8 alimentos perigosos para crianças

Todos os anos morrem ou ficam com sequelas graves crianças devido ao engasgo. Brinquedos pequenos e alguns alimentos são as principais causas em crianças pequenas. Segundo a Academia Americana de Pediatria, a comida é responsável por metade dos incidentes de asfixia em crianças pequenas.

De acordo com o Datasus, no Brasil, em 2014, foram registrados 108 casos de inalação ou ingestão de alimentos, sendo que 74% deles aconteceram com menores de 4 anos. Destes, metade aconteceu com crianças menores de 1 ano. Isso porque até os 4 anos as crianças ainda não têm o controle da mastigação 100% desenvolvido.

Alimentos representam o maior risco de asfixia para crianças

Doces : As campeãs de engasgos são as balas duras e pirulitos , que, sozinhas, representam quase 25% das ocorrências. Um pequeno pedaço pode ficar alojado na garganta de uma criança e impedir a passagem do ar .

Lembra da bala Soft? Campeã de engasgos !

Espinho de peixe : De acordo com especialistas, além do incômodo de ter algo pontiagudo e sólido atravessado na garganta, os tecidos da garganta podem acabar inflamando. O problema é que um inchaço nessa região, dependendo da intensidade, pode dificultar a respiração e causa asfixia, especialmente no caso de crianças.

Pipoca : Não deve ser dada às crianças menores de 4 anos de idade .São facilmente aspiradas e podem ficar presas na garganta dos mais pequenos.

Uvas e tomates : Alimentos muito lisos e arredondados devem sempre ser cortados ao meio ou em mais partes.

Pedaços de carne e queijo: Os pedaços de queijo e carne são difíceis de mastigar e podem “entalar” na garganta . Por isso sempre use carne macia , picada ou moída .

Manteiga de amendoim : A manteiga de amendoim é um dos alimentos preferidos das crianças americanas, mas são cada vez mais um petisco em todo o mundo. Pode parecer estranho mas este é um dos alimentos mais perigosos para crianças.

Salsicha : o famoso cachorro-quente das festinhas infantis deve ser oferecido em pedaços aos menores de 4 anos . A salsicha deve ser cortada em fatias .

Apesar de não ser um alimento duro, tem uma textura mole que pode ficar presa no céu-da-boca e garganta.

Nozes , amêndoas e amendoim : pequenos e duros , estão presentes em barrinhas de cereais , chocolates e até pães de forma . Só devem ser oferecidos bem triturados .

O que fazer ?

Os sinais mais comuns de engasgamento incluem: tosse ou respiração ruidosa; lábios ou pele azuladas; esforço grande para respirar e eventual perda de consciência. A criança pode também emitir ruídos atípicos ou abrir a boca sem emitir nenhum som, podendo não conseguir chorar ou tossir.

Se a criança ou o bebê estiverem engasgados, porém conseguirem tossir, NÃO MEXA NELES . Retire com a mão apenas objetos ou secreção visíveis. Mantenha a criança em posição confortável para ela. A tosse é, neste caso, a melhor chance de expelir o objeto que causou o engasgo; também significa que há respiração.
Se você interferir, pode causar um deslocamento do objeto e piorar a situação com uma obstrução completa e conseqüente, impedimento a respiração. Portanto, apenas incentive-a a tossir.

Se houver uma obstrução completa, haverá impedimento à entrada e saída de ar, o que impossibilita a criança ou o bebê de emitirem qualquer som vocal e tosse. Neste caso , há duas técnicas para desengasgar uma criança: uma específica para bebês até 1 ano e outra para crianças a partir dessa idade.

A primeira consiste em colocar o bebê de bruços, deitado sobre seu antebraço. O antebraço pode estar apoiado em sua perna ou outra superfície firme. A cabeça do bebê deve estar mais baixa que o corpo. Com a mesma mão, use os dedos médio e indicador para manter a boca dele aberta enquanto com a outra, você dá cinco tapas em suas costas, entre os ombros.

Em seguida, vire o bebê para você, deitado no mesmo apoio, e faça cinco compressões com os dedos médio e indicador no meio do peito, entre os mamilos. Afunde os dedos de dois a três dedos de altura, o que corresponde a cerca de 4 cm. Se ele chorou ou tossiu, significa que desengasgou. Caso contrário, repita o primeiro procedimento.

