nessa afirmação! Segundo dados fornecidos pelo Ceatox (Centro de Assistência Toxilógica do Hospital das Clínicas de São Paulo), depois dos anti-inflamatórios e dos analgésicos, os descongestionantes nasais são os medicamentos de venda livre que mais complicações graves podem apresentar.

O que fazer ?

1. Lavagem nasal

Ela elimina o agente alergênico ( pó , ácaros , pelos de animais ) , auxilia na retirada de secreções e umidifica a narina . Pode se feita com soro fisiológico na forma de conta gotas ou spray , mas o jato continuo é sem duvida a melhor opção .

2. Umidificar o ambiente

No inverno é necessário umidificar o ambiente . Pode ser através de bacia , toalha ou umidificador . A inalação somente com soro fisiológico não substitui pois é uma solução temporária .

3. Eleve a cabeça ao dormir

Facilita a saída de secreções e é uma maneira rápida para auxiliar a criança a dormir .

4. Faça compressa quente

As compressas quentes funcionam da mesma maneira que o vapor para o nariz congestionado — apenas o método é diferente. Coloque um pano quente (cuidado para não se queimar) sobre os olhos e o nariz e fique deitado enquanto respira normalmente. Permaneça nessa posição até que o pano esfrie.

5. Trate a causa

De nada adianta usar um monte de xarope sem tratar a causa : desvio de septo , rinite ou hipertrofia de adenoide tem tratamento . Usar corticoide nasal ( Busonid , Plurair , Noex ) faz toda a diferença nos casos alérgicos , por exemplo .

Casos crônicos e persistentes devem ser avaliados por um pediatra – crianças costumam inserir pequenos objetos ( feijão , brinquedos e papel ) nas narinas – sendo a congestão nasal o único sintoma nas maioria dos casos .

6. Cuide do ambiente

Troque o travesseiro a cada 6 meses , retire bichos de pelúcia e não use cobertores com pelo . Dê preferência para edredom e não coloque cortinas ou tapetes no quarto das crianças .

Deixe as janelas abertas durante o dia , para arejar e não deixe o inseticida ( aquele de tomada ) próximo a cabeceira da cama .

7. Use aspirador nasal

O uso do aspirador nasal com a lavagem funciona muito bem . Evite os modelos antigos e opte pelo aspirador boca – nariz :

Fica a dica .

Vitamina C não previne gripe !

Desde os anos 1930 o ácido ascórbico, popularmente conhecido como vitamina C, é usado no tratamento de doenças respiratórias e tem muito pediatra prescrevendo até hoje .

Mas o que a grande maioria desconhece é que a vitamina C NÃO previne nenhum tipo de gripe e resfriado .

Como assim?

Segundo dados do IQWIG (Institute for Quality and Efficiency in Health Care),2 em média uma criança fica resfriada de 6 a 10 vezes por ano. Já um adulto, de 2 a 4 vezes. Nesse contexto, um remédio de baixo custo e fácil acesso que fosse capaz de evitar essas doenças seria mesmo muito bem-vindo , não é mesmo ?

Mas saiba que, apesar de fazer muito bem para a saúde, o nutriente presente em alimentos como limão, laranja, acerola e brócolis não é eficiente para acabar com seus espirros. Pois é, até hoje, não há estudos científicos bem conduzidos que comprovem que a vitamina C cura doenças causadas por vírus, como a gripe.

Design by Freepik

Em 31 de janeiro de 2013, o Cochrane publicou em sua biblioteca virtual uma revisão de vários artigos científicos que avaliavam a eficácia da vitamina C na redução da incidência, duração e gravidade de gripes e resfriados.

Ao final dessa revisão, a conclusão dos autores foi que na prática, a administração da vitamina C não teve nenhum efeito consistente sobre a incidência de gripes e resfriados na população em geral.

Isso é científico ! Não é minha opinião pessoal .

Mas o meu filho não come bem , mesmo assim ele não precisa ?

Em relação à necessidade de ingestão diária, um bebê de 6 a 12 meses precisa de 50 mg de vitamina C por dia, quantidade que pode ser obtida por meio do leite materno. Já as crianças que têm entre 1 e 3 anos precisam de 15 mg da vitamina por dia e aquelas entre 4 e 8 anos devem receber cerca de 25 mg diariamente.

Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE mostram que a média de consumo de vitamina C pelo brasileiro é adequada.

As frutas cítricas (como a laranja) e as vermelhas (como o morango) são algumas das melhores fontes de vitamina C. Apenas ¼ de uma goiaba possui 114,1 mg do nutriente e 4 gomos de laranja tem 42,90 mg. Outros alimentos, como tomate, acerola, brócolis e mamão formosa também são ricos nessa vitamina.

Então , não há necessidade nenhuma em suplementar algo que já está na alimentação !O consumo da fruta é sempre melhor do que a suplementação, pois o alimento vem com muitos outros componentes que também auxiliam na saúde.

E se eu quiser dar mesmo assim?

A vitamina C é hidrossolúvel, por isso, se for ingerida além do recomendado, seu excesso será excretado na urina, sem efeitos tóxicos para a saúde. Mas a questão é, vale realmente a pena?