Por que meu filho vive resfriado?

O resfriado é uma infecção das vias respiratórias superiores, causada por vários tipos de vírus. O modo de contágio mais comum é através de gotículas de saliva — quando alguém espirra, libera as gotículas no ar, e elas são aspiradas por outra pessoa. O vírus também pode ser transmitido pelo contato das mãos e objetos pessoais .

Por isso é tão comum que crianças , ao entrar na creche ou na escolinha fiquem mais doentes . Há mais circulação de vírus devido à aglomeração de crianças e o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento . Imagine que para uma criança se tornar imune a uma “virose” ela deve contrair a doença ou tomar a vacina específica . Mas existem mais de 200 tipos de micro-organismos e seu filho só consegue lidar com 1 germe de cada vez .

Em média, crianças pegam entre seis e dez resfriados por ano. Isso mesmo! E, frequentando a escola ou creche, o número de resfriados pode chegar a 12 ao ano. Por isso seu filho não passa mais de duas semanas sem o nariz estar escorrendo.Já os adultos pegam entre dois e quatro resfriados ao ano.

O que fazer ?

A primeira medida seria manter a criança fora da escola até completar 2 anos de idade . A vacinação em dia e o aleitamento materno também contribuem e muito para a imunidade do bebê .

Outras dicas :

• Evite ir ao Pronto Atendimento : procure sempre seu pediatra – pois assim o uso de antibióticos e medicações desnecessárias é menor . O foco é a prevenção da doença .

• vitaminas e suplementos : existem várias opções no mercado e o que funcionou para o seu sobrinho não necessariamente irá funcionar para a sua filha . Converse com o seu pediatra.

• alimentação : frutas e verduras com boa variedade deveria ser uma regra , mas infelizmente hoje é exceção . Não adianta dar remédio se o seu filho se alimenta mal .

• ambiente : não podem ter contato com fumantes e a casa deve sempre estar limpa , com ambientes ventilados e livres de tapetes e cortinas ( acumulam poeira).

Vale a pena tomar alguma vitamina para ajudar ?

Sim! Mas esqueça a boa e velha vitamina C. Estudos mostram que não há eficácia nenhuma complementar esta vitamina para se proteger de gripes e resfriados .

vitamina D : Uma pesquisa japonesa, que contou com a participação de 340 crianças , observou que os riscos de contrair gripe diminuiu no grupo que ingeriu o suplemento de vitamina D .

zinco : O efeito da suplementação de zinco sobre o sistema imunológico apresenta bons resultados em crianças, aumentando o controle de diarréias e infecções respiratórias, bem como favorecendo uma rápida recuperação das funções do sistema imune em casos de pneumonia .

Betaglucana : Substância presente em vários alimentos , possui vários estudos que comprovam a redução de até 25% dos quadros gripais em pacientes saudáveis , além de reduzir o risco de infecções pós operatórias e encurtar o tempo de infecções.

Vitamina C não previne gripe !

Desde os anos 1930 o ácido ascórbico, popularmente conhecido como vitamina C, é usado no tratamento de doenças respiratórias e tem muito pediatra prescrevendo até hoje .

Mas o que a grande maioria desconhece é que a vitamina C NÃO previne nenhum tipo de gripe e resfriado .

Como assim?

Segundo dados do IQWIG (Institute for Quality and Efficiency in Health Care),2 em média uma criança fica resfriada de 6 a 10 vezes por ano. Já um adulto, de 2 a 4 vezes. Nesse contexto, um remédio de baixo custo e fácil acesso que fosse capaz de evitar essas doenças seria mesmo muito bem-vindo , não é mesmo ?

Mas saiba que, apesar de fazer muito bem para a saúde, o nutriente presente em alimentos como limão, laranja, acerola e brócolis não é eficiente para acabar com seus espirros. Pois é, até hoje, não há estudos científicos bem conduzidos que comprovem que a vitamina C cura doenças causadas por vírus, como a gripe.

Design by Freepik

Em 31 de janeiro de 2013, o Cochrane publicou em sua biblioteca virtual uma revisão de vários artigos científicos que avaliavam a eficácia da vitamina C na redução da incidência, duração e gravidade de gripes e resfriados.

Ao final dessa revisão, a conclusão dos autores foi que na prática, a administração da vitamina C não teve nenhum efeito consistente sobre a incidência de gripes e resfriados na população em geral.

Isso é científico ! Não é minha opinião pessoal .

Mas o meu filho não come bem , mesmo assim ele não precisa ?

Em relação à necessidade de ingestão diária, um bebê de 6 a 12 meses precisa de 50 mg de vitamina C por dia, quantidade que pode ser obtida por meio do leite materno. Já as crianças que têm entre 1 e 3 anos precisam de 15 mg da vitamina por dia e aquelas entre 4 e 8 anos devem receber cerca de 25 mg diariamente.

Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE mostram que a média de consumo de vitamina C pelo brasileiro é adequada.

As frutas cítricas (como a laranja) e as vermelhas (como o morango) são algumas das melhores fontes de vitamina C. Apenas ¼ de uma goiaba possui 114,1 mg do nutriente e 4 gomos de laranja tem 42,90 mg. Outros alimentos, como tomate, acerola, brócolis e mamão formosa também são ricos nessa vitamina.

Então , não há necessidade nenhuma em suplementar algo que já está na alimentação !O consumo da fruta é sempre melhor do que a suplementação, pois o alimento vem com muitos outros componentes que também auxiliam na saúde.

E se eu quiser dar mesmo assim?

A vitamina C é hidrossolúvel, por isso, se for ingerida além do recomendado, seu excesso será excretado na urina, sem efeitos tóxicos para a saúde. Mas a questão é, vale realmente a pena?