Na segunda , na criança maior que 1 ano, posicione – se atrás da criança, avisando-a da ajuda e iniciar compressões na boca do estômago . A manobra de Heimlich consiste em apoiar a mão fechada em punho, uma sobre a outra, entre o umbigo e a extremidade inferior do osso do peito da criança e realizar compressões , em trancos, para dentro e para cima, até que a criança consiga expelir o objeto .

Por que meu filho vive resfriado?

O resfriado é uma infecção das vias respiratórias superiores, causada por vários tipos de vírus. O modo de contágio mais comum é através de gotículas de saliva — quando alguém espirra, libera as gotículas no ar, e elas são aspiradas por outra pessoa. O vírus também pode ser transmitido pelo contato das mãos e objetos pessoais .

Por isso é tão comum que crianças , ao entrar na creche ou na escolinha fiquem mais doentes . Há mais circulação de vírus devido à aglomeração de crianças e o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento . Imagine que para uma criança se tornar imune a uma “virose” ela deve contrair a doença ou tomar a vacina específica . Mas existem mais de 200 tipos de micro-organismos e seu filho só consegue lidar com 1 germe de cada vez .

Em média, crianças pegam entre seis e dez resfriados por ano. Isso mesmo! E, frequentando a escola ou creche, o número de resfriados pode chegar a 12 ao ano. Por isso seu filho não passa mais de duas semanas sem o nariz estar escorrendo.Já os adultos pegam entre dois e quatro resfriados ao ano.

O que fazer ?

A primeira medida seria manter a criança fora da escola até completar 2 anos de idade . A vacinação em dia e o aleitamento materno também contribuem e muito para a imunidade do bebê .

Outras dicas :

• Evite ir ao Pronto Atendimento : procure sempre seu pediatra – pois assim o uso de antibióticos e medicações desnecessárias é menor . O foco é a prevenção da doença .

• vitaminas e suplementos : existem várias opções no mercado e o que funcionou para o seu sobrinho não necessariamente irá funcionar para a sua filha . Converse com o seu pediatra.

• alimentação : frutas e verduras com boa variedade deveria ser uma regra , mas infelizmente hoje é exceção . Não adianta dar remédio se o seu filho se alimenta mal .

• ambiente : não podem ter contato com fumantes e a casa deve sempre estar limpa , com ambientes ventilados e livres de tapetes e cortinas ( acumulam poeira).

Vale a pena tomar alguma vitamina para ajudar ?

Sim! Mas esqueça a boa e velha vitamina C. Estudos mostram que não há eficácia nenhuma complementar esta vitamina para se proteger de gripes e resfriados .

vitamina D : Uma pesquisa japonesa, que contou com a participação de 340 crianças , observou que os riscos de contrair gripe diminuiu no grupo que ingeriu o suplemento de vitamina D .

zinco : O efeito da suplementação de zinco sobre o sistema imunológico apresenta bons resultados em crianças, aumentando o controle de diarréias e infecções respiratórias, bem como favorecendo uma rápida recuperação das funções do sistema imune em casos de pneumonia .

Betaglucana : Substância presente em vários alimentos , possui vários estudos que comprovam a redução de até 25% dos quadros gripais em pacientes saudáveis , além de reduzir o risco de infecções pós operatórias e encurtar o tempo de infecções.

Bronquiolite : doença respiratória que assusta pais e enche hospitais

A bronquiolite, inflamação dos bronquíolos (parte final dos brônquios), atinge principalmente os bebês menores de dois anos e é mais comum no inverno. Nos primeiros anos de vida, o sistema imunológico ainda é imaturo, o que torna as crianças mais suscetíveis.

A bronquiolite pode surgir como um simples “nariz escorrendo” e se tornar uma dificuldade respiratória séria, a ponto de necessitar de cuidados intensivos.Por isso, a atenção em casos de bronquiolite em bebês e crianças é importante desde os primeiros sintomas até a resolução do quadro.

A boa notícia é que, uma vez resolvida, raramente a condição deixará sinais de sua passagem, sendo completamente curada.

O principal agente da doença é o Vírus Sincicial Respiratório (VSR), responsável por cerca de 60% dos casos de bronquiolite aguda em crianças. Entretanto, existem pelo menos outros dez vírus que podem causar a mesma doença, com exatamente os mesmos sintomas e a mesma possibilidade de evolução para um caso grave.

Sintomas

Geralmente é uma doença muito leve. A criança tem coriza (nariz escorrendo) e um pouco de chiado no peito, com resolução do caso em sete a 14 dias. Mas cerca de 2% delas têm dificuldade de respirar e precisam ser hospitalizadas.

A principal forma de contaminação é por meio de secreções respiratórias e por contato, ou seja, crianças que passam o dia em locais fechados com outras pessoas, como creches , estão mais propensas à infecção.

Infelizmente não existe tratamento específico a bronquiolite. Nos casos mais leves, em que não há desconforto respiratório (tosse com chiado ou falta de ar), é possível cuidar da criança em casa, controlando a febre e mantendo-a sempre hidratada e alimentada.

A internação somente se faz necessária quando a criança precisa de cuidados mais específicos no hospital. A principal indicação é a baixa oxigenação no sangue, o que a leva a precisar de tratamento com oxigênio.

Como evitar?

1- Insistir no aleitamento materno;

2 – Restringir visitas, sobretudo de pessoas com sintomas respiratórios ( tosse , congestão nasal );

3 – As visitas devem ser breves e o contato físico deve ser mínimo com os bebês;

4 – Evitar ao máximo as saídas de casa, sobretudo a ambientes com aglomerações ( igrejas , restaurantes , shopping , pronto atendimento de hospitais , festinhas de criança);

5 – Lavar as mãos repetidamente e, se possível, todas as pessoas que lidam com o bebê devem usar álcool gel;

6 – Manter a casa higienizada e ventilada;

7 – Exposição zero do bebê ao cigarro;

8 – A avaliação com o pediatra é necessária sempre que aparecerem sintomas respiratórios.

Existe vacina !

As crianças que integram os grupos de risco, tais como prematuros extremos, cardiopatas e pneumopatas (que têm doença pulmonar), têm mais chances de serem hospitalizadas e evoluir para a forma grave. Para esse grupo recomenda-se o uso da vacina Palivizumabe, medicamento indicado para aumentar a proteção de bebês prematuros contra a infecção pelo vírus sincial respiratório, o principal agente da bronquiolite .

O protocolo do Ministério da Saúde indica o Palivizumabe para bebês prematuros de três grupos: crianças prematuras , com cardiopatias ou doenças pulmonares graves .

Cebola para tosse : funciona?

Viralizado na internet , o uso da cebola cortada em pedaços tem eficácia no combate à tosse ? Teria o poder de atrair bactérias e descontaminar o ambiente ? Pode fazer mal à saúde ?

Vamos tentar desmistificar neste post a famosa:

Técnica da cebola

A maioria dos sites recomenda que a cebola crua deve ser cortada em 4 ou 8 partes e ser deixada no quarto da criança , para “sugar” e “limpar” o ambiente , absorvendo as bactérias, renovando o ar . Já outras mães afirmam que a inalação do cheiro descongestiona as vias aéreas e tem ação expectorante .

E aí , a cebola tem poder ?

Os especialistas são categóricos em dizer que a inalação do cheiro da cebola não melhora o quadro de tosse , e no caso das alergias , podem até piorar o quadro. Essa é a posição da Sociedade Brasileira de Pneumologia .

A cebola tem alguns mitos e um deles é que ela tem efeito bactericida, o que não é verdade. Não há nenhum respaldo científico nisso

Quanto ao poder de limpar o ambiente , os infectologistas também afirmam que a cebola não tem ação contra germes e bactérias dispersos pelo ar . Não purifica o ambiente e também não mata vírus ou microorganismos .

E pode fazer mal ?

Para amenizar a tosse do filho Henzo, a assistente financeira Juliana Ishiara, 35 anos, decidiu usar uma receita que viu na internet para o problema: cortou uma cebola em quatro partes e colocou ao lado da cama do garoto.

Em entrevista a mãe conta que, em poucos minutos, a criança começou a ter uma crise de tosse forte. “Ele puxava o ar, mas não conseguia respirar. O esforço para tossir era tamanho que, em minutos, ele vomitou e começou a ficar muito cansado. Eu escutava um forte barulho quando ele tentava respirar”, afirma.

Como o quadro não passava, ela levou o filho para o hospital. Ao chegar no local, ele recebeu oxigênio, tomou injeção de adrenalina, fez inalações e foi encaminhado para a UTI.

O cheiro da cebola , concentrado no quarto da criança , por horas , aumenta o risco de gerar uma resposta inflamatória grave nos brônquios, fechando a passagem de ar.

Além disso, pode gerar anafilaxia –um tipo de alergia grave –impedindo a passagem de ar próximo à laringe , semelhante aos quadros alérgicos provocados por picada de insetos ou medicamentos .

Medidas como : umidificar o ambiente , controle de ácaros ( higiene de travesseiros , limpeza do local ) e uso de mel ( para os maiores de 1 ano ) são comprovadas cientificamente , sem riscos à saúde e muito mais eficazes.

Fica a dica .

O travesseiro do seu filho pode ser a causa de tosse e congestão nasal

O travesseiro tem papel indispensável na vida das pessoas quando se trata de uma noite de sono de qualidade. Afinal, o que seria de uma noite confortável sem ele?

Poucas pessoas sabem, mas os travesseiros possuem prazo de validade : especialistas recomendam a sua troca a cada dois anos. Isto porque, os travesseiros são um dos locais preferidos dos ácaros .São da mesma classe das aranhas (aracnídeos) e, em média, possuem menos de um milímetro de comprimento. Vivem 2 a 3 meses, durante os quais acasalam 1 a 2 vezes, dando origem a uma postura de 20 a 50 ovos. O período mais propício para o acasalamento é entre a Primavera e o Outono. Se alimentam de pele humana e de outros animais.

Como são muito pequenos, os ácaros costumam chegar em nossas casas através do vento. Como a maioria dos aracnídeos, conseguem sobreviver em diversos ambientes, como nos colchões, tapetes, almofadas, sofás, bonecos de pelúcia e roupas de camas.

Não são os ácaros que nos causam alergia, e sim componentes presentes em suas fezes e os próprios restos da decomposição destes animais, que são quase invisíveis a olho nu.

Para se ter uma ideia, com seis meses de uso um travesseiro já contém cerca de 300 mil ácaros, e, após dois anos, até 25% do seu peso é formado por ácaros vivos, mortos e suas fezes.Enquanto você dorme, milhares destes aracnídeos estão andando pelo seu travesseiro e se alimentando das secreções eliminadas por sua cabeça e dos seus filhos , provocando tosse , coceira no nariz e olhos .

O que fazer ?

Não é indicado colocar o travesseiro ao sol !

É usual cometer o erro de expor os travesseiros ao sol.Porém, no caso dos travesseiros, a moradia dos ácaros e micro-organismos não é a superfície, e sim o seu interior. Se o travesseiro for exposto ao sol, ocorre um aquecimento no seu interior, ambiente com umidade. A elevação de temperatura causa aumento acentuado da proliferação de ácaros, fungos e bactérias, além de acelerar a pulverização das fezes e cadáveres de ácaros, elementos altamente alergênicos.

Além disso, a radiação ultravioleta oxida a superfície do material do travesseiro, deixando-a amarelada. Por isso, o ideal é sempre arejar e ventilar o travesseiro, protegido por uma fronha, sempre com luz indireta. Esta medida irá aumentar a saúde e a durabilidade do travesseiro.

Travesseiro pode ser lavado?

Não . Apesar de existirem travesseiros que são laváveis, a grande maioria retém grande quantidade de umidade no seu interior mesmo quando aparentemente já estão secos (superficialmente).

Um teste fácil para comprovar a eficiência da secagem é pesar o travesseiro antes e depois de lavar. A diferença de peso, indicará a quantidade de água retida no travesseiro.

Use produtos específicos

Colchões , bichos de pelúcia podem ser higienizados com aspirador de pó e a solução ADF .

É recomendável trocar a fronha uma vez por semana e lavar a capa protetora uma vez por mês. Capas anti ácaros são boas escolhas para melhorar a higiene do seu travesseiro.

Fica a dica.

Devemos ter medo de usar bombinha para asma ?

No passado a bombinha para asma esteve associada a casos de morte súbita e a problemas cardíacos . Por isso é muito comum o medo em utilizá-las , pois o seu uso é recheado de histórias e mitos.

Primeiro precisamos esclarecer o que é uma bombinha. Naquele frasco pressurizado é possível colocar vários tipos de medicamento para tratamento de doenças respiratórias. Quando a medicação é liberada, o jato tem uma quantidade bastante precisa do medicamento e tem a capacidade de atingir profundamente os pulmões. Por isso , devemos encarar a bombinha como um inalador muito eficiente para levar medicamentos aos pulmões.

Por que devemos usar bombinha ?

Crianças com quadros de tosse crônica ou asma fazem uso de xaropes com muita frequência e estão sujeitos a diversos efeitos colaterais devido ao excesso de medicação . A bombinha tem , além da praticidade do uso , um efeito mais rápido e local , pois a medicação é feita pela via respiratória , diretamente ao pulmão .

O tratamento é feito com doses bem pequenas de medicação por via inalatória. Utilizamos as bombinhas para administrar medicamentos com facilidade e eficiência , com menor efeito colateral .

O que tem na bombinha ?

Os broncodilatadores são medicamentos muito utilizados no tratamento da asma. São medicamentos que literalmente abrem os brônquios para facilitar a passagem do ar. São muito eficientes, mas podem causar um aumento dos batimentos cardíacos. Esse efeito é muito bem tolerado nas crianças e não contraindica o uso desses medicamentos, mesmo em pacientes com problemas cardíacos , pois é transitório .

 Os corticoides também estão presentes nas bombinhas. São substâncias que imitam a ação de hormônios produzidos em nosso corpo e que têm ação anti-inflamatória.

Em pessoas que têm asma, as células das vias respiratórias reagem de maneira desproporcional a fatores irritantes, como a poeira. Para se defender dessas agressões, os tubos que levam ar aos pulmões, os brônquios, ficam contraídos e há mais produção de muco, na tentativa de barrar os invasores. O resultado é falta de ar.

Por isso, os especialistas receitam corticoides para controlar crises de asma e, de maneira preventiva, diminuir o nível de vigilância e reação das células das vias respiratórios.

Asma e bronquite são a mesma coisa?

Sim. A asma é uma doença que tem muitos apelidos: bronquite, bronquite alérgica, bronquite asmática, broncoespasmo. Mas o nome correto é asma. Se a criança tem episódios de tosse, chiado no peito ou falta de ar que acontecem na virada do tempo, junto com resfriados, quando faz exercício físico ou piora na madrugada, é muito provável que seja asmática.

Isso acontece porque existe uma predisposição alérgica na família, as vias aéreas ficam inflamadas e sensíveis aos mais variados estímulos do ambiente: ar seco, poluição, vírus respiratórios, poeira, mofo, pólen e até alimentos. Quando acontecem esses estímulos as vias aéreas se fecham e produzem secreção.

 Mas a bombinha vicia?

Não. Se o paciente tem asma ele precisa de tratamento. O tratamento é contínuo e prolongado. A ideia é controlar a inflamação que existe nas vias aéreas e torná-las menos sensíveis aos estímulos do ambiente.

Como o tratamento é prolongado, existem bombinhas para uso diário, como qualquer outro problema de saúde de evolução crônica. Assim, usar bombinhas todos os dias não significa que seu filho está viciado nelas, significa apenas que está tratando uma doença pulmonar de forma rápida e segura, mandando o medicamento diretamente aos pulmões.

A criança precisará usar a bombinha para o resto da vida?

Muito provavelmente, não. A história natural da asma é de evoluir com melhora com a idade. O paciente, apesar de continuar alérgico, deixa de apresentar sintomas pulmonares e consegue permanecer longos períodos sem necessidade de tratamento.

Por que essa tosse piora tanto a noite ?

A tosse noturna é muito comum : a criança passa o dia inteirinho boa e de repente , na hora de dormir , começa a sinfonia do cof -cof -mamãe ! Às vezes é tanta tosse que além de ninguém dormir , a criança vomita , finalizando a noite com chave de ouro .

Por que piora a noite ?

A tosse é um reflexo fisiológico, uma resposta involuntária do organismo, na tentativa de expulsar o muco, a poeira, ou outras partículas que estão nas vias respiratórias.

Durante o dia a criança está em pé e em movimento, de modo que o muco também está se movendo, sendo mais fácil ser expelido . Mas ao deitar , o muco fica ressecado , mais difícil de ser eliminado , sendo necessária uma tosse mais intensa e repetitiva .

Mas nem sempre a causa é a presença de catarro . Alergias e refluxo também provocam tosse através de mecanismos diversos :

alergia : quando o organismo encontra com o seu alergeno ( o que provoca alergia ) a resposta é imediata : aumenta a secreção , principalmente nasal . O nariz entope e tudo começa a coçar . Ao deitar , a secreção retida no nariz fica gotejando sobre a entrada da via respiratória , provocando o reflexo da tosse .

refluxo gastroesofágico : comum em bebês e crianças com sobrepeso , ele ocorre principalmente ao deitar e após as mamadas. O conteúdo estomacal sobe pelo esôfago e para evitar que caia no pulmão , o reflexo da tosse é acionado .

O que fazer ?

Pensando nas causas , temos algumas soluções :

1. Inalação com soro

Umidifica as vias aéreas e facilita a saída da secreção . Funciona para infecções como gripes e resfriados e nos casos de alergia .

2. Usar umidificador

Tossimos mais nas noites de inverno não pela queda da temperatura, mas pela baixa umidade do ar , que resseca a secreção . Por isso é fundamental umidificar o ar que respiramos .

3. Não tomar leite antes ou durante a noite :

O leite aumenta a incidência de refluxo e pode estimular o reflexo de tosse , que neste caso é protetora – não permite que o líquido atinja os pulmões .

4. Mel antes de dormir

Estudos comprovam a sua eficácia na tosse , devido à sua ação bactericida . Pode ser administrado nas crianças maiores de 1 ano de idade na sua forma pura ou com chá .

5. Eleve a cabeceira

Deixar a criança dormir com a cabeceira elevada melhora o refluxo e nos casos de alergia , pois diminui o gotejamento de secreção . É uma medida simples mas muito eficaz .

6. Evite usar mais de um xarope

No desespero , muitas mães dão não só 1 mas 2 ou 3 xaropes para a tosse acabar naquele instante . Mas lembre-se : nenhum xarope tem efeito imediato ! Eles demoram cerca de 4 a 6 horas para o início da sua ação . Ou seja , dar xarope na madrugada só terá resultado ao raiar do dia .

Usar mais de uma medicação pode provocar muitos efeitos colaterais , principalmente quando administrados por conta própria , sem a recomendação de um médico .

7. Troque o travesseiro

A tosse seca, irritativa, geralmente está relacionada a algum tipo de alergia respiratória e por isso manter a casa e o local de trabalho sempre bem limpos e organizados podem fazer toda a diferença, acalmando a tosse.

• Manter a casa sempre bem arejada abrindo as janelas sempre que possível;

• Retirar os bichinhos de pelúcia, cortinas e tapetes da casa;

• Limpar diariamente a casa, sem usar produtos com cheiro forte;

• Retirar o excesso de objetos e papéis, principalmente por baixo das camas, dos sofás e de cima dos armários;

• Guardar travesseiros e colchões em capas anti-alérgicas;

• Colocar os colchões e travesseiros para arejar , na sombra , sempre que possível;

• Trocar os travesseiros e as almofadas periodicamente porque eles acumulam ácaros que são prejudiciais à saúde.

Vai viajar ? Use a solução antiacaricida ( solução ADF) nos tapetes , cortinas , travesseiro e colchão do quarto de hotel .

Umidificador : vilão ou mocinho ?

O tempo seco e a baixa umidade do ar, junto com a poluição, favorecem infecções, ardência e ressecamento dos olhos, boca e nariz, principalmente em crianças. O ar seco desidrata as mucosas do nariz, garganta e faringe, o que pode levar à inflamações e agrava significativamente o quadro de doenças respiratórias, como rinite e asma.

Uma boa alternativa são os umidificadores de ar que, desde os modelos mais simples, podem trazer benefícios à saúde, mas é muito importante saber usá-los corretamente.

Aparelhos que umidificam o ar podem ajudar quem sofre com tempo seco, mas não devem ser usados de forma indiscriminada em casa.

Será que faz mal à saúde ?

A questão é qual deve ser o nível de umidade ideal e como alcançá-lo. Do ponto de vista médico, recomenda-se que a umidade do ambiente da casa, especialmente onde a criança se encontra, seja mantida entre 30% e 40%.

Quando o aparelho fica ligado por períodos longos causa um excesso de umidade, o que pode trazer mais problemas do que o alívio, uma vez que os fungos e bactérias se proliferam em alta umidade.

Mas como saber se o nível de umidade está ideal para o ambiente?

A melhor maneira de fazer isso é por meio de um higrômetro. Existem no mercado alguns modelos de umidificadores de ar que já vem com um higrômetro integrado, então você pode levar esse detalhe em consideração na hora de escolher o seu.

A opção mais prática é ligar o aparelho com antecedência de três a quatro horas e, quando for deitar-se , desligá-lo . Caso opte por dormir com o equipamento ligado, mantê-lo na intensidade mínima durante à noite e deixar uma porta aberta do ambiente para o escape do excesso é fundamental para ter os efeitos benéficos.

Alguns equipamentos disponíveis no mercado possuem funções como o temporizador, desligando automaticamente o umidificador após o tempo selecionado .

Uso água da torneira ?

Use água filtrada

A água usada precisa ser filtrada e a lavagem do recipiente feita diariamente, para impedir que haja contaminação e que os microorganismos se espalhem pelo ar. Utilize sabão neutro e um pano ou esponja, e depois seque bem. Toda umidade retida no aparelho também vira um foco de fungos e outros microrganismos que serão jogados no ar e provocar problemas caso não seja feita a higienização.

É importante não encostá-lo em uma parede , próximo a cortinas ou em um móvel para evitar a proliferação de mofo.

Dicas para escolher e utilizar um umidificador de ar

• Compare a capacidade do tanque de água, sua autonomia e seu sistema de funcionamento. Os modelos de vapor quente são mais econômicos, porém apresentam a desvantagem de aumentar a temperatura do ambiente e o aquecimento do aparelho pode ocasionar queimaduras em crianças .

• Observe a estrutura do aparelho, pois em muitos deles não é possível retirar o reservatório de água para limpeza, o que é um grande problema, pois ali podem surgir fungos e bactérias.

• Considere se tem um higrômetro ou temporizador integrado.

• Evite aparelho com um grande reservatório : dificulta a limpeza e o uso ( não fique acrescentando água – você deve trocá-la diariamente ). Opte por dispositivos menores e espalhe pelos quartos .

Qual o melhor inalador?

Com o tempo mudando é muito comum as crianças começarem a tossir e o primeiro remédio que vem à mente é a inalação .Feita só com soro fisiológico ou com medicação , é um santo remédio para gripes e resfriados , principalmente porque o efeito é imediato e custa bem menos do que um xarope . Mas será que você está fazendo tudo certinho ?

Se o seu filho é daqueles que chora só de ver o aparelho , fique tranquila que tem jeito sim de diminuir o medo do pequeno . Vou dar uma série de dicas para tirar esse trauma da inalação e facilitar a sua vida . Vamos lá!

CONHEÇA OS ERROS MAIS COMUNS

Uma inalação feita incorretamente perderá o efeito desejado , mas nem sempre o pediatra explica como fazer . Vamos melhorar a técnica :

• Comprei o aparelho errado

Existem dois tipos de inaladores, o inalador convencional (pneumático ou ar comprimido), este que funciona com uma bomba de ar com acionamento elétrico , e o inalador ultrassônico funciona gerando uma névoa através de oscilações de um transdutor piezoelétrico.

Algumas medicações não podem ser feitas pelos aparelhos ultrassônicos, como os corticóides .

• Fiz a medicação errada

Muitos pais têm medo de medicação feita no inalador : batedeira , tremores , convulsão , desmaios são alguns dos sintomas mais temidos . Fique tranquila que os remédios usados na via inalatoria são seguros . O risco e as complicações acontecem ao fazer com a dose errada ( reduzir o número de gotas por medo de reação ) ou quando fazemos por conta própria ( dose maior do que a indicada para a criança).

• Limpeza do aparelho ? Nunca fiz …

Um inalador não higienizado pode esconder um grande problema : bactérias e fungos .

O ideal é não compartilhar o uso com adultos e fazer a limpeza 2 a 3 vezes na semana . Para isso, use 1 colher de água sanitária para 1 litro de água de deixe imerso todo o circuito ( máscara , potinho e tubo) por cerca de 20 a 30 minutos e deixe secar em ar ambiente .

A cada inalação , lave com sabão neutro todas as partes removíveis do aparelho.

• Parei de fazer a inalação após 5 minutos

Um erro comum é contar o tempo . Alguns pais contam 10 ou 15 minutos e encerram a inalação , mas isto é errado , pois depende do aparelho que você tem. Faça sempre a nebulização com máscara , até acabar de sair o vapor de água , a “fumaçinha”, ok?

• Coloquei gotinhas de Ambroxol e álcool

Não use álcool , medicação para tosse ( como aquelas gotinhas de Bisolvon ou Mucolitic ) , de nariz ou água mineral ( sempre use soro fisiológico ) no copinho do aparelho de inalação .

Para fazer efeito , a medicação tem que ser fabricada para ser usada no aparelho .

SEU PROBLEMA É QUE SEU FILHO NAO DEIXA ? ENTAO SEGUEM AS DICAS :

1. Deixe a criança brincar

Quando a criança está com tosse ou o nariz congestionado , ela não irá permitir que algum objeto chegue perto do rosto , pois isso traz um sensação de ” sufocamento”. A sensação provocada pela máscara , num primeiro momento , é de perda de ar e instintivamente ela irá tentar retirar tudo próximo ao nariz .

Mas se ela estiver habituada com o aparelho , tudo isso ficará mais fácil .Naqueles momentos em que ela não está doente , é muito bom ela poder manipular a máscara , o tubo e ligar o aparelho . Assim ela acostuma com o barulho e fica mais fácil de fazer quando precisar .

2. Torne o inalador divertido

São diversos modelos , que dá até para escolher . Mas se o seu for aquele tradicional , que tal brincar de mergulhador ? Em casa funcionou .

3. Aproveite o soninho …

Tem que fazer e não deu tempo para ela se acostumar ? Faça enquanto seu filho estiver dormindo . Mas mantenha a máscara o mais próximo possível , para evitar que a medicação na forma de aerossol se disperse .

4. Não adianta colocar o pirulito !

Tempos atrás circulou um vídeo de uma método para fazer inalação sem choro : colocar um pirulito dentro do aparelho . Isso mesmo , mas já adianto que não funciona.

Extraído da internet

Quando nós comemos , a “porta” que dá acesso a respiração fica fechada e quando respiramos a “porta” leva comida se fecha . Isso funciona para evitar que a gente engasgue . Quando usamos o pirulito no aparelho de inalação , o tempo em que a porta da respiração fica aberta é menor, o tubo que leva a medicação na forma de aerossol fica parcialmente fechado e com isso a quantidade de medicação que iria para o pulmão fica reduzida .

5. Compre inalador com mangueira

Parece fútil mas não é. Em crianças a mangueira ou traqueia facilita muito na inalação , pois dá uma mobilidade maior , já que a maioria das crianças gosta de fazer a inalação deitada e não sentada.

Gostou? Espero que sim. Fica a dica.

Qual a melhor roupa para o meu filho com esse frio ?

Os pediatras são unânimes ao afirmar que o corpo das crianças perde calor muito mais rapidamente que o de um adulto. Mas como e quais peças podemos usar para deixar a criança quentinha ?

O ponto fundamental para roupas de inverno infantil é o conforto. Crianças, independentemente da época e do momento, são muito agitadas, gostam de brincar, descobrir coisas e, por isso, devem estar confortáveis o bastante para se movimentarem sem nenhum incômodo. 

É preciso prestar atenção no tecido para assegurar o conforto e evitar reações alérgicas. A alergia aos tecidos pode acontecer em qualquer criança e é preciso observar de perto o surgimento dos sintomas. Os sinais mais comuns podem ser observados na pele, como coceiras, bolhas e vermelhidão. Sendo assim, vale a pena fazer um teste com a roupa antes de a criança usar em alguma ocasião. 

Nada mais irritante do que uma roupa que pinica !

COM QUE ROUPA EU VOU ?

Use camadas de roupas

A primeira peça deve ser de algodão e bem justinha ao corpo , pois assim manterá o calor e absorverá o suor . Nas pernas , meia calça e ceroulas podem ser necessárias nos dias de frio intenso .

Já a segunda camada deve ser mais quentinha , como um moletom ou blusa de lã . Evite a calça jeans – de trama aberta , ela não aquece .

Na terceira camada , coloque aquele casaco impermeável , de material sintético , de preferência com punho , para bloquear a entrada do ar frio .

Brincou e esquentou? Basta tirar um peça e ainda ela estará aquecida

Proteja as extremidades

É preciso cobrir bem as extremidades porque é por aí que o frio ataca. A prioridade é a cabeça , pois é a parte do corpo que se resfria mais rapidamente. As toucas podem ser de algodão , para os bebês , e de lã , para os maiores .

Luvas e polainas são boa opções!

Nos bebês, use sapatos de tricô. Indicados para recém-nascidos ou crianças que ainda não andam, a lã aquece muito os pés. Calçados com meias, deixam os pezinhos do bebê ainda mais protegidos.

Pijaminha bem quentinho

Depois do banho , use um roupão de banho em cima do pijama . Deixa a criança aquecida e é super confortável.

Crianças não param de se mexer até quando dormem .Então , use um bom pijama reforçado – assim ele nunca ficará descoberto a noite .

E você, tem alguma dica especial? Conta pra mim